• Ago : 11 : 2014 - Apelo ao boicote de alimentos com milho transgénico
  • Nov : 23 : 2011 - Petição pela salvaguarda das Sete Fontes
  • Jul : 6 : 2011 - Perigo para Paisagem Protegida Valongo
  • Jun : 17 : 2010 - Corte de Árvores na Circunvalação – resposta da C.M. Porto
  • Jun : 15 : 2010 - Corte de Árvores na Circunvalação

KONICA MINOLTA DIGITAL CAMERA

14 de JUNHO de 2014 – VISITA ÀS SERRAS DE VALONGO: esta atividade, na qual se visitou um local que faz parte dos 50 espaços selecionados na Campanha da Campo Aberto (fase 2006-2008) intitulada «50 Espaços em Perigo e a Preservar na AMP», teve a colaboração de Lúcia da Silva Magalhães, a qual foi possível ao abrigo de um Estágio Emprego (Portaria n.º 204-B/2013, de 18 de junho), que teve o apoio das seguintes entidades:

 

Logótipos IEFP

A visita revelação!
A visita e percurso pedestre que a Campo Aberto lhe propõe para sábado 14 de junho de 2014 decorrerá na Área de Paisagem Protegida de Âmbito Local das Serras de Santa Justa e Pias, no concelho de Valongo, e insere-se no Ciclo Parques e Cidades do Noroeste. A Campo Aberto agradece à Câmara Municipal de Valongo, através da sua Divisão de Ordenamento do Território e Ambiente, a colaboração dada na organização desta atividade.

Quando?
No sábado, 14 de junho 2014, com inscrições até 8 de junho, domingo. Cronograma mais adiante.

Como inscrever-se?
Enviando um email com o nome completo e data de nascimento (para efeito de seguro), email e telefone de todas as pessoas que pretenda inscrever, para atividadesca@gmail.com – simultaneamente, caso não seja sócio da Campo Aberto, transferir um donativo de €4,00 para o NIB 0035 0730 0003 5756103 54, e enviar no mesmo email o comprovativo através de talão digitalizado ou outro processo (ou os dados que possam identificar a transferência). Sempre que possível, indicar um descritivo ou referência com o nome de quem paga e a atividade, do tipo, por exemplo, Neves 7-jun Valongo.

Os sócios da Campo Aberto podem pagar no local um donativo de valor livremente fixado (por exemplo, 1 euro). Para sócios e não sócios, a inscrição interpreta-se como opção firme e prioritária de comparecer, a não ser em caso de força maior. Em caso de desistência, por favor avisar para o email acima indicado logo que o impedimento seja conhecido, e mesmo à última hora, nesse caso por tm/sms para 918527653. A atividade só se realizará com um mínimo de 10 participantes. Devido à capacidade do autocarro cedido pela Câmara Municipal de Valongo, 18 será o número máximo de participantes, sendo considerada a ordem cronológica de inscrição completa.

Como lá chegar?
A deslocação pode ser feita de comboio ou de carro.

Carro: o local de agrupamento é junto à estação de Valongo às 8:54.

Comboio: agrupamento em Porto-Campanhã às 8:15 junto ao quiosque; partida às 8:35; chegada a Valongo às 8:54. Para quem for de comboio é conveniente tirar bilhete de ida e volta. Os interessados podem tirar bilhete de grupo, mais barato, para o que deverão chegar com antecedência de segurança.

Qual o programa da visita?

8:35 – Saída de comboio de Campanhã
8:54 – Chegada a Valongo 9:00 – Partida para o CIA – Centro de Interpretação Ambiental, de autocarro (3 min)
9:15 – Chegada ao CIA para uma apresentação de 40 minutos
9:55 – Partida para o parque da cidade de Valongo (2,5 Km) – autocarro (5 min)
10:00 – Chegada ao Parque da Cidade de Valongo e entrada na Serra de Santa Justa pelo percurso pedestre verde (caminhada) (2,800 m) – 2 horas
12:30/13:00 – Partida de autocarro para a estação de Valongo
13:35 – Regresso ao Porto
13:56 – Chegada ao Porto – Campanhã

valongocaminho

Mais informação sobre as Serras de Valongo

Desde os anos 1990, várias organizações e personalidades ecologistas desenvolveram uma campanha para a criação de áreas protegidas de âmbito regional a nível da região do Porto. Alguns municípios foram entretanto procurando concretizar  algumas delas como de âmbito local.

Uma dessas áreas de âmbito local já criadas veio a concretizar-se sob a forma da classificação como Área de Paisagem Protegida de Âmbito Local das Serras de Santa Justa e Pias por aprovação unânime da Assembleia Municipal de Valongo de 28 de dezembro de 2010, entroncando na criação em 1998 do Parque Paleozoico de Valongo, e ampliando-a.

A visita e caminhada que a Campo Aberto agora lhe propõe percorrerá uma parte dessa área e integra-se no Ciclo Cidades e Parques do Noroeste. Trata-se de um local cuja preservação como espaço verde foi também recomendada pela Campanha 50 Espaços Verdes em Perigo e a Preservar, realizada pela Campo Aberto em 2006-08.

Área de Paisagem Protegida de Âmbito Local

A classificação das Serras de Santa Justa e Pias como Área de Paisagem Protegida de Âmbito Local foi aprovada por unanimidade na reunião da Assembleia Municipal de 28 de Dezembro de 2010.

Classificadas as Serras como área protegida, dá-se início a uma nova etapa nesta caminhada de proteção de uma área que reúne tantos e tão importantes valores naturais e culturais.

Nesta nova fase, pretende-se assegurar de uma forma ainda mais assertiva a gestão sustentável do património, nomeadamente no que respeita à reconversão da floresta e preservação da biodiversidade. Prevê-se também dotar a região de uma série de equipamentos de apoio à investigação e ao usufruto sustentável por parte dos amantes da Natureza.

Antecedentes da classificação

Desde 1995, com o início do projeto que levou à criação do Parque Paleozóico de Valongo, que a Câmara Municipal tem vindo a implementar nas Serras de Santa Justa e Pias diferentes iniciativas com o objetivo de preservar o seu património natural e cultural, contando para tal com o apoio de parceiros científicos e outros.

Em 2003 foi apresentada ao então Instituto de Conservação da Natureza uma proposta de classificação das Serras como área protegida, na sequência de várias reuniões prévias com esse organismo e depois de contactos com as Autarquias de Gondomar e Paredes, que partilham o Sítio de Importância Comunitária «Valongo», inserido na Rede Natura 2000, uma classificação ao nível comunitário.

A mobilização para este objectivo foi entretanto diligenciada junto de diferentes entidades para além dos municípios vizinhos que partilham a área, nomeadamente junto da Junta Metropolitana do Porto, Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte e Instituto de Conservação da Natureza e Biodiversidade. No entanto, apesar de terem manifestado interesse na iniciativa e louvado os fundamentos da mesma, a classificação não se efetivou.

A publicação do Decreto-Lei n.º 142/2008, de 24 de Julho, veio consagrar aos municípios a competência para procederem à classificação de áreas protegidas de âmbito local, o que resultou numa oportunidade que o município de Valongo não quis desperdiçar.

Fundamentos da classificação

A classificação das Serras de Santa Justa e Pias como área protegida pretende criar mecanismos que possibilitem a conservação efetiva desta herança natural e cultural. Segundo o DL já mencionado «devem ser classificadas as áreas terrestres (…) em que a biodiversidade ou outras ocorrências apresentem, pela sua raridade, valor científico, ecológico, social ou cénico, uma relevância especial que exija medidas especificas de conservação e gestão, em ordem a promover a gestão racional dos recursos naturais e a valorização do património natural e cultural, regulamentando as intervenções susceptíveis de as degradar». Considera-se que as Serras de Santa Justa e Pias cumprem este requisito. De referir que os Concelhos limítrofes podem vir a integrar a área, alargando-se a sua delimitação e potenciando o seu caráter regional.

O Futuro

Pretende-se que a gestão desta área seja realizada meticulosamente, de forma inclusiva e integradora das diferentes valências em presença. Assim, foi nomeado pelo Sr. Presidente da Câmara Municipal de Valongo um grupo de trabalho interdisciplinar, coordenado pelo Departamento de Ambiente e Qualidade de Vida, que se encontra a elaborar o Plano de Ação, assim como o respectivo regulamento a aplicar na Paisagem Protegida Local. Estes instrumentos de gestão possibilitarão regular as actividades e projectos a desenvolver na área, mas também fomentar atividades e/ou projetos que possam criar uma marca positiva neste Município, na perspetiva da sustentabilidade do território.

Centro de Interpretação Ambiental (CIA)

Inaugurado em Maio de 2004, dedica-se à promoção do património natural e cultural da Serra de Santa Justa e Pias. Esta área natural é um local excecionalmente apto para a aprendizagem e experimentação de diversas matérias in situ, tendo sido criados 3 percursos pedestres que nos permitem observar diferentes realidades. A Serra de Santa Justa e Pias possui uma vasta diversidade paisagística a nível ambiental e cultural, podendo observar-se diversas particularidades geológicas, botânicas, zoológicas e culturais, as quais fundamentaram a sua classificação como Sítio Rede Natura 2000.

O CIA foi idealizado para ajudar a divulgar o património das Serras de Santa Justa e Pias – rede Natura 2000 / Parque Paleozóico de Valongo e a dinamizar atividades de sensibilização ambiental.  Apresenta uma área de receção/loja, onde podem ser solicitadas informações e adquiridas publicações ou outros produtos; uma biblioteca na qual se destaca a compilação de livros, revistas e artigos científicos especificamente alusivos à área e um espaço multiusos com painéis informativos, galeria fotográfica de fauna e flora, exposição de fósseis, maqueta interpretativa da geologia das Serras, etc.  Um amplo espaço exterior permite diversificar as atividades realizadas.

Parque da Cidade de Valongo

Inaugurado a 7 de Maio de 2005, é um espaço de lazer e de contacto com a Natureza por excelência, que resultou do processo de recuperação das linhas de água do Concelho, com a Requalificação Paisagística das Margens do Rio Simão – uma intervenção de reabilitação e renaturalização da linha de água numa extensão de 7,5 km. Dele fazem parte uma área de lazer, com um mirante sobre o vale, um anfiteatro ao ar livre, um palco, áreas relvadas, parque infantil e parque de jogos e uma cafetaria.

Pela sua localização privilegiada, na confluência entre área urbana e área florestal, e pela sua estreita relação com o rio, o Parque da Cidade constitui um local propício à abordagem de temáticas relacionadas com a preservação do ambiente, pretendendo-se que constitua no futuro a nova porta de entrada para a Serra de Santa Justa e Pias. Para além do conceito ambiental e do «turismo natureza», o Parque é um local de eventos, onde ao longo do ano (em especial no Verão) são realizadas inúmeras atividades, desde concertos, animação de rua, teatro, dança e artes circenses, entre outras.

valongoagua

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Imprimir esta página Imprimir esta página

Categorias: Eventos & Visitas

Deixar comentário