• Set : 17 : 2020 - ALERTA AOS CIDADÃOS: TRÊS JARDINS DO PORTO E 503 SOBREIROS EM GAIA AMEAÇADOS DE MUTILAÇÃO E ABATE
  • Mai : 14 : 2020 - Por Amor da Árvore 2020
  • Abr : 24 : 2019 - Poluição Luminosa
  • Ago : 11 : 2014 - Apelo ao boicote de alimentos com milho transgénico
  • Nov : 23 : 2011 - Petição pela salvaguarda das Sete Fontes

A Campo Aberto é uma associação sem fins lucrativos, de duração ilimitada, com personalidade jurídica, que visa debater e promover o exercício da cidadania no domínio do ambiente, sobretudo nas suas dimensões natural, rural e urbana. Nisso assenta o interesse que vem dedicando às questões urbanísticas, que consideramos decisivas em matéria de qualidade de vida e do ambiente citadino. Para conhecer em mais pormenor algum do historial da associação nos seus primeiros 12 anos de atividade abra esta apresentação.

A Campo Aberto foi fundada a 27 de Dezembro de 2000, tendo obtido reconhecimento jurídico  através dos avisos publicados no Diário da República, III Série, nº 42, pág. 3874, de 19 de Fevereiro de 2001, e nº 248, pág. 22948, de 25 de Outubro de 2001. A associação está ainda registada na Agência Portuguesa do Ambiente. O NIF da associação é o 505093278.

A Campo Aberto tem cerca de 200 sócios no pleno gozo dos seus direitos e gostaria muito de receber mais. A associação está representada na plataforma associativa Convergir, na Plataforma Transgénicos Fora, na Confederação Portuguesa das Associações de Defesa do Ambiente, no Centro Regional de Excelência em Educação para o Desenvolvimento Sustentável da Área Metropolitana do Porto, no Conselho Municipal de Ambiente do Porto e é ainda embaixadora do Condomínio da Terra. A Campo Aberto apoia ainda o Movimento em Defesa dos Jardins do Palácio, o Movimento em Defesa do Rio Tinto, o Movimento Cívico pela Linha do Tua e o Movimento SOS Paiva.

São objetivos da Campo Aberto:

  1. Promover o interesse pelos problemas urbanísticos, de uma perspectiva ambiental e de desenvolvimento sustentável e de baixo impacte, inclusive no contexto das zonas urbanas onde estiver sediada a associação ou onde residirem associados seus.
  2. Contribuir para identificar as ameaças mais graves e de maiores consequências a longo prazo para a natureza e o ambiente, para as analisar e combater.
  3. Contribuir para suscitar o gosto pelas atividades e profissões de ar livre e o sentido da conexão entre saúde pessoal e saúde do ambiente.
  4. Promover o estudo e difusão das correntes de pensamento que mais têm contribuído para suscitar atitudes que visam a diminuição dos impactos negativos da tecnologia e da sociedade sobre o ambiente.
  5. Inventariar e estudar alternativas às tecnologias de elevado impacto sobre o ambiente e promover o interesse teórico e prático por essas alternativas.
  6. Promover o interesse pela análise das incidências construtivas e destrutivas que diferentes formas sociais podem exercer sobre o ambiente.
  7. Promover o interesse pela revalorização das regiões rurais, encaradas como espaços privilegiados de ensaio e concretização de alternativas tecnológicas e sociais de baixo impacto sobre o ambiente.
Documentos globais

Planos de ação

Relatórios de atividades

Relatórios de contas