• Abr : 24 : 2019 - Poluição Luminosa
  • Ago : 11 : 2014 - Apelo ao boicote de alimentos com milho transgénico
  • Nov : 23 : 2011 - Petição pela salvaguarda das Sete Fontes
  • Jul : 6 : 2011 - Perigo para Paisagem Protegida Valongo
  • Jun : 17 : 2010 - Corte de Árvores na Circunvalação – resposta da C.M. Porto

José Carlos Marques
«No debate de 23 de Setembro sobre questões de ambiente e urbanismo realizado no ISEP, o Eng. Diogo Alpendurada, que teoricamente representava ali o candidato Rui Rio, fez referência ao facto de terem sido apenas três pessoas que desencadearam o movimento que conseguiu evitar que a Exponor fosse instalada nos terrenos do actual Parque da Cidade, o que teria impedido a criação deste,comentando que muitas vezes a Câmara precisa de ser acordada pelos cidadãos. Fiquei com a nítida impressão que o Eng. Alpendurada tinha assim sibilinamente manifestado uma opinião de incentivo ao movimento de contestação à transformação da Av. dos Aliados, embora obviamente não possa ter a certeza.
Uma cidadã presente enviou uma pergunta escrita à mesa, que infelizmente não houve já tempo para submeter a respostas, na qual perguntava como era possível que três pessoas tivessem conseguido aquele feito e cinco mil (afinal são já 6200) nem sequer conseguissem ser ouvidas no caso dos Aliados.
Aparentemente o actual presidente da CMP continua a não querer receber os cidadãos ligados a este movimento, o que não abona a favor dele (Presidente). Há uma maneira de conceber a democracia que acaba por ser uma forma de autocracia, e que é julgar que pelo facto de se ter sido eleito já se não tem o dever de auscultar, dialogar, procurar ouvir a população e as suas diversas correntes com predisposição para as entender e chegar a possíveis consensos ou processos de reflexão e amadurecimento das decisões.
Infelizmente não temos à vista no Porto (e em muitos outros locais) nenhum primeiro candidato com essa percepção da vida democrática.»

Imprimir esta página Imprimir esta página

Deixar comentário