İzmir escort » İzmir eskort bayan » Vip Escorts beydağ escort bornova escort buca escort çeşme escort seferihisar escort beylikdüzü escort avrupa yakası escort mecidiyeköy escort beşiktaş escort Escort Paris porn tube porno porn porno amateur

windows 10 pro office 2019 pro office 365 pro windows 10 home windows 10 enterprise office 2019 home and business office 2016 pro windows 10 education visio 2019 microsoft project 2019 microsoft project 2016 visio professional 2016 windows server 2012 windows server 2016 windows server 2019 Betriebssysteme office software windows server https://softhier.com/ instagram takipçi instagram beğeni instagram görüntüleme instagram otomatik beğeni facebook beğeni facebook sayfa beğenisi facebook takipçi twitter takipçi twitter beğeni twitter retweet youtube izlenme youtube abone instagram

    As associações Árvores de Portugal e Transumância e Natureza formalizaram recentemente o desejo de ver o sobreiro consagrado oficialmente como a Árvore Nacional de Portugal.
    Como referem no site da Árvores de Portugal, esse desejo foi formalizado à sombra do secular sobreiro do Cachão com um aperto de mão entre os respectivos presidentes.

    “a caminhada que agora se inicia, visa não apenas a classificação do sobreiro como a árvore nacional do nosso país, mas, igualmente, ajudar a criar uma plataforma que funcione como um lóbi de defesa do sobreiro e da sua cultura, procurando ser parte activa na procura de soluções para alguns casos concretos que serão divulgados futuramente.”

    A Campo Aberto associa-se desde já a esta iniciativa.

    Imprimir esta página Imprimir esta página

    2 comentários até agora.

    1. joao pinheiro diz:

      Não acho nada bem.
      O sobreiro apenas é tradicional de uma parte de Portugal.
      No noroeste são raríssimos.
      Neste caso, os carvalhos seriam uma proposta bem mais interessante.

    2. José Marques diz:

      Caro João Pinheiro
      O sobreiro é menos raro no Noroeste de Portugal do que por vezes se imagina. É certo que não há extensões de sobreiros tão impressionantes como as do montado alentejano, mas isso deve-se sobretudo a circunstâncias de história económica e paisagística. Em zonas muito a Norte ainda encontramos maciços de sobreiros importantes, em muitas outras foram destruídos por razões da mesma índole. O sobreiro exige mesmo alguma humidade (que o clima atlântico propicia) que a azinheira, por exemplo, dispensa. Assim, em regiões do Douro, como o Professor António Crespi (da UTAD) nos mostrou em algumas visitas feitas pela Campo Aberto, o sobreiro vai recuando perante a azinheira precisamente por uma evolução climática e do coberto vegetal que vai tornando mais secas algumas zonas onde até há pouco ele ainda predominava. José Carlos Marques

    Deixar comentário