Caro Leitor do Boletim Diário PNED:

    Se ainda não o é, e se concorda, ainda que apenas em parte, com o que é
    e faz a Campo Aberto, e se julga útil apoiá-la, faça-se sócio!

    Em alternativa assine a revista Ar Livre (que os sócios também recebem).

    Peça informações:
    contacto@campoabert o.pt

    Para desligar-se/ religar-se ou para ler as mensagens em modo página, net
    veja informações no rodapé da mensagem.

    O arquivo desta lista desde o seu início é acessível através de
    https://groups. yahoo.com/ group/pned/

    =========================

    BOLETIM PORTO E NOROESTE EM DEBATE
    resumo das notícias de ambiente e urbanismo em linha

    Sexta, 11 de Janeiro de 2008

    =========================

    Para os textos integrais das noticias consultar as ligacoes indicadas.

    =========================

    1. Estudo vai avaliar efeitos das linhas de alta tensão

    Portugal vai conduzir um programa de estudos pioneiros, a nível mundial, sobre os efeitos dos campos electromagnéticos sobre os seres vivos. Em concreto, vão ser desenvolvidas várias investigações para tentar perceber que tipo de alterações provoca a exposição a este tipo de força, de que são exemplo as polémicas linhas de muito alta tensão.
    A mais-valia do Centro de Investimento Científico e de Inovação Tecnológica (CITEC), ontem criado por protocolo entre a Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa e a REN – Redes Enérgicas Nacionais é apostar numa metodologia inovadora, em que se cruzam várias linhas de investigação que serão desenvolvidas a longo prazo, explicou a Carolino Monteiro, coordenador científico, ao JN.
    Os estudos até agora realizados caracterizam-se por serem “contraditórios e ambíguos”, reconhece o especialista em genética humana, o que tem contribuído para alimentar a confusão e polémica em torno da instalação de linhas de muito alta tensão. Por outro lado, as pesquisas científicas têm-se revelado parcelares e de curta duração.
    “O objectivo é produzir informação científica mais credível, precisa e robusta, que seja capaz de dar respostas globais neste domínio”, explica Carolino Monteiro, acrescentando que aos projectos de estudo realizados desde os anos 60 tem faltado um “olhar integrativo e de longa duração”.
    Nos próximos meses, o CITEC lançará múltiplas de linhas de estudo que, pelo menos durante dez anos, vão aprofundar o conhecimento sobre os efeitos dos campos electromagnéticos sobre os sistemas biológicos, isto é, seres vivos e não apenas pessoas. Mais do que monitorizar eventuais consequências na saúde, pretende-se perceber até que ponto a exposição a esses campos pode provocar alterações nos organismos. O tipo e a extensão das alterações produzidas é o que se pretende saber.
    O CITEC resulta de uma parceria entre a Faculdade de Farmácia de Lisboa, que assume a responsabilidade científica pelo programa de investigação, e a REN, que investirá 40 milhões nos próximos dez anos.
    A contestação de várias populações à instalação de linhas de muito alta tensão trouxe para o quotidiano mediático uma série de questões até agora ignoradas. Os riscos ambientais e os perigos para a saúde são os principais receios de quem vive próximo dessas linhas.
    Para se compreender o que são campos electromagnéticos é preciso desmontar dois conceitos eléctrico, que remete para força ou carga eléctrica, e magnético, que se refere à força gerada quando há cargas em movimento (corrente eléctrica), explicou ao JN José Peralta, subdirector da Divisão de Equipamentos da REN. As linhas de muito alta tensão correspondem a uma carga superior a 1100 mil volts, diferindo apenas em intensidade da corrente eléctrica doméstica, segundo aquele responsável.
    Embora seja possível enterrar as linhas, é menos dispendioso e complexo que sejam aéreas, que são precisamente as que mais receios provocam.

    https://jn.sapo.pt/2008/01/11/sociedade_e_vida/estudo_avaliar_efeitos_linhas_alta_t.html

    =========================
    2. Porto e Sevilha vão cooperar na defesa das cidades históricas

    A Associação Comercial do Porto/Câmara de Comércio e Indústria do Porto e a Fundação para a Investigação e Difusão da Arquitectura de Sevilha vão cooperar na defesa do património das cidades históricas, anunciou fonte daquela entidade. A cooperação ficou consagrada através da assinatura, no Palácio da Bolsa, no Porto, de um protocolo de cooperação entre as duas entidades que abrange também a defesa do meio ambiente e a difusão da arquitectura e do urbanismo.
    O primeiro resultado deste acordo será a realização da exposição “In Vitro – Arquitectura Contemporânea em Cidades Históricas”, a realizar no Palácio da Bolsa de 24 de Janeiro a 24 de Fevereiro. Esta exposição conta com a colaboração do Colégio Oficial de Arquitectos de Sevilha. Fundada em 1834, a Associação Comercial do Porto/Câmara de Comércio e Indústria do Porto, que tem a sua sede no Palácio da Bolsa, é a associação empresarial mais antiga do País, reunindo representantes de todos os sectores de actividade da cidade.

    https://www.oprimeirodejaneiro.pt/index.php?op=pesquisa&de=2008-01-11&chave=&tema=&limite=0

    =========================

    INFORMAÇÃO SOBRE O BOLETIM INFOPNED:

    Acima apresenta-se o sumário e/ou resumos de notícias de interesse
    urbanístico/ambienta l publicadas na edição electrónica do Jornal de
    Notícias e de O Primeiro de Janeiro (e ocasionalmente de outros
    jornais ou fontes de informação).

    Esta lista foi criada e é animada pela associação Campo Aberto, e está
    aberta a todos os interessados sócios ou não sócios. O seu âmbito específico
    são as questões urbanísticas e ambientais do Noroeste, basicamente entre o
    Vouga e o Minho.

    Selecção hoje feita por Celina Raposo

    Para mais informações e adesão à associação Campo Aberto:

    Campo Aberto – associação de defesa do ambiente

    www.campoaberto.pt

    Apartado 5052
    4018-001 Porto
    telefax 22 975 9592
    contacto@campoaberto.pt

    =============== PNED: Porto e Noroeste em Debate ===============

    Imprimir esta página Imprimir esta página

    Categorias: Boletim

    Deixar comentário