Destaque: Sobe-e-Desce

    Destacar o quê? Mais vale observar como o melhor acompanha o pior num
    constante sobe-e-desce. Uma ecopista? Sobe! Mas à custa do prévio
    encerramento de ligações ferroviários do interior: desce! A longevidade
    aumenta com alimentação e estilo de vida saudáveis (quem duvidava)? Sobe!
    Mas o mesmo estudo diz que isso não depende da classe social: ora, Robin
    Stott, em ECOLOGIA DA SAÚDE, mostra estudos que provam o contrário, isto é,
    que os mais pobres dos pobres nem sequer estilo de vida saudável podem ter:
    desce! Funcionários não podem estar sujeitos ao fumo mais que certo tempo;
    ainda é pouco, mas… sobe! Zonas urbanas com novo limite de 30km/hora:
    sobre outra vez! Os dirigentes do Parque da Peneda-Gerês orgulham-se dos
    resultados turísticos e económicos; mas ficamos sem saber porque continuam
    os repetidos incêndios a destruir boa parte do seu património vegetal, e sem
    saber o que afinal o Parque consegue ou não preservar: desce! A política de
    fecho de correios e escolas rurais intensifica-se e alastra mais uma vez com
    a política de encerramento de certos serviços de saúde (depois de
    maternidades); é assim que se combate a desertificação humana do país? Não:
    é assim que se lhe dá um empurrão final! Desce, desce às profundas abismais!
    JCM

    [Esta lista tem actualmente 403 inscritos.]

    Veja o site da Campo Aberto:
    https://www.campoaberto.pt/

    Comente, participe, divulgue.

    ====

    Caro Leitor do Boletim Diário PNED:

    Se ainda não o é, e se concorda, ainda que apenas em parte, com o que é e
    faz a Campo Aberto, e se julga útil apoiá-la, faça-se sócio!

    Em alternativa assine a revista Ar Livre (que os sócios também recebem).

    Peça informações:
    contacto@campoaberto.pt

    Para desligar-se/religar-se ou para ler as mensagens em modo página, net
    veja informações no rodapé da mensagem.

    O arquivo desta lista desde o seu início é acessível através de
    https://groups.yahoo.com/group/pned/

    ====
    BOLETIM PORTO E NOROESTE EM DEBATE
    resumo das notícias de ambiente e urbanismo em linha

    ====
    Quarta-feira, 9 de Janeiro de 2008
    ====

    1. Viseu: Autarquias de Viseu, Tondela e Santa Comba Dão avançam com o
    projecto Ramal feroviário vira ecopista

    As autarquias de Viseu, Tondela e Santa Comba Dão esperam ter pronto dentro
    de um mês o projecto da ecopista a instalar no desactivado ramal ferroviário
    do Dão, com um custo estimado de três milhões de euros.

    https://www.oprimeirodejaneiro.pt/?op=artigo&sec=e4da3b7fbbce2345d7772b0674a318d5&subsec=&id=6ee41ce83b51f93ed292d3240c5518c8

    ====

    2. Mundial/Saúde Pequenas mudanças na alimentação e no estilo de vida
    aumenta quatro vezes a longevidade
    Mais vida para bom comportamento

    Durante 13 anos, 20 mil pessoas foram estudadas para avaliar o impacto que
    os bons comportamentos têm na longevidade das pessoas. A conclusão foi que
    alguém que siga uma vida regrada pode viver mais 14 anos do que outra pessoa
    que tenha comportamentos menos cuidados.
    Uma pessoa que faça exercício físico, não beba muito álcool, coma
    suficientes frutas e legumes e não fume pode viver mais 14 anos, segundo um
    estudo publicado ontem, na «Public Library of Science Medicine». O estudo
    envolveu 20 mil pessoas durante mais de dez anos e concluiu que é possível
    aumentar anos de vida com pequenas mudanças. Os peritos descobriram que quem
    não tinha hábitos saudáveis tinha mais quatro vezes de possibilidades de
    morrer do que quem mantinha uma vida sã. O estudo foi realizado pela
    Universidade de Cambridge e pelo Conselho de Investigação Médica no condado
    de Norfolk, no Oeste de Inglaterra, entre 1993 e 2006.

    Cinco pontos
    Os participantes tinham entre 45 e 79 anos, eram predominantemente brancos e
    não tinham nem cancro nem problemas cardíacos, de acordo com a análise.
    Durante o estudo, cada participante recebeu um ponto por cumprir cada um dos
    objectivos «não fumador», «consumo de entre meio a sete copos de vinho por
    semana», «consumo de cinco porções de fruta e verduras por dia» e «não
    considerado fisicamente inactivo». Os investigadores descobriram que quem
    tinha os quatro pontos apresentou menores possibilidades de morrer durante o
    período de tempo estudado do que os que não somaram pontos. Os peritos
    concluíram ainda que a classe social e a massa corporal não tinham
    influência na longevidade: ³Isto significa que uma grande proporção da
    população pode realmente sentir os benefícios na saúde através de mudanças
    moderadas².

    https://www.oprimeirodejaneiro.pt/?op=tema&sec=c9f0f895fb98ab9159f51fd0297e236d

    ====

    3. Nacional/Saúde: Funcionários não podem estar sujeitos a fumo em mais de
    30 por cento do tempo
    Lei laboral já previa recusa

    A lei prevê aos trabalhadores o direito de se recusarem a trabalhar em zonas
    de fumadores. CGPT e UGT comentam e lembram que esse direito já existia. A
    nova lei prevê ainda que aqueles que não se recusam não podem estar sujeitos
    ao fumo mais de 30 por cento do tempo laboral.

    https://www.oprimeirodejaneiro.pt/?op=artigo&sec=b6d767d2f8ed5d21a44b0e5886680cb9&subsec=&id=5a44ba69e87458295587634c4d2ee1dc

    ====

    4. Nacional/ Rodovias: Zonas urbanas com limite de 30 quilómetros por hora
    pedro correia

    Limitações de velocidade visam centros urbanos e áreas residenciais

    Ordem para carregar no travão dentro das localidades. O limite máximo de
    circulação vai ser reduzido para 30 quilómetros por hora em centros urbanos,
    zonas residenciais e espaços com “forte presença de tráfego pedonal”. O
    objectivo, expresso na Estratégia Nacional de Segurança Rodoviária (ENSR),
    vai agora ser aprofundado por um grupo de trabalho em que participam
    estruturas como a Estradas de Portugal, governos civis e Associação Nacional
    de Municípios Portugueses.

    https://jn.sapo.pt/2008/01/09/nacional/zonas_urbanas_limite_30_quilometros_.html

    ====

    5. Peneda-Gerês: Setenta milhões de euros foram investidos na Peneda-Gerês

    Turismo é a vertente que mais visitantes atrai ao parque nacional, mas os
    estudantes também são muitos

    Setenta milhões de euros depois, o Parque Nacional da Peneda-Gerês (PNPG)
    tem uma oferta com melhor qualidade duplicou o número de camas, aumentou dez
    vezes os quilómetros de trilhos pedestres, elaborou informação turística,
    novos mapas e criou novas infra-estruturas de apoio aos visitantes. O
    balanço do conjunto de acções implementadas nos últimos anos foi, ontem,
    feito no Vidoeiro, no Gerês.

    Um dos maiores saltos dados pelos cinco concelhos onde o Parque está
    inserido foi na oferta reservada para os visitantes. Assim, em cinco anos, o
    número de camas passou para 2346, dobrando o valor de 2002. Existem, ainda,
    cerca de 100 restaurantes referenciados, duas novas ecopistas e seis núcleos
    museológicos. Se Terras de Bouro continua a ser o concelho-líder em termos
    de visitantes, Ponte da Barca foi aquele que mais cresceu nesse aspecto.

    Durante os cinco anos em que a primeira fase da Carta Europeia de Turismo
    Sustentável esteve em vigor passaram pelo único parque nacional do país mais
    de 76 mil pessoas, das quais mais de 13 mil foram estudantes que
    participarem em actividades de educação ambiental.

    Segundo o director do PNPG, foram várias as áreas alvo de projectos “a
    começar na protecção do património natural e cultural, na criação de
    informação sobre a região, passando pela oferta de qualidade aos visitantes,
    formação e apoio à qualidade de vida local e terminando na elaboração de
    produtos turísticos relacionados com a área protegida”. Henrique Pereira
    destaca a construção do centro de interpretação ambiental do Vidoeiro e de
    duas portas de entrada no parque; o licenciamento de 20 empresas de animação
    e a realização de cinco estudos de oferta e procura do território. O Parque
    participou em seis feiras de promoção e realizou cinco certames de promoção
    e comercialização de produtos locais. Numa altura de balanço, o director do
    parque realçou o trabalho feito na criação de trilhos pedestres, um dos
    ex-líbris da região “em 2002 havia 20 quilómetros de trilhos e hoje temos
    mais de 300, 200 dos quais devidamente sinalizados, num investimento que
    ultrapassou os 430 mil euros”. As Câmaras de Arcos de Valdevez, Melgaço,
    Montalegre, Ponte da Barca e Terras de Bouro tiveram também uma quota-parte
    de responsabilidade nestes investimentos, já que parte das candidaturas
    saíram das autarquias.

    https://jn.sapo.pt/2008/01/09/norte/setenta_milhoes_euros_foram_investid.html

    ====

    6. Nacional/Interioridade: Médicos e autarcas pedem revisão da reforma

    Encerramento da urgência de Anadia reacendeu discussão

    A Federação Nacional dos Médicos (FNAM) e a Associação Nacional de
    Municípios (ANMP) entraram ontem para a discussão em torno do encerramento
    de serviços de urgências para alertar para o facto de este ser indissociável
    da reforma dos centros de saúde.

    ====

    INFORMAÇÃO SOBRE O BOLETIM INFOPNED:

    Acima apresenta-se o sumário e/ou resumos de notícias de interesse
    urbanístico/ambiental publicadas na edição electrónica do Jornal de
    Notícias e de O Primeiro de Janeiro (e ocasionalmente de outros
    jornais ou fontes de informação).

    Esta lista foi criada e é animada pela associação Campo Aberto, e está
    aberta a todos os interessados sócios ou não sócios. O seu âmbito específico
    são as questões urbanísticas e ambientais do Noroeste, basicamente entre o
    Vouga e o Minho.

    Selecção hoje feita por José Carlos Marques

    Para mais informações e adesão à associação Campo Aberto:

    Campo Aberto – associação de defesa do ambiente

    www.campoaberto.pt
    campo-aberto.blogspot.com

    Apartado 5052
    4018-001 Porto
    telefax 22 975 9592
    contacto@campoaberto.pt

    =============== PNED: Porto e Noroeste em Debate ===============

    Imprimir esta página Imprimir esta página

    Categorias: Boletim

    Deixar comentário