• Set : 17 : 2020 - ALERTA AOS CIDADÃOS: TRÊS JARDINS DO PORTO E 503 SOBREIROS EM GAIA AMEAÇADOS DE MUTILAÇÃO E ABATE
  • Mai : 14 : 2020 - Por Amor da Árvore 2020
  • Abr : 24 : 2019 - Poluição Luminosa
  • Ago : 11 : 2014 - Apelo ao boicote de alimentos com milho transgénico
  • Nov : 23 : 2011 - Petição pela salvaguarda das Sete Fontes

Caro Leitor do Boletim Diário PNED:

Se ainda não o é, e se concorda, ainda que apenas em parte, com o que
é e faz a Campo Aberto, e se julga útil apoiá-la, faça-se sócio.

Campo Aberto – associação de defesa do ambiente
www.campoaberto.pt
Apartado 5052
4018-001 Porto
telefax 22 975 9592

======================
==========================
BOLETIM PORTO E NOROESTE EM DEBATE
resumo das notícias de ambiente e urbanismo em linha

Terça-feira, 9 de Outubro de 2007

==========================
Para os textos integrais das notícias consultar as ligações indicadas.
==========================
==========================
1. Matosinhos: Plano para o quarteirão das antigas conserveiras

A autarquia matosinhense apresentou, ontem, as opções da autarquia
para as carcaças das antigas fábricas de conserva Algarve Exportadora
e Rainha do Sado, em Matosinhos Sul, no quarteirão delimitado pela
Avenida da República e as ruas Roberto Ivens e Heróis de França.
Recorde-se que este terreno já viu vários planos mas nenhum foi
concretizado.

O presidente da câmara, Guilherme Pinto, considera que esta solução,
apresentada vai permitir a integração daquele quarteirão, que está já
abandonado há anos, no na malha urbana da cidade.

Segundo a proposta apresentada na câmara, Siza Vieira, autor do Plano
de Urbanização de Matosinhos Sul, concorda com a solução apresentada,
por considerar que respeita as características próprias da zona
envolvente, assim como plano. Esta solução implica a demolição
integral das carcaças das fábricas, que segundo Guilherme Pinto é a
melhor solução para que a requalificação se possa fazer mais
rapidamente.

https://www.oprimeirodejaneiro.pt/?
op=artigo&sec=eccbc87e4b5ce2fe28308fd9f2a7baf3&subsec=&id=156963b0ce18
6e1761c595c1039bf959

==========================
2. Porto: Esculturas da Cordoaria em Serralves

As esculturas «Treze a rir uns dos outros» – quatro conjuntos de
peças representando 13 figuras humanas a rir, em bronze e colocadas
sobre estruturas em aço corten – vão estar durante aproximadamente 12
meses afastadas da Alameda dos Plátanos do Jardim da Cordoaria,
espaço que as acolheu com carácter permanente desde o ano em que se
celebrou a Porto 2001. A Fundação de Serralves solicitou o seu
empréstimo temporário para figurarem na exposição antológica que vai
levar a cabo, durante o ano de 2008, sobre o artista Juan Muñoz.

https://www.oprimeirodejaneiro.pt/?
op=artigo&sec=eccbc87e4b5ce2fe28308fd9f2a7baf3&subsec=&id=1bf97464df2d
c63e141539dd1c400420

==========================
3. Viana do Castelo: Pagamento das entradas no Parque de Cidade

O presidente da Concelhia de Viana do Castelo do PSD, António José
Amaral, criticou ontem a decisão de taxar a entrada no futuro Parque
da Cidade, atribuindo-a à “teimosia” do presidente da Câmara, o
socialista Defensor Moura. Segundo António José Amaral, os dirigentes
concelhios reuniram há dias com a administração da sociedade gestora
do Polis de Viana do Castelo (VianaPolis), tendo ficado a saber que a
decisão de cobrar bilhete à entrada do Parque da Cidade “é uma
teimosia” do presidente da Câmara. “O que nos foi dito é que o Parque
da Cidade [uma obra da responsabilidade da VianaPolis e actualmente
em fase final de execução] foi concebido para ser um espaço de lazer
aberto e acessível a todos os vianenses e que nunca esteve previsto
taxar as entradas”, sublinhou o líder social-democrata. O problema,
acrescentou, é que no final do ano a VianaPolis acaba e a gestão do
Parque da Cidade será entregue à Câmara.

O presidente da Câmara já explicou que aquele “não é bem” um Parque
da Cidade, mas sim um “Parque Ecológico Urbano”, implantado numa
área “com características de reserva ecológica”. “Não é um jardim,
não é uma ciclovia, não é um local para fazer piqueniques, mas sim
uma zona alagada onde vai haver observação da avi-fauna e onde vão
ser criadas condições para que as crianças visitem uma quinta
pedagógica”, referiu Defensor Moura, salientando que, por essa razão,
o acesso não poderá ser efectuado por grandes grupos e as visitas
terão que ser acompanhadas por técnicos. Por isso, disse, a entrada
no Parque Ecológico da cidade de Viana do Castelo vai ser paga por
preços simbólicos e, devido ao facto de ser uma zona alagada, será de
acesso limitado.

O Parque Ecológico Urbano é um projecto orçado em cerca de dois
milhões de euros e ocupa uma área de 23 hectares.

https://www.oprimeirodejaneiro.pt/?
op=artigo&sec=e4da3b7fbbce2345d7772b0674a318d5&subsec=&id=d47cbd771521
db0ec9b7c77645bd4481

==========================
==========================
Para se desligar ou religar veja informações no rodapé da mensagem.

O arquivo desta lista desde o seu início é acessível através de
https://groups.yahoo.com/group/pned/

Se quiser consultar os boletins anteriores veja
https://campoaberto.pt/boletimPNED/

==========================
INFORMAÇÃO SOBRE O BOLETIM INFOPNED:

Acima apresentam-se sumários ou resumos de notícias de interesse
urbanístico ou ambiental publicadas na edição electrónica do Jornal
de Notícias e d’O Primeiro de Janeiro (e ocasionalmente de outros
jornais ou fontes de informação).

Esta lista foi criada e é animada pela associação Campo Aberto, e
está aberta a todos os interessados sócios ou não sócios. O seu
âmbito específico são as questões urbanísticas e ambientais do
Noroeste, basicamente entre o Vouga e o Minho.

Selecção hoje feita por Maria Carvalho

=============== PNED: Porto e Noroeste em Debate ===============

Imprimir esta página Imprimir esta página

Categorias: Boletim

Deixar comentário