• Set : 17 : 2020 - ALERTA AOS CIDADÃOS: TRÊS JARDINS DO PORTO E 503 SOBREIROS EM GAIA AMEAÇADOS DE MUTILAÇÃO E ABATE
  • Mai : 14 : 2020 - Por Amor da Árvore 2020
  • Abr : 24 : 2019 - Poluição Luminosa
  • Ago : 11 : 2014 - Apelo ao boicote de alimentos com milho transgénico
  • Nov : 23 : 2011 - Petição pela salvaguarda das Sete Fontes

[Esta lista tem actualmente cerca de 380 participantes inscritos.]

Veja o site e o blogue da Campo Aberto:
https://www.campoaberto.pt/
https://campo-aberto.blogspot.com/

Veja também o blogue:
https://avenida-dos-aliados-porto.blogspot.com

Comente, participe. Divulgue!

==========================
Caro Leitor do Boletim Diário PNED:

Se ainda não o é, e se concorda, ainda que apenas em parte, com o que é
e faz a Campo Aberto, e se julga útil apoiá-la, faça-se sócio!

Em alternativa assine a revista Ar Livre (que os sócios também recebem).

Peça informações:
campo_aberto@oninet.pt

==========================

BOLETIM PORTO E NOROESTE EM DEBATE
resumo das notícias de ambiente e urbanismo em linha

Sábado, 16 de Setembro de 2006

==========================

Para os textos integrais das notícias consultar as ligações indicadas.

==========================
1. Consumos-fantasma de energia

As máquinas de lavar roupa e loiça, os televisores, vídeos ou aparelhagens de som continuam a consumir energia mesmo quando desligados, concluiu o estudo da Quercus “Ecofamílias”.

“Até agora conhecíamos o que se denomina de consumos ‘stand-by’, ou seja, quando desligamos o aparelho eléctrico apenas no comando e a luz de sinalização permanece. O que detectamos agora são os consumos-fantasma, ou seja, gastos de energia mesmo quando desligados do interruptor”, explicou Francisco Ferreira, da Quercus.

Os consumos-fantasma ou “stand-by” representam uma percentagem considerável no consumo de energia de uma qualquer família. “Foi possível verificar que o consumo de um desses aparelhos eléctricos quando desligado no interruptor pode atingir os 40 Watts, ou seja o mesmo que quatro lâmpadas fluorescentes compactas sempre ligadas”, salientou o ambientalista.O estudo não aponta nenhuma razão para o consumo-fantasma, que se verifica mais em determinados modelos que noutros, admitindo que tenha “origem em algum transformador”.

Como solução para evitar esse gasto, os ambientalistas recomendam “que se desligue os aparelhos nas tomadas, ou então que se passe a utilizar tomadas com interruptor que pode ser desligado. Dessa forma é anulado o consumo”.

Esta e outras conclusões foram obtidas na primeira fase do estudo Ecofamílias (teve início em Novembro de 2005 e termina em Outubro de 2006), que permitiu acompanhar os consumos energéticos de 30 famílias, residentes nos concelhos de Lisboa, Oeiras e Sintra.

De acordo com o relatório “as reduções nos consumos passam pela eliminação de alguns consumos de stand-by e fantasma (entre 10 a 50%), substituição de lâmpadas incandescentes por fluorescentes compactas (até 70%) e a substituição do contador simples pelo bi-horário”.

O mesmo documento revela ainda que o grupo de entretenimento composto por televisor, aparelhagem de som, vídeo/ /DVD, apresenta consumos na ordem dos 16kWh/mês, o que em média corresponde a cerca de 5% da factura mensal.

O grupo da informática apresenta valores de consumo entre 1 e 40kWh/mês, num consumo médio mensal de electricidade de 418kWh.

O estudo refere ainda que o número de elementos da família não é proporcional aos gastos de energia, mas sim os hábitos de utilização e tempo de permanência na residência.

Substituir lâmpadas para poupar

Substituir as lâmpadas incandescentes por lâmpadas fluorescentes compactas, que consomem cerca de 80% menos energia com a mesma luminosidade.

Cuidados a ter com os frigoríficos

20% do consumo do frigorifico (32% do total) é causado pela abertura das portas e o gelo acumulado também provoca aumento de consumo. Instale o frigorífico em lugares frescos e longe de fontes de calor e pode poupar cerca de 30%. Mantenha a parte traseira limpa e ventilada.

Máquinas de lavar loiça e roupa

Utilizar programas de baixas temperaturas, sempre com a carga máxima. O aquecimento da água da máquina de lavar roupa representa cerca de 80% do consumo. Ligar as máquinas em tomadas com interruptor para as desligar completamente.

https://jn.sapo.pt/2006/09/16/primeiro_plano/consumosfantasma_energia.html

Aparelhos desligados também gastam energia
https://www.oprimeirodejaneiro.pt/?op=artigo&sec=b6d767d2f8ed5d21a44b0e5886680cb9&subsec=&id=6dfcd15647bfb967aa9ca5fb4c057ae1

==========================
2. Tipo de construção também influencia factura energética

O Programa Ecofamílias, desenvolvido pela Quercus e a que a EDP se associou, tem por objectivo acompanhar 30 famílias, num total de 82 pessoas, para avaliar os consumos energéticos no sector doméstico (primeira fase que foi concluída em Abril deste ano) e implementar medidas com vista à redução de consumos, uma segunda fase que deverá ser concluída no próximo mês.

https://jn.sapo.pt/2006/09/16/primeiro_plano/tipo_construcao_tambem_influencia_fa.html

==========================
3. ASAE sem indícios de entrada de arroz transgénico em Portugal

A Autoridade para a Segurança Alimentar e Económica (ASAE) não possui indícios de que tenha entrado em Portugal arroz contaminado por um organismo geneticamente modificado nos Estados Unidos da América ou noutro país, assegurou ao “Jornal de Notícias” o vice-presidente da ASAE, Barreto Dias.

A entrada de arroz transgénico no espaço da União Europeia, onde é proibido, está a ser monitorizada pelas agências europeia e nacionais de segurança alimentar. Está a ser dedicada atenção especial a eventuais carregamentos contaminados pelo organismo “LL601”.

https://jn.sapo.pt/2006/09/16/sociedade_e_vida/asae_indicios_entradade_arroz_transg.html

==========================
4. Investigadores medem efeito tóxico do ozono nas plantas

As zonas rurais do Alentejo estão a ser alvo de um estudo que pretende avaliar a sensibilidade ao ozono, de forma a determinar os efeitos tóxicos sobre plantas e o seu efeito na agricultura.

“O ozono afecta a taxa de crescimento e a produtividade”, explicou o coordenador do projecto “Biozone”, João Vilhena, acrescentando que isso terá “repercussões, por exemplo, a nível do tamanho dos grãos ou da qualidade dos frutos”.

O projecto “Biozone”, que consiste na bio monitorização do ozono troposférico e avaliação da sensibilidade da vegetação mediterrânica, teve início em Dezembro de 2005, e está a ser desenvolvido em oito pontos de cultivo do Alentejo.

https://jn.sapo.pt/2006/09/16/sociedade_e_vida/investigadores_medem_efeito_toxico_o.html

==========================
5. Quercus quer gases nocivos controlados

Os ambientalistas da Quercus condenaram o que Portugal tem feito em relação à protecção da camada de ozono, alertando para a falta de tratamento dos gases dos aparelhos de frio que ameaçam o escudo vital do planeta.

https://jn.sapo.pt/2006/09/16/sociedade_e_vida/quercus_quer_gases_nocivos_controlad.html

==========================
6. 150 pessoas erguem à mão menir do Barrocal

O menir do Barrocal, em Reguengos de Monsaraz, considerado um dos mais importantes da Península Ibérica e que se encontra tombado, vai ser levantado por 150 pessoas através dos métodos primitivos – força física e cordas. A operação terá lugar no dia 23, por ocasião do equinócio de Outono, devido à importância que os equinócios e os solstícios teriam na orientação e significado destes monumentos.

https://jn.sapo.pt/2006/09/16/cultura/150_pessoas_erguem_a_menir_barrocal.html

==========================
7. Porto Vivo está a analisar 170 projectos para a Baixa

A sociedade Porto Vivo está a apreciar 170 projectos para a recuperação de imóveis da Baixa. A maioria dos promotores – desde proprietários de edifícios isolados a empresas – procura a reconversão dos edifícios para criar habitação, invertendo a tendência de um passado ainda recente em que se alteravam os usos dos espaços para acolher serviços.

https://jn.sapo.pt/2006/09/16/porto/porto_vivo_esta_a_analisar_projectos.html

==========================
8. Vendedores do Bolhão têm medo do futuro

O medo parece ser o sentimento comum a todos os comerciantes do mercado do Bolhão, no Porto. Um futuro incerto e o receio constante de perder o seu lugar no mercado e, consequentemente, o seu ganha-pão são os principais sentimentos que os invadem diariamente.

https://jn.sapo.pt/2006/09/16/porto/vendedores_bolhao_medo_futuro.html

==========================
9. Mais de 1200 hectares consumidos em seis anos

As chamas consumiram cerca de 1243 hectares de floresta em Gaia nos últimos seis anos. Metade dessa área ardeu em 2005. Já em 2006, o número de incêndios florestais diminui, registando-se uma redução significativa da área ardida (mais de 90 hectares) em relação ao ano passado. Esta tendência verificou-se, igualmente, ao nível do distrito do Porto.

https://jn.sapo.pt/2006/09/16/porto/mais_1200_hectares_consumidos_seis_a.html

==========================
10. Veículo mais criativo dá viagem a Paris

A Câmara de Matosinhos vai premiar o veículo mais criativo participante na Marcha da Mobilidade, que se realiza dia 24, no âmbito da Semana Europeia da Mobilidade.

O programa inclui ainda a “Viagem a Favor da Natureza”, em que a população de Matosinhos é convidada a levar resíduos para reciclar aos ecopontos da Marginal, recebendo um brinde em troca.

Um dos pontos altos da iniciativa será o Dia Europeu Sem Carros, sexta-feira, em que o concelho participa. “Serão nove dias de reflexão sobre a qualidade ambiental do nosso espaço urbano, durante o qual convidaremos a população a usufruir do espaço público”, disse o autarca.

https://jn.sapo.pt/2006/09/16/porto/veiculo_mais_criativo_viagem_a_paris.html

Prémios de mobilidade em Matosinhos
https://www.oprimeirodejaneiro.pt/?op=artigo&sec=eccbc87e4b5ce2fe28308fd9f2a7baf3&subsec=&id=9f813b66b46605ace95721908de5e0dc

==========================
11. Voluntários livram Aboboreira de entulho

A Associação dos Amigos de Rio Ovelha (AARO), com a colaboração de com quatro freguesias dos concelhos do Marco de Canaveses e Amarante promovem hoje, uma acção de limpeza das encostas da serra da Aboboreira, livrando-as de entulho lançado por incúria.

https://jn.sapo.pt/2006/09/16/norte/voluntarios_livram_aboboreira_entulh.html

==========================
12. [Como se pode contrariar a desertificação do interior? Retirando serviços essenciais?]

Fez 120 quilómetros por causa de ecografia

Uma grávida de risco andou, anteontem, mais de 120 quilómetros para realizar uma ecografia. Mais um caso que coloca em causa o polémico processo que levou ao encerramento da sala de partos de Mirandela, confirmado ao final da tarde de ontem, pelo Tribunal Administrativo e Fiscal de Mirandela. O Tribunal considerou válido o interesse público invocado pelo Ministério da Saúde na resolução fundamentada, pelo que os efeitos suspensivos das providências cautelares, apresentadas peplas câmaras de Mirandela, Macedo de Cavaleiros, Carrazeda de Ansiães e Alfândega da Fé, acabaram por não vingar.

https://jn.sapo.pt/2006/09/16/norte/fez_quilometrospor_causa_ecografia.html

Maternidade está desde ontem definitivamente fechada em Mirandela
https://www.oprimeirodejaneiro.pt/?op=artigo&sec=11c484ea9305ea4c7bb6b2e6d570d466&subsec=&id=51e847700e77ba96c30376123eb81ee3

==========================
13. Autarquias rejeitam mini-hídricas no Minho

Em uníssino, as autarquias do Vale do Minho clamam pelo abandono do projecto formulado pela EDP e União Fenosa com vista à criação de três mini-hídricas em cascata no troço internacional do rio Minho, assim como pela revogação do Convénio Luso-Espanhol de 1968, ao abrigo do qual a proposta foi apresentada.

Durante a visita efectuada ontem à região pelo secretário de Estado do Ambiente, Humberto Rosa, os autarcas aludiram mesmo ao estudo prévio apresentado aos dois países como “a maior ameaça que paira sobre o rio Minho”, tendo o líder da comunidade intermunicipal, Rui Solheiro, prometido “total oposição” à proposta. “Os inconvenientes que levaram ao chumbo da barragem de Cela (em 1998) são mesmo agravados”, acentuou, observando que, a concretizar-se a proposta, “tal constituiria a morte de significativo troço internacional do rio”.

https://jn.sapo.pt/2006/09/16/minho/autarquias_rejeitam_minihidricas_min.html

==========================
14. Novo shopping na Maia só com garantias

A Câmara da Maia fez depender ontem o licenciamento de um novo centro comercial junto à EN 13, nas Guardeiras, das soluções que o promotor vier a apresentar para garantir a fluidez de tráfego na zona. “Quero o ‘shopping’, sobretudo porque traz emprego, mas só se tiver a certeza de que não afectará o bem-estar” da população, disse à agência Lusa o presidente da autarquia, Bragança Fernandes.

https://www.oprimeirodejaneiro.pt/?op=artigo&sec=eccbc87e4b5ce2fe28308fd9f2a7baf3&subsec=&id=f297618eccb2f3f38c5fa25fc4183196

==========================
15. A vida para lá do automóvel

Arranca hoje e prolonga-se até ao dia 22 a Semana Europeia da Mobilidade. Por todo o País, 70 municípios mobilizam várias acções para sensibilizar as suas populações para os benefícios sociais, económicos e ambientais de trocar o carro por meios alternativos.
Setenta autarquias portuguesas vão, esta semana, lembrar os seus munícipes de que há vida para lá do automóvel, com descontos nos transportes, exposições e passeios, a fim de incentivar a mobilidade.

https://www.oprimeirodejaneiro.pt/?op=artigo&sec=b6d767d2f8ed5d21a44b0e5886680cb9&subsec=&id=a71e7228841f1c074d04c17659aa0774

==========================
16. “Impacto reduzido”

A Quercus defendeu que a Semana Europeia da Mobilidade tem impacto reduzido na alteração dos comportamentos e na retirada dos carros dos centros urbanos. “Assume essencialmente um aspecto comemorativo e pontual. Há medidas que por vezes são ensaiadas nessa semana, mas depois não são implementadas”, criticou o presidente da associação ambientalista.

https://www.oprimeirodejaneiro.pt/?op=artigo&sec=b6d767d2f8ed5d21a44b0e5886680cb9&subsec=&id=6331d1e191e9b86ab45ec0defbe24b93

==========================

Para se desligar ou religar veja informações no rodapé da mensagem.

O arquivo desta lista desde o seu início é acessível através de
https://groups.yahoo.com/group/pned/

Se quiser consultar os boletins atrasados veja
https://campoaberto.pt/boletimPNED/

==========================
INFORMAÇÃO SOBRE O BOLETIM INFOPNED:

Acima apresentam-se sumários ou resumos de notícias de interesse
urbanístico ou ambiental publicadas na edição electrónica do Jornal de
Notícias e d’O Primeiro de Janeiro (e ocasionalmente de outros jornais
ou fontes de informação).

Esta lista foi criada e é animada pela associação Campo Aberto, e está
aberta a todos os interessados sócios ou não sócios. O seu âmbito
específico são as questões urbanísticas e ambientais do Noroeste,
basicamente entre o Vouga e o Minho.

Para mais informações e adesão à associação Campo Aberto:

Campo Aberto – associação de defesa do ambiente
Apartado 5052
4018-001 Porto
telefax 22 975 9592
contacto@campoaberto.pt
www.campoaberto.pt
campo-aberto.blogspot.com

Selecção hoje feita por Cristiane Carvalho

======================================

Imprimir esta página Imprimir esta página

Categorias: Boletim

Deixar comentário