İzmir escort » İzmir eskort bayan » Vip Escorts beydağ escort bornova escort buca escort çeşme escort seferihisar escort beylikdüzü escort avrupa yakası escort mecidiyeköy escort beşiktaş escort Escort Paris porn tube porno porn porno amateur

windows 10 pro office 2019 pro office 365 pro windows 10 home windows 10 enterprise office 2019 home and business office 2016 pro windows 10 education visio 2019 microsoft project 2019 microsoft project 2016 visio professional 2016 windows server 2012 windows server 2016 windows server 2019 Betriebssysteme office software windows server https://softhier.com/ instagram takipçi instagram beğeni instagram görüntüleme instagram otomatik beğeni facebook beğeni facebook sayfa beğenisi facebook takipçi twitter takipçi twitter beğeni twitter retweet youtube izlenme youtube abone instagram

    15 Fevereiro de 2012 * Notícias 3

    Uma página de vez em quando, com sínteses e comentários de artigos ou notícias relacionadas com o novo interesse, aparente ou real, pela terra e pela ruralidade, recolhidos na imprensa que vou lendo (José Carlos Marques: jcdcm@sapo.pt). Para visitar a Campo Aberto, onde pode consultar as publicações hoje aqui referidas, veja o horário em: https://www.campoaberto.pt/2012/01/17/horario-de-abertura-da-campo-aberto/

    VIVER – VIDAS E VEREDAS DA RAIA
    O linho está vivo e recomenda-se! Outrora elemento imprescindível da tecelagem e do mundo rural, o linho foi quase totalmente destronado, primeiro pelo algodão, depois pelos tecidos sintéticos. O seu renascimento está muitas vezes associado a uma revitalização da ruralidade. Em Almaceda, concelho de Castelo Branco, decorreu em julho de 2011 um curso de «Cultura de Linho Têxtil», com 12 formandas. O curso incluiu uma demonstração ao vivo e pública de cada momento envolvido na produção e transformação do linho e permitiu às participantes efetuar as operações inerentes à instalação, manutenção, e colheita da cultura do linho, bem como a extração das fibras de linho e a sua aplicação teórica na área do têxtil. Esta é uma informação que pode ler no n.º 18 da revista Viver, juntamente com numerosos outros textos de interesse para o desenvolvimento local e rural. O número é centrado em volta da ideia de «a força da união», numa revista que visa o desenvolvimento sustentável da Beira Interior Sul, ou BIS * Viver – vidas e veredas da raia. Propriedade da ADRACES – Associação para o Desenvolvimento da Raia Centro-Sul (www.adraces.pt), editada por Camilo Mortágua. Rua de Santana, 277 * 6030-230 Vila Velha de Ródão, viver@adraces.pt

    TERRITÓRIOS EM REDE
    Desenvolvimento rural e Cooperação Lusófona. Temas relativos à cooperação portuguesa com os países em desenvolvimento, que tem sido direcionada sobretudo para os PALOP, Brasil e Timor Leste. Inclui um artigo sobre a associação alentejana MONTE, com 15 anos de existência, e que trabalha em cooperação desde 2001, cerca de uma década, nomeadamente com países africanos. A Monte tem trabalhado por exemplo em Cabo Verde, onde luta contra a pobreza e pelo desenvolvimento da boa governança, tentando aplicar nesse contexto a metodologia LEADER dos programas do mesmo nome patrocinados pela Comissão Europeia. Lançado em 1991, o LEADER foi a primeira política pública a dar grande autonomia às populações e atores locais para conceber, implementar e organizar o seu próprio desenvolvimento, tendo por via disso obtido eco muito favorável na sociedade civil (há quem diga que, nesse sentido, o LEADER está já morto! Veja-se neste número de Viver o artigo: Apresento-me como testemunha e confirmo: mataram o LEADER!). Aplicada pela Monte, a metodologia consegue estabelecer entre os parceiros uma confiança mútua e o desejo de desenvolver projetos comuns em meio rural. Territórios em Rede – Revista da Cooperação Leader. Editada por Minha Terra-Federação Portuguesa das Associações de Desenvolvimento Local, Rua Bartolomeu Dias, 172D-1.º esq.-1400-031 Lisboa, minhaterra@minhaterra.pt, https://www.minhaterra.pt

    LIBERNE
    Apologia de uma floresta diferente: título de um artigo da bióloga e ativista ambiental Helena Freitas, no n.º 88 da Liberne, revista editada pela LPN – Liga para a Protecção da Natureza, que é dedicado à floresta em 2011, Ano Internacional das Florestas. A floresta, que Gonçalo Ribeiro Telles considera um termo que em Portugal deveria ser substituído por «mata» (pois quase não há verdadeira floresta em Portugal), é um elemento importante da paisagem rural, embora certos tipos de florestação sejam favoráveis e outros nefastos ao mundo rural. A história da floresta portuguesa, por Jorge Paiva, os incêndios e a proteção da natureza, por Joaquim Sande Silva, as plantas invasoras, por Elizabete Marchante e Hélia Marchante, a floresta enquanto sumidouro de carbono, por Eugénio Menezes de Sequeira, e outros temas completam este número, que interessa seguramente aos agricultores e habitantes ou futuros habitantes das zonas rurais, que queiram conciliar a vida no campo com a conservação da natureza. Liberne. Liga para a Protecção da Natureza, Estrada do Calhariz de Benfica, 187 * 1500-124 Lisboa. lpn.natureza@lpn.pt * www.lpn.pt

    Imprimir esta página Imprimir esta página

    Categorias: Notícias

    Deixar comentário