İzmir escort » İzmir eskort bayan » Vip Escorts beydağ escort bornova escort buca escort çeşme escort seferihisar escort beylikdüzü escort avrupa yakası escort mecidiyeköy escort beşiktaş escort Escort Paris porn tube porno porn porno amateur

windows 10 pro office 2019 pro office 365 pro windows 10 home windows 10 enterprise office 2019 home and business office 2016 pro windows 10 education visio 2019 microsoft project 2019 microsoft project 2016 visio professional 2016 windows server 2012 windows server 2016 windows server 2019 Betriebssysteme office software windows server https://softhier.com/ instagram takipçi instagram beğeni instagram görüntüleme instagram otomatik beğeni facebook beğeni facebook sayfa beğenisi facebook takipçi twitter takipçi twitter beğeni twitter retweet youtube izlenme youtube abone instagram

    Está disponível para assinatura a petição para atribuição ao sobreiro do estatuto simbólico de Árvore Nacional de Portugal cujo texto reproduzimos em baixo.
    Apoie o movimento “Sobreiro: Árvore Nacional de Portugal” assinando e divulgando a petição criada para o efeito. Mantenha-se atento às novidades no blogue da campanha e na página do Facebook

    As associações Transumância e Natureza e Árvores de Portugal pretendem, com o presente comunicado, lançar um movimento que visa desencadear o processo de atribuição ao sobreiro do estatuto simbólico de Árvore Nacional de Portugal.
    Para fundamentar esta pretensão, encontram-se, entre outros, os seguintes motivos:

    • Por ser uma espécie com ampla distribuição no território nacional continental, presente desde o Minho ao Algarve, em diferentes ecossistemas naturais. O sobreiro ocupa em Portugal perto de 737 000 hectares (dados do Inventário Florestal Nacional de 2006, não incluindo alguns povoamentos jovens), o que corresponde a cerca de 32% da área que a espécie ocupa no Mediterrâneo ocidental.
    • Pela enorme biodiversidade associada aos habitats dominados pelo sobreiro, incluindo espécies em sério risco de extinção e com elevado estatuto de conservação, consideradas prioritárias a nível nacional e internacional.
    • Pelo facto dos montados serem um excelente exemplo, de como um sistema agro-silvo-pastoril tradicional pode ser sustentável, preservando os solos e, desse modo, contribuindo para evitar a desertificação e consequente despovoamento/desordenamento do território.
    • Pela crescente relevância que os bosques de sobreiro e os montados, incluindo a biodiversidade associada, estão a conquistar junto de novos sectores, como o sector do turismo, traduzindo-se numa mais-valia para as populações locais e para a economia nacional. Sublinhe-se que, na actualidade, existem entidades ligadas a este sector de actividade, que pretendem candidatar o montado a Património da Humanidade, com base no reconhecimento de que se trata de um ecossistema único no mundo.
    • Pela sua importância económica e social, resultante do facto de Portugal produzir cerca de 200 000 toneladas de cortiça por ano (mais de 50 % do total mundial), sendo este sector o único onde o nosso país possui uma posição de liderança a nível internacional, desde a matéria-prima até à comercialização, passando pela transformação. A perda desta liderança representaria um descalabro económico, social e ambiental sem paralelo para o nosso país.

    As duas associações que subscrevem este documento tudo farão para que, futuramente, se possam juntar a este movimento, diversas instituições nacionais e todos os cidadãos a título individual que assim o desejem, incluindo todos os que, directa ou indirectamente, estão relacionados com a cultura do sobreiro e com os produtos e serviços que dependem desta espécie e das formações vegetais que domina, com especial destaque para a indústria corticeira.

    Estamos cientes que, apesar da vigência do Decreto-Lei n.º 169/2001, há ainda um longo caminho a trilhar, junto das diversas instâncias da sociedade, para se conseguir uma sensibilização que conduza a uma efectiva preservação desta espécie e dos valores biológicos, paisagísticos, económicos e culturais associados à mesma.

    A classificação do sobreiro como Árvore Nacional de Portugal, poderia, em adição ao simbolismo do acto, ajudar a tornar mais visíveis os graves problemas associados, no presente, à cultura e preservação desta espécie, contribuindo, desta forma, para aumentar a pressão no sentido de se alcançarem as soluções necessárias para os mesmos.

    Algodres, 30 de Outubro de 2010

    Associação Transumância e Natureza
    Associação Árvores de Portugal

    Os signatários

    Imprimir esta página Imprimir esta página

    Categorias: Notícias

    6 comentários até agora.

    1. maria celeste ramos diz:

      é mais do que nacional
      não sei se haverá noutras longitudes – mas não deixa de ser deitada abaixo pelos mnistros do Turismo e do Ambiente para construir Campos de Golf-mcor

    2. José Alberto Pereira diz:

      É de toda a justiça este título. Somos os maiores produtores de cortiça do Mundo e tal deve-se, obviamente, ao sobreiro

    3. Pedro Germano diz:

      Se nós não tomarmos conta do que é nosso, quem o fará? 100% a favor da classificação proposta!

    4. Carlos dAlberto d'Abreu Ferreira Machado diz:

      já que a classificação de espécie protegida não evita a sua delapidação, criem-se então outros mecanismos para a sua defesa e esta é uma boa iniciativa, desde que contemple também a promoção da sua plantação; pela minha parte já plantei vários hectares de quercus suber, que cuido, na freguesia da Lousa (Douro)

    5. manel diz:

      temos de o preservar

    6. manel diz:

      temos de o preservar!!!!!!!!!!

    Deixar comentário