İzmir escort » İzmir eskort bayan » Vip Escorts beydağ escort bornova escort buca escort çeşme escort seferihisar escort beylikdüzü escort avrupa yakası escort mecidiyeköy escort beşiktaş escort Escort Paris porn tube porno porn porno amateur

    publicado na “Rádio Brigantia

    O Movimento Cívico pela Linha do Tua desafia os autarcas dos concelhos atravessados pela via-férrea e aos alcaides espanhóis, até Puebla de Sanábria, a unirem-se numa só voz para defender a reabertura, modernização e prolongamento da linha do Tua.
    Aquele movimento acredita ainda ser possível parar a construção da barragem do Tua.

    O Movimento Cívico da Linha do Tua, enviou vários documentos para os autarcas de Alijó, Carrazeda de Ansiães, Vila Flor, Murça, Mirandela, Macedo de Cavaleiros e Bragança, e para os alcaides de Pedralba de la Pradería e de Puebla de Sanábria, com o intuito de os desafiar a reunirem para que a defesa da linha centenária seja feita a uma só voz.
    Daniel Conde considera que é tempo de sacudir o marasmo e fazer perceber aos autarcas que é preciso pensar no futuro da região e não apenas nos respectivos concelhos. “O objectivo é sacudir de vez o marasmo que acontece na linha do Tua tanto na zona do vale como na parte encerrada até Bragança e pensando até no prolongamento até à Puebla de Sanábria” afirma.
    “Queremos convidar os autarcas a reunirem-se e a pensar e a pensar no futuro da região como um todo e não apenas no seu quintal” refere, argumentando que “reabrir a linha do Tua não seria uma obra muito cara e iria trazer desenvolvimento para a região”.

    Outro desafio do movimento vai no sentido de que os autarcas defendam um referendo regional definitivo sobre a reabertura, modernização e prolongamento da Linha do Tua, desde a estação do Tua até ao lago da Sanábria, passando pelo renovado aeroporto de Bragança e pela estação de Alta Velocidade da Puebla de Sanábria, na nova linha Madrid – Ourense – Vigo.
    “Há que ouvir a voz do povo e eu penso que aqui seria unânime em querer a reabertura, prolongamento e modernização da linha do Tua” afirma, confiante. “Lisboa não teria outro remédio se não ceder à vontade da população”.

    Ao lançar estes desafios, o movimento pretende que tenham o mesmo sucesso da coligação de autarquias que finalmente convenceu “Lisboa” a reabrir o troço Pocinho – Barca d’Alva na Linha do Douro.
    “Num dos documentos explicitamos lá o exemplo que houve com a reabertura da linha do Douro entre o Pocinho e Barca d’Alva em que foi a vontade dos autarca locais que fez com que se avançasse com a reabertura deste troço” lembra. “Não podemos estar À espera que Lisboa pense se é ou não rentável para a região reabrir a linha do Tua”.
    Para os autarcas seguiu também a proposta de afixar cartazes explicativos sobre as verdadeiras consequências, caso avance a construção da barragem do Tua.
    O Movimento Cívico da Linha do Tua espera por respostas dos autarcas até ao final deste mês.
    Escrito por CIR

    Imprimir esta página Imprimir esta página

    Categorias: Notícias

    Deixar comentário