İzmir escort » İzmir eskort bayan » Vip Escorts beydağ escort bornova escort buca escort çeşme escort seferihisar escort beylikdüzü escort avrupa yakası escort mecidiyeköy escort beşiktaş escort Escort Paris porn tube porno porn porno amateur

    Sábado pelas 15 horas, na Praça da Liberdade (ao pé do McDonalds).

    A União Europeia está em vias de aprovar pela primeira vez o arroz transgénico para consumo humano mas os portugueses – que consomem mais do dobro de arroz por ano do que qualquer outro europeu – nada sabem sobre a mudança fundamental que este pilar da alimentação e gastronomia está prestes a sofrer.

    Para alertar os consumidores para a importância de recusar este passo, que seria irreversível, e para sensibilizar o ministério da agricultura para a necessidade de votar contra esta aprovação, a Plataforma vai desenvolver uma série de acções públicas com início já neste sábado em Lisboa e Porto, o mesmo dia em que por toda a Europa (nomeadamente em Espanha, o país que mais cultiva transgénicos na UE) se celebra a agricultura sustentável sem engenharia genética.

    A acção – uma homenagem ao arroz doce – vai ter lugar neste Sábado pelas 15 horas, no Rossio, em Lisboa (junto às estátuas, para o lado do Teatro de Dª Maria) e na Praça da Liberdade, no Porto (ao pé do McDonalds). Um comunicado de imprensa detalhado será distribuído no evento e também estará disponível online logo no Sábado de manhã (em www.stopogm.net, onde já está disponível mais informação sobre este assunto).

    Plataforma Transgénicos Fora é uma estrutura integrada por doze entidades não-governamentais
    da área do ambiente e agricultura (ARP, Aliança para a Defesa do Mundo Rural Português; ATTAC,
    Associação para a Taxação das Transacções Financeiras para a Ajuda ao Cidadão; CAMPO ABERTO,
    Associação de Defesa do Ambiente; CNA, Confederação Nacional da Agricultura; Colher para Semear,
    Rede Portuguesa de Variedades Tradicionais; FAPAS, Fundo para a Protecção dos Animais
    Selvagens; GAIA, Grupo de Acção e Intervenção Ambiental; GEOTA, Grupo de Estudos de
    Ordenamento do Território e Ambiente; LPN, Liga para a Protecção da Natureza; MPI, Movimento
    Pró-Informação para a Cidadania e Ambiente; QUERCUS, Associação Nacional de Conservação da
    Natureza; e SALVA, Associação de Produtores em Agricultura Biológica do Sul) e apoiada por
    dezenas de outras.

    Para mais informações contactar info@stopogm.net ou www.stopogm.net.
    Mais de 10 mil cidadãos portugueses reiteraram já por escrito a sua oposição aos transgénicos.

    Imprimir esta página Imprimir esta página

    Deixar comentário