Sábado pelas 15 horas, na Praça da Liberdade (ao pé do McDonalds).

    A União Europeia está em vias de aprovar pela primeira vez o arroz transgénico para consumo humano mas os portugueses – que consomem mais do dobro de arroz por ano do que qualquer outro europeu – nada sabem sobre a mudança fundamental que este pilar da alimentação e gastronomia está prestes a sofrer.

    Para alertar os consumidores para a importância de recusar este passo, que seria irreversível, e para sensibilizar o ministério da agricultura para a necessidade de votar contra esta aprovação, a Plataforma vai desenvolver uma série de acções públicas com início já neste sábado em Lisboa e Porto, o mesmo dia em que por toda a Europa (nomeadamente em Espanha, o país que mais cultiva transgénicos na UE) se celebra a agricultura sustentável sem engenharia genética.

    A acção – uma homenagem ao arroz doce – vai ter lugar neste Sábado pelas 15 horas, no Rossio, em Lisboa (junto às estátuas, para o lado do Teatro de Dª Maria) e na Praça da Liberdade, no Porto (ao pé do McDonalds). Um comunicado de imprensa detalhado será distribuído no evento e também estará disponível online logo no Sábado de manhã (em www.stopogm.net, onde já está disponível mais informação sobre este assunto).

    Plataforma Transgénicos Fora é uma estrutura integrada por doze entidades não-governamentais
    da área do ambiente e agricultura (ARP, Aliança para a Defesa do Mundo Rural Português; ATTAC,
    Associação para a Taxação das Transacções Financeiras para a Ajuda ao Cidadão; CAMPO ABERTO,
    Associação de Defesa do Ambiente; CNA, Confederação Nacional da Agricultura; Colher para Semear,
    Rede Portuguesa de Variedades Tradicionais; FAPAS, Fundo para a Protecção dos Animais
    Selvagens; GAIA, Grupo de Acção e Intervenção Ambiental; GEOTA, Grupo de Estudos de
    Ordenamento do Território e Ambiente; LPN, Liga para a Protecção da Natureza; MPI, Movimento
    Pró-Informação para a Cidadania e Ambiente; QUERCUS, Associação Nacional de Conservação da
    Natureza; e SALVA, Associação de Produtores em Agricultura Biológica do Sul) e apoiada por
    dezenas de outras.

    Para mais informações contactar info@stopogm.net ou www.stopogm.net.
    Mais de 10 mil cidadãos portugueses reiteraram já por escrito a sua oposição aos transgénicos.

    Imprimir esta página Imprimir esta página

    Deixar comentário