A utilização da bicicleta é cada vez mais encarada como uma alternativa de transporte urbano. Silenciosa e amiga do ambiente (e da saúde dos seus utilizadores), a sua utilização nas cidades portuguesas vai crescendo timidamente.


    Dia 23 de Setembro, a partir das 21:30, no Clube Literário do Porto (Rua Nova da Alfândega, 22, Porto – à ribeira), a Campo Aberto organiza um debate com os seguintes convidados:


    • Miguel Torres, colaborador do projecto Futuro Sustentável, onde foi proposta uma rede de ciclovias para o Grande Porto;
    • Pedro Serra, do movimento Massa Crítica;
    • João Neves, responsável pelo projecto Civitas, em curso na cidade do Porto.


    Utilizadores, simpatizantes e mesmo opositores da utilização da bicicleta em meio urbano, todos ficam convidados a comparecer e a deixar o seu testemunho.


    Este debate surge no seguimento de uma conversa que se iniciou online quer no site da Campo Aberto quer no blog “A Baixa do Porto” a propósito da utilização da bicicleta como meio de transporte e dos potenciais conflitos que podem surgir entre peões, ciclistas e automobilistas. O debate insere-se ainda na semana europeia da mobilidade.


    Para receber informações regulares sobre as actividades da Campo Aberto subscreva a nossa lista electrónica através do formulário que encontra em https://www.campoaberto.pt/boletim-electronico/.







    Imprimir esta página Imprimir esta página

    3 comentários até agora.

    1. Debate “Ciclovias e utilização de bicicletas como transporte urbano” :: w a z z u p diz:

      […] da Alfândega, 22, Porto – à ribeira), a Campo Aberto organiza um debate com os […]Passamos a divulgar: A utilização da bicicleta é cada vez mais encarada como uma alternativa de transporte urbano. […]

    2. Biclas e tal | OsMeusApontamentos diz:

      […] cerca de um ano, num debate organizado pela Campo Aberto das diferentes intervenções fiquei com a ideia que mais do que construir ciclovias se calhar […]

    3. […] cerca de um ano, num debate organizado pela Campo Aberto das diferentes intervenções fiquei com a ideia que mais do que construir ciclovias se calhar […]

    Deixar comentário