İzmir escort » İzmir eskort bayan » Vip Escorts beydağ escort bornova escort buca escort çeşme escort seferihisar escort beylikdüzü escort avrupa yakası escort mecidiyeköy escort beşiktaş escort Escort Paris porn tube porno porn porno amateur

windows 10 pro office 2019 pro office 365 pro windows 10 home windows 10 enterprise office 2019 home and business office 2016 pro windows 10 education visio 2019 microsoft project 2019 microsoft project 2016 visio professional 2016 windows server 2012 windows server 2016 windows server 2019 Betriebssysteme office software windows server https://softhier.com/ instagram takipçi instagram beğeni instagram görüntüleme instagram otomatik beğeni facebook beğeni facebook sayfa beğenisi facebook takipçi twitter takipçi twitter beğeni twitter retweet youtube izlenme youtube abone instagram

    É, entre os lugares-comuns da vida e da ficção, um dos que mais facilmente desentope as vias lacrimais: a prenda amorosamente escolhida que nunca é entregue ao destinatário. É um sentimento agridoce, a nostalgia irremediável do que podia ter sido e nunca há-de ser. Que tem o diospireiro (Diospyros kaki) a ver com isto? Vamos por partes. Como se sabe, a Árvore de Natal e o Pai Natal são entre nós uma tradição espúria, importação anglo-saxónica que quase obliterou o Menino Jesus no seu Presépio. Mas, tirando o corte descontrolado de algumas coníferas a que felizmente se vai pondo freio, não há nada de intrinsecamente ruim na ideia da Árvore de Natal; a sua aplicação prática é que tem ampla margem para melhoria. (…)»


    As crónicas coligidas neste livro apareceram originalmente no blogue Dias com Árvores. Nelas se fala de árvores, citadinas ou não; de cidades, com ou sem árvores; de jardins e de espaços naturais. São três as cidades eleitas: o Porto, onde o autor se formou e onde vive; Angra do Heroísmo, na ilha Terceira, a mais bonita das cidades portuguesas; e Londres, onde o autor dá livre curso à sua anglofilia a pretexto de jardins, parques e cemitérios. Há ainda incursões por vários outros lugares do nosso país, da ria de Aveiro ao Minho e a Trás-os-Montes, e considerações judiciosas sobre a árvore de Natal, sobre a cromofobia (doença para a qual o autor foi o primeiro a alertar o público), sobre painéis publicitários nas estradas, e sobre pesca à linha. Tudo isto em 83 crónicas e mais de 150 fotos – mostrando, cada uma a seu modo, que Viver é Preciso.


    A Árvore de Natal do Senhor Ministro – Crónicas Arborescentes
    Edições Afrontamento / Colecção Viver é Preciso – n.º 22
    ISBN 9789723610123
    Data de publicação: Maio de 2009
    Número de páginas: 208

    Preço: 16,2 euros


    Críticas publicadas na imprensa:

    • Notícias Sábado
    • Revista Ler


    Veja ainda a apresentação pública de Paulo Araújo sobre o seu livro realizada na sede da Campo Aberto.

    Imprimir esta página Imprimir esta página

    Categorias: Catálogo

    Um comentário até agora.

    1. […] Biotério #2 | Aventar on Debate: “Biotério: futuro da ciência e experimentação animal”Livro “A Árvore de Natal do Senhor Ministro” | Campo Aberto – Associação de Defesa do… on A Árvore de Natal do Senhor Ministro – crónicas arborescentesDebate com os cabeça-de-lista […]

    Deixar comentário