Destaque: Casernas de Crianças

    Perguntas e observações indiscretas nunca foram do agrado de decisores
    discricionários, e há-os muitos por esse mundo e país fora, alguns dos quais
    disfarçados de ardentes democratas. Sobre as notícias de hoje poderiam
    perguntar-se coisas várias acerca do Bolhão, sugerir que as duas ruas que
    vão fechar ao trânsito durante dois anos para albergar os vendedors do
    Bolhão nunca reabram mas se transformem futuramente em mais duas ruas
    pedonais, perguntar se o Metro não estará inebriado com a sua própria
    grandeza e julgue ser agora a melhor solução para toda a mobilidade mesmo
    arrastando atrás de si soluções rudes, perguntar se, para além das coisas
    sedutoras que vão acontecer ao jardim de Ílhavo, o património vegetal vai
    sair reforçado ou diminuído com mais pedra e solo impermeabilizado, como é
    costume nas “requalificações” de agora, e por aí fora.

    Mas o que mais sombrio me parece no leque de hoje é o reforço da tendência
    para casernizar as escolas. Até aqui, eram as escolas secundárias com 2 ou 3
    mil alunos como moeda corrente, liquidando à partida qualquer hipótese de
    comunidade educativa, com os resultados desastrosos que se conhecem. Agora é
    a liquidação da escola rural, e já também da urbana, ao nível pré-primário e
    primário: em vez de pequenas comunidades educativas, a moda está na caserna.
    Amontoar 200 e tal crianças como em Resende, ou agora 500 na Serra do Pilar,
    é a última moda em “educação”. Claro, sempre com grandes fanfarras de
    melhoramentos sedutores e nobres objectivos pedagógicos. O preço virá a ser
    pago em anomia social, e não tardará muito. Mas Cassandra que se cale!
    Silêncio, pois ninguém a pode ouvir.
    JCM
    ====

    [Esta lista tem actualmente 403 inscritos.]

    Veja o site da Campo Aberto:
    https://www.campoaberto.pt/

    Comente, participe, divulgue.

    ====

    Caro Leitor do Boletim Diário PNED:

    Se ainda não o é, e se concorda, ainda que apenas em parte, com o que é e
    faz a Campo Aberto, e se julga útil apoiá-la, faça-se sócio!

    Em alternativa assine a revista Ar Livre (que os sócios também recebem).

    Peça informações:
    contacto@campoaberto.pt

    Para desligar-se/religar-se ou para ler as mensagens em modo página, net
    veja informações no rodapé da mensagem.

    O arquivo desta lista desde o seu início é acessível através de
    https://groups.yahoo.com/group/pned/

    ====
    BOLETIM PORTO E NOROESTE EM DEBATE
    resumo das notícias de ambiente e urbanismo em linha
    ====
    Quarta-feira, 23 de Janeiro de 2008
    ====

    1. Porto/AMP: Linha da Boavista: a mais vantajosa

    O estudo efectuado pela FEUP foi ontem apresentado na reunião da Câmara
    Municipal do Porto. Oliveira Marques revelou um elevado potencial da
    construção de uma linha na Avenida da Boavista e implementação de uma linha
    circular subterrânea atravessando a cidade.

    https://www.oprimeirodejaneiro.pt/?op=artigo&sec=eccbc87e4b5ce2fe28308fd9f2a7baf3&subsec=&id=1019791bea8206530e8ef01cecf09dd3

    ====

    2. Nacional: Passado dá confiança ao futuro

    O Presidente da República encerrou ontem, em Arouca e Santa Maria da Feira,
    a segunda Jornada do Património, iniciativa que pretendeu incentivar as boas
    práticas neste domínio. Cavaco Silva antevê dificuldades para o nosso País,
    mas afirma que os portugueses não devem ser pessimistas.

    https://www.oprimeirodejaneiro.pt/?op=artigo&sec=1679091c5a880faf6fb5e6087eb1b2dc&subsec=&id=2792479803f16d769057ec35af187bd8

    ====

    3. Porto: No Bonjardim por dois anos

    Está marcado o destino do Bolhão. Um único voto marcou a diferença na
    Assembleia Municipal do Porto e aprovou o contrato de requalificação.
    Enquanto seguem as obras, nos próximos dois anos o mercado vai funcionar ao
    ar livre, em duas ruas da cidade.

    https://www.oprimeirodejaneiro.pt/?op=artigo&sec=eccbc87e4b5ce2fe28308fd9f2a7baf3&subsec=&id=abaa4f34d56256f744452a24104db14d

    ====

    4. Ílhavo/Ria de Aveiro

    ÍLHAVO
    Jardim Oudinot vai ser alvo de recuperação

    A Câmara Municipal de Ílhavo adjudicou, por cerca de três milhões de euros,
    a recuperação do Jardim Oudinot, na Gafanha da Nazaré, considerado o ³maior
    parque da Ria de Aveiro², informou a autarquia. A empreitada foi adjudicada
    ao consórcio Conduril/Rosas Construtores, sendo o prazo de execução de cinco
    meses e resulta de um acordo financeiro entre a Câmara Municipal de Ílhavo e
    a Administração do Porto de Aveiro (APA). As infra-estruturas a serem
    construídas consistirão num ancoradouro
    de recreio, percursos pedonais e cicláveis, equipamentos
    desportivos, parques infantis e uma praia fluvial com apoio de bar. ³Com
    esta obra realizada pela Câmara Municipal de Ílhavo, no âmbito de um acordo
    de parceria com a APA, cumpre-se um importante objectivo do Plano Unir@Ria,
    materializando-se o maior Parque da Ria de Aveiro, e garantindo a sua
    disponibilização e fruição a todos, com uma nota de relevância para o acesso
    directo da população da Gafanha da Nazaré à Ria, na única zona onde isso é
    possível dentro da área portuária², refere uma nota municipal. O processo
    segue agora para visto do Tribunal de Contas.

    https://www.oprimeirodejaneiro.pt/?op=artigo&sec=e4da3b7fbbce2345d7772b0674a318d5&subsec=&id=8d9cefd00877e6f7df07b94f36cff9c8

    ====

    5. Europa/Mundo: Europa apresenta plano para travar emissões

    Durão apresenta hoje o plano

    Um plano único de atribuição de licenças de emissão de gases poluentes,
    diferenciado a partir do Produto Interno Bruto por habitante de cada país. O
    pacote legislativo do mercado energético que Durão Barroso apresenta hoje
    pede aos estados-membros que sejam mais ambiciosos na protecção do ambiente,
    e quem polui mais, terá que pagar por isso.

    https://jn.sapo.pt/2008/01/23/sociedade_e_vida/europa_apresenta_plano_para_travar_e.html

    ====

    6. Porto: Bolhão, o renascer de um símbolo?
    Gomes Fernandes, Arquitecto

    A o título, retirado com a devida vénia da revista informativa municipal da
    Câmara Municipal do Porto, “Porto sempre”, acrescento o ponto interrogativo,
    porque outro não foi o meu sentimento depois de ler, a páginas 010 a 013,
    tudo que aí diz e mostra sobre as intenções de futuro para este velho e
    carismático mercado.

    Não parto do pressuposto que alguns terão, de que “esta” Câmara pretende
    destruir tal equipamento colectivo, mas confesso que as seis páginas da
    revista, incluindo as ilustrações e sobretudo os desenhos esquemáticos
    expostos, me deixaram, de certo modo, arrepiado. Porque entendi, que a
    deliberação da maioria da Câmara se deverá ter fundamentado em pouco mais,
    no que toca a desenhos, doutro modo a revista tê-los-ia publicado para
    elucidação pública.

    https://jn.sapo.pt/2008/01/23/porto/bolhao_o_renascer_um_simbolo.html

    ====

    7. Porto: Avenida AEP não gera consenso

    Câmara defende que a Avenida AEP tenha ligação às ruas envolventes

    Ainda não há consenso quanto ao futuro perfil da Avenida AEP, entre o nó de
    Francos e a Rotunda dos Produtos Estrela, no Porto. No âmbito do alargamento
    do IC1 entre a ponte de Leça e a VCI, a Estradas de Portugal (EP) pretende
    convertê-la numa auto-estrada sem ligação às ruas da cidade na envolvente. A
    hipótese já foi rejeitada pela Câmara portuense, que não está disposta a
    abdicar da ambição de ter uma avenida com perfil urbano, servindo a futura
    Área Empresarial do Porto.

    O Ministério das Obras Públicas, Transportes e Comunicações responsabiliza a
    Autarquia por ainda não ter sido definido o projecto para o alargamento do
    IC1 no troço referido. Em resposta ao requerimento apresentado pelo deputado
    do PCP, Honório Novo, o chefe do gabinete do ministro Mário Lino assegura
    que a EP espera, desde Junho do ano passado, por “uma nova proposta de
    solução” do Município, uma vez que a empresa discorda do projecto camarário,
    elaborado pela Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP). “Não
    é possível, de momento, prever quando se poderá dar início à obra em
    questão”, lê-se no documento, com data de 19 de Dezembro do ano passado e
    levado, ontem de manhã, à reunião de Câmara do Porto pelo autarca comunista
    Rui Sá.

    https://jn.sapo.pt/2008/01/23/porto/avenida_nao_gera_consenso.html

    ====

    8. Porto: Bolhão já é de privados

    Comerciantes do Bolhão divididos. Nem todos têm medo de ser traídos pelo
    novo conceito comercial

    O projecto que venceu o concurso para a requalificação do mercado Bolhão, no
    Porto, não pode ser divulgado porque “não existe”. Não existindo, foi
    escolhido em detrimento de outro. Os comerciantes exigem, no período de
    obras, ser instalados no raio de 500 metros daquele mercado. A Câmara diz
    que já encontrou o local. Mas não diz, ainda, onde é. Embora possa ser na
    Rua do Bonjardim.

    A Associação de Comerciantes do Porto quer salvaguardar os direitos dos
    comerciantes. A Associação de Comerciantes do Bolhão agradece os direitos
    que ganhou. O contrato de concepção, construção e exploração do Bolhão foi
    aprovado, anteontem à noite, na Assembleia Municipal. A maioria PSD/CDS-PP
    votou a favor; PS, CDU e BE contra. Nos próximos 50 anos, o Bolhão
    pertencerá a uma entidade privada de capitais holandeses, a TramCoNe.

    https://jn.sapo.pt/2008/01/23/porto/bolhao_e_privados.html

    ====

    9. Gaia: Megaescola para 500 crianças vai avançar na Serra do Pilar

    Campus Escolar da Serra do Pilar vai ser construído num terreno com nove mil
    metros quadrados

    O Campus Escolar da Serra do Pilar para 500 crianças do jardim infantil e do
    primeiro ciclo, a piscina de Pedroso, o auditório de Vilar do Paraíso, a
    construção de novas ligações viárias e a beneficiação de arruamentos (ler
    texto em baixo) são as principais obras de um pacote de 25 milhões de euros
    que a Câmara de Gaia vai levar a votação na próxima reunião do Executivo. Em
    Março será apresentado um novo programa de investimentos, de valor idêntico,
    sendo que todas as empreitadas deverão começar entre Maio e Junho, de modo a
    ficarem concluídas no final do mandato.

    https://jn.sapo.pt/2008/01/23/porto/megaescola_para_criancas_avancar_ser.html

    ====

    INFORMAÇÃO SOBRE O BOLETIM INFOPNED:

    Acima apresenta-se o sumário e/ou resumos de notícias de interesse
    urbanístico/ambiental publicadas na edição electrónica do Jornal de
    Notícias e de O Primeiro de Janeiro (e ocasionalmente de outros
    jornais ou fontes de informação).

    Esta lista foi criada e é animada pela associação Campo Aberto, e está
    aberta a todos os interessados sócios ou não sócios. O seu âmbito específico
    são as questões urbanísticas e ambientais do Noroeste, basicamente entre o
    Vouga e o Minho.

    Selecção hoje feita por José Carlos Marques

    Para mais informações e adesão à associação Campo Aberto:

    Campo Aberto – associação de defesa do ambiente

    www.campoaberto.pt
    campo-aberto.blogspot.com

    Apartado 5052
    4018-001 Porto
    telefax 22 975 9592
    contacto@campoaberto.pt

    =============== PNED: Porto e Noroeste em Debate ===============

    Imprimir esta página Imprimir esta página

    Categorias: Boletim

    Deixar comentário