İzmir escort » İzmir eskort bayan » Vip Escorts beydağ escort bornova escort buca escort çeşme escort seferihisar escort beylikdüzü escort avrupa yakası escort mecidiyeköy escort beşiktaş escort Escort Paris porn tube porno porn porno amateur

    Arquivo para 2008

    A Campo Aberto escreveu, em 16 de Dezembro de 2008, ao Ministro das Finanças, exprimindo a sua clara e taxativa discordância em relação ao novo regime relativo a bens do domínio público, em preparação, e apoiando a posição da Plataforma Pelo Património Cultural, que pode ser lida aqui
    [...ler mais]

    Desde a sua fundação no ano 2000, a Campo Aberto – associação de defesa do ambiente tem dedicado atenção exigente e contínua à árvore e à arborização na cidade. A sua recente intervenção sobre o abate de árvores na Escola Secundária Aurélia de Sousa, no Porto, insere-se nesse contexto e ganha sentido a essa luz.

    Na sequência de carta enviada em 17 de Novembro de 2008 à Empresa Parque Escolar (E.P.E.), em que se protestava contra esse abate de árvores e se pediam esclarecimentos, foi recebida resposta que permitiu a uma delegação da associação encontrar-se no próprio local do abate com o responsável

    [...ler mais]

    Conforme aqui noticiámos na quarta-feira, dia 19 de Novembro, a Campo Aberto havia escrito à Parque Escolar, EPE (e também à Direcção Regional de Educação do Norte) pedindo explicações sobre o abate de árvores ocorrido em Outubro na Escola Secundária Aurélia de Sousa, no Porto. A resposta da Parque Escolar chegou-nos poucos dias depois, com data de 21 de Novembro, assinada pelo seu presidente, Eng.º João Sintra Nunes. Foi com agrado que registámos a prontidão e a cordialidade da resposta, coisa a que não estamos de modo nenhum habituados no nosso trato com a administração pública. A carta era
    [...ler mais]

    [...ler mais]

    Na terça-feira, 28 de Outubro de 2008, o nosso amigo Bernardino Guimarães usou a sua crónica quinzenal no Jornal de Notícias para fazer uma vigorosa denúncia do arboricídio que teve a infelicidade de testemunhar bem junto a sua casa, na Escola Secundária Aurélia de Sousa, no Porto.


    A escola, situada entre as ruas da Constituição e de Latino Coelho, ocupa o interior de um quarteirão e está cercada de prédios por todos os lados. Por isso, além dos moradores do local e dos utentes da escola, poucos terão dado conta do atentado – que, tirando a crónica de Bernardino Guimarães e uma outra de Jorge

    [...ler mais]