• Set : 17 : 2020 - ALERTA AOS CIDADÃOS: TRÊS JARDINS DO PORTO E 503 SOBREIROS EM GAIA AMEAÇADOS DE MUTILAÇÃO E ABATE
  • Mai : 14 : 2020 - Por Amor da Árvore 2020
  • Abr : 24 : 2019 - Poluição Luminosa
  • Ago : 11 : 2014 - Apelo ao boicote de alimentos com milho transgénico
  • Nov : 23 : 2011 - Petição pela salvaguarda das Sete Fontes

Veja o site da Campo Aberto:
https://www.campoaberto.pt/

Comente, participe, divulgue.

====

Caro Leitor do Boletim Diário PNED:

Se ainda não o é, e se concorda, ainda que apenas em parte, com o que é e
faz a Campo Aberto, e se julga útil apoiá-la, faça-se sócio!

Em alternativa assine a revista Ar Livre (que os sócios também recebem).

Peça informações:
contacto@campoaberto.pt

Para desligar-se/religar-se ou para ler as mensagens em modo página, net
veja informações no rodapé da mensagem.

O arquivo desta lista desde o seu início é acessível através de
https://groups.yahoo.com/group/pned/

====
BOLETIM PORTO E NOROESTE EM DEBATE
resumo das notícias de ambiente e urbanismo em linha

====
Quarta-feira, 14 de Novembro de 2007
====
1. Polis para a ria de Aveiro

A ria de Aveiro, um dos ex-libris da cidade, será alvo de um programa de
intervenção governamental, em tudo semelhante ao Polis. Quem o anunciou foi
o ministro do Ambiente, Nunes Correia, durante a discussão do Orçamento de
Estado na especialidade.

https://www.oprimeirodejaneiro.pt/?op=artigo&sec=e4da3b7fbbce2345d7772b0674a318d5&subsec=&id=30f28e217c265bce217e117612bfdca4

====

2. Petrogal Matosinhos Leça: Câmara quer saber o que está em risco à volta
da refinaria

Fogo na Petrogal, anteontem, despertou sentimento de insegurança

A Câmara de Matosinhos quer saber quais as urbanizações à volta da refinaria
de Leça da Palmeira que estão seguras ou em perigo, em caso de acidente.
Está, para isso, a redefinir o perímetro de segurança da Petrogal, onde,
anteontem, ocorreu mais um acidente que contribuiu para reacender o
sentimento de insegurança dos moradores. A planta, a elaborar em conjunto
com a direcção da refinaria para depois ser validada por uma entidade
externa, será tornada pública, em breve, para sossegar os munícipes.

“Os prédios à volta da refinaria estão em risco ou não? Estou convicto de
que não, mas não quero opiniões, quero certezas. Quero definir com clareza
num documento, assinado por ambos e validado por entidades externas, quais
são os limites de segurança da refinaria”, explicou, ao JN, o presidente da
Câmara.

Algums casas em dúvida

Guilherme Pinto diz-se convicto de que os prédios à face da Rua de Belchior
Robles (virados para a entrada principal da refinaria) cumprem
“rigorosamente o perímetro de segurança” da Petrogal. Aquelas edificações só
correm risco em caso de um acidente de grandes dimensões, cuja probabilidade
é, segundo o autarca, quase nula. Guilherme Pinto tem, porém, dúvidas sobre
a localização de algumas casas na Rua da Almeiriga, uma artéria que ladeia a
norte as instalações da empresa petrolífera. Mas prefere não se alongar em
comentários até o estudo estar concluído.

Para o presidente da Câmara de Matosinhos, a planta com o perímetro de
segurança, para além de informar os moradores, servirá para que a Petrogal,
no futuro, não faça nada que ponha em risco esse limite. Segundo o autarca,
uma das entidades que poderá ser chamada a validar a carta poderá ser a
CCDRN (Comissão de Coordenação e Desenvolvimento da Região Norte).

Murro na mesa não resolve

Um dia depois do incêndio que deflagrou na Estação de Tratamento de Águas
Residuais (ETAR) da refinaria de Leça, Guilherme Pinto voltou a insistir na
necessidade da Petrogal garantir que “não exportará perigos” para a
população. O autarca diz ainda que prefere manter o diálogo com a empresa
porque a segurança da população “não é um problema que se resolva com mais
ou menos murro na mesa”, como aconteceu nos últimos anos.

O incêndio de anteontem, extinto em cerca de uma hora, por mais de uma
centena de bombeiros, provocou um ferido grave, que permanecia, ontem,
internado na Unidade de Queimados do Hospital da Prelada, no Porto. A
vítima, com queimaduras que lhe afectaram a cara, os braços e o sistema
respiratório, estava ligada a um ventilador, mas deverá recuperar hoje a
respiração normal, segundo o director da unidade, citado pela Lusa.

“Plano de Emergência é público”

“As juntas de freguesia não só conhecem o Plano de Emergência de Matosinhos
como são chamadas a participar na elaboração do mesmo”. É desta forma que o
presidente da Câmara, Guilherme Pinto, reage às críticas lançadas por alguns
autarcas do concelho no dia em que a refinaria de Leça foi palco de mais um
incêndio. “Não faz sentido não quererem participar e depois virem dizer que
não conhecem o plano que, além do mais, é público”, atacou Guilherme Pinto.
Criado há 12 anos, o documento debruça-se precisamente sobre o complexo
industrial de Matosinhos, que inclui a Petrogal. “Já neste mandato, quisemos
dar-lhe uma leitura mais abrangente. Foi revisto e aprovado recentemente”,
recordou, lamentando que haja “quem só se lembre que não conhece o plano
quando há acidentes”. O documento define as estratégias a adoptar perante
vários tipos de acidentes, inclusive a evacuação de escolas, em caso de
necessidade. “Funciona como uma espécie de manual de instruções para quem
está a combater um acidente”, explicou Guilherme Pinto, sem poupar elogios à
acção da Protecção Civil, liderada pela vereadora Joana Felício, no dia do
incêndio na Petrogal. “Foi a primeira vez que tivemos um cordão de segurança
com total eficácia”.

https://jn.sapo.pt/2007/11/14/porto/camara_quer_saber_o_estaem_risco_a_v.html

====

3. Trás-os-Montes: 1800 crianças aprendem a preservar a água

Cada escola dará o seu contributo para o Museu Virtual da Água

Quase 1800 alunos do segundo ciclo do ensino básico vão participar num
projecto pioneiro de preservação dos recursos hídricos, promovido pela
empresa Águas de Trás-os-Montes (AdTMAD), e que conta com o apoio da UNESCO,
da União Europeia e da Agência Portuguesa do Ambiente (APA), entre outras
entidades. Foi apresentado ontem em Vila Real.

https://jn.sapo.pt/2007/11/14/norte/1800_criancas_aprendem_a_preservar_a.html

====

4. Sever do Vouga: Projecto Bio Rural premiado

O projecto Educação e Formação de Adultos “Jeito BioRural”, lançado, em
2004, pela Solidários – Fundação para o Desenvolvimento Cooperativo e
Comunitário, de parceria com a Câmara de Sever do Vouga, foi um dos
vencedores da fase nacional dos Prémios Europeus de Iniciativa Empresarial
(European Enterprise Awards 2007).

O projecto, que envolve, nesta segunda fase, quinze mulheres rurais, ganhou
o primeiro prémio na modalidade “iniciativa empresarial responsável”. Os
prémios foram revelados na segunda-feira, no Centro Cultural de Belém (CCB),
em Lisboa. Os European Enterprise Awards são promovidos pela Comissão
Europeia com o objectivo de incentivar a iniciativa empresarial e divulgar
as boas práticas que, nas diversas áreas, contribuam para criar um ambiente
favorável ao desenvolvimento sustentado das economias. O projecto “Jeito
BioRural”, que já abrangeu, desde 2004, 30 mulheres rurais com baixos níveis
de escolaridade, sem qualificação profissional e uma ténue intervenção na
vida das comunidades onde vivem, tem vindo a promover iniciativas destinadas
a fomentar a aquisição de competências pessoais, nos âmbitos familiar e
social, bem como as suas capacidades profissionais, procurando,
simultaneamente, estimular a capacidade empreendedora local (auto-emprego).
Os primeiros resultados do projecto, apoiado pelo Fundo Social Europeu e
pelo Estado Português, começam, agora, a ser visíveis, com o aparecimento
das primeiras hortas e de pequenos negócios vocacionados para a
comercialização de produtos (hortícolas e frutos) biológicos. Na calha está
a criação de uma loja de produtos biológicos, em Sever do Vouga, e a
certificação destes produtos.

https://jn.sapo.pt/2007/11/14/norte/projecto_rural_premiado.html

====

5. Silves: Alta tensão motiva nova manifestação

A não alteração de uma parte do traçado Portimão-Tunes para a zona de serra
pela Redes Energéticas Nacionais (REN) levou, ontem, uma vez mais, à
concentração dos moradores de Silves junto às instalações da empresa, em
Lisboa. Sérgio Santos, porta-voz dos moradores de Vale Fuzeiros, e Paulo
Lopes, membro da comissão de moradores de Agualva, Sintra, foram recebidos
por Artur Lourenço, representante da REN, que garantiu remeter para a
administração da empresa os problemas das populações, afectadas pelas linhas
de muito alta tensão. Segundo Sérgio Santos, Artur Lourenço referiu que se
“houver luz verde do Governo, a REN deslocará a linha para norte”. Do
encontro ficou a garantia de uma reunião na Câmara de Silves com entidades
ministeriais, REN e moradores, no sentido de encontrar uma solução para o
problema. Na segunda-feira, os moradores algarvios entregaram a Jaime Gama,
presidente da Assembleia da República, uma petição com mais de 4500
assinaturas para levar o tema a discussão no Parlamento. CA

https://jn.sapo.pt/2007/11/14/pais/alta_tensao_motiva_nova_manifestacao.html

====

INFORMAÇÃO SOBRE O BOLETIM INFOPNED:

Acima apresenta-se o sumário e/ou resumos de notícias de interesse
urbanístico/ambiental publicadas na edição electrónica do Jornal de
Notícias e de O Primeiro de Janeiro (e ocasionalmente de outros
jornais ou fontes de informação).

Esta lista foi criada e é animada pela associação Campo Aberto, e está
aberta a todos os interessados sócios ou não sócios. O seu âmbito específico
são as questões urbanísticas e ambientais do Noroeste, basicamente entre o
Vouga e o Minho.

Selecção hoje feita por José Carlos Marques

Para mais informações e adesão à associação Campo Aberto:

Campo Aberto – associação de defesa do ambiente

www.campoaberto.pt
campo-aberto.blogspot.com

Apartado 5052
4018-001 Porto
telefax 22 975 9592
contacto@campoaberto.pt

=============== PNED: Porto e Noroeste em Debate ===============

Imprimir esta página Imprimir esta página

Categorias: Boletim

Deixar comentário