• Set : 17 : 2020 - ALERTA AOS CIDADÃOS: TRÊS JARDINS DO PORTO E 503 SOBREIROS EM GAIA AMEAÇADOS DE MUTILAÇÃO E ABATE
  • Mai : 14 : 2020 - Por Amor da Árvore 2020
  • Abr : 24 : 2019 - Poluição Luminosa
  • Ago : 11 : 2014 - Apelo ao boicote de alimentos com milho transgénico
  • Nov : 23 : 2011 - Petição pela salvaguarda das Sete Fontes

[Esta lista tem actualmente 394 participantes inscritos.]

Veja o site e o blogue da Campo Aberto:
https://www.campoaberto.pt/
https://campo-aberto.blogspot.com/

Comente, participe. Divulgue!

==========================
Caro Leitor do Boletim Diário PNED:

Se ainda não o é, e se concorda, ainda que apenas em parte, com o que é
e faz a Campo Aberto, e se julga útil apoiá-la, faça-se sócio!

Em alternativa assine a revista Ar Livre (que os sócios também recebem).

Peça informações:
campo_aberto@oninet.pt

==========================

BOLETIM PORTO E NOROESTE EM DEBATE
resumo das notícias de ambiente e urbanismo em linha

Quinta-feira, 07 de Dezembro de 2006

==========================

Para os textos integrais das notícias consultar as ligações indicadas.

==========================
1. Aquecimento global afecta vida nos oceanos

O fitoplâncton, um conjunto de algas microscópicas que é parte essencial da cadeia alimentar nos oceanos, será consideravelmente afectado pelo aquecimento climático, indica um estudo divulgado pela revista científica britânica “Nature”.

A vida marinha dos trópicos e das latitudes temperadas será severamente afectada pelo défice desses microrganismos causado pelo aquecimento das águas, segundo a equipa de investigação botânica de Michael Behrenfeld, da Universidade de Oregon (EUA).

Para se desenvolver nas camadas superiores dos oceanos, o fitoplâncton precisa de luz e de azoto, tal como de fosfatos e ferro, mas estes nutrientes provêm dos fundos frios e são as correntes que os fazem chegar à superfície.

Neste estudo, a equipa de Behrenfeld compilou mais de 10 anos de dados registados por satélites para compreender como é que essas minúsculas plantas reagem às mudanças de temperatura.

Um desses satélites, o SeaWiFS da NASA, mede a luz reflectida pelos oceanos, que varia em função da presença ou não de plâncton.

A partir desses dados, os investigadores estabeleceram um estado do fitoplâncton que testemunha duas importantes alterações no período estudado.

Assim, de 1997-98, a produção de fitoplâncton aumentou durante um arrefecimento relativo dos oceanos devido a uma inversão do fenómeno El Niño.

Mas, de 1999 a 2004, no regresso do ciclo de aquecimento do El Niño, o fitoplâncton diminuiu, para aumentar de novo em 2005 e 2006. Se, como mostram algumas simulações, as alterações climáticas provocam aparecimentos mais frequentes, ou mesmo a permanência, do El Niño.

Para os cientistas, estes resultados permitem ligar a temperatura na superfície dos oceanos à produção de fitoplâncton e constituem um excelente indicador do que poderá acontecer por efeito do aquecimento climático.

Além de ser um elemento essencial da cadeia alimentar, o fitoplâncton absorve dióxido de carbono, um dos principais gases com efeito de estufa e responsável pelo aquecimento global.

https://jn.sapo.pt/2006/12/07/sociedade_e_vida/aquecimento_global_afecta_vida_ocean.html

==========================
2. Árvores da cidade serão tratadas pela Escola do Rodo

O parque arbóreo de Peso da Régua vai ser podado e cuidado por alguns alunos, professores e funcionários da Escola Profissional Agrícola do Rodo, localizada em Godim. Um protocolo assinado entre a Câmara Municipal e aquele estabelecimento de ensino permitirá também aumentar os espaços urbanos ajardinados.

Para cumprir a missão, a Escola Profissional do Rodo compromete-se a criar, num terreno anexo ao estabelecimento, um centro reprodutor de plantas e de flores.

O pesidente do Conselho Executivo da escola, Luís Maduro, anunciou, ao JN, que “os trabalhos da poda terão início em breve e logo após a queda total das folhas das árvores “. Ou seja, no início do próximo mês. Todas as operações ” terão a preocupação de cortar o menos possível e as podas radicais não serão adoptadas”, assegurou aquele responsável.

Plano em elaboração

“A Régua é uma cidade que necessita de mais árvores e as que existem precisam de ser cuidadas de modo a produzir mais sombra”, acrescentou Luís Maduro. Será também estabelecido entre as duas entidades um plano que ditará como, onde e de que forma as intervenções serão efectuadas e que deverá estar acertado até final deste mês.

As zonas de Peso da Régua que vão merecer especial atenção será a Avenida João Franco, o Largo da Estação, a Alameda dos Capitães e a Avenida Sebastião Ramirez. Em relação aos jardins, o estabelecimento de ensino vai também fazer o seu tratamento, bem como a colocação de novas plantas.

De referir que algumas árvores na cidade são de raízes superficiais , o que tem provocado problemas. “A nossa aposta será na plantação, ou substituição quando se justificar, de árvores de raízes profundas”, disse Luís Maduro.

https://jn.sapo.pt/2006/12/07/norte/arvores_cidade_serao_tratadas_pela_e.html

==========================
3. Empreiteiros vão ser obrigados a depositar entulho

A Câmara de Chaves está a estudar uma alteração ao Regulamento Municipal de Urbanização e Edificação para tentar acabar com uma “praga” que está a tomar conta do concelho o abandono ilegal de entulhos em terrenos baldios. Embora, para já, o assunto ainda esteja em fase de análise, a alteração deverá passar pela introdução, no regulamento, da obrigatoriedade de os construtores possuírem meios de recolha própria, sob pena de a licença de construção não lhes ser emitida.

https://jn.sapo.pt/2006/12/07/norte/empreiteiros_ser_obrigados_a_deposit.html

==========================
4. Executivo analisa alteração ao PDM de Valongo

A Câmara de Valongo pretende proceder a uma alteração pontual do Plano Director Municipal (PDM), na cidade de Ermesinde. A proposta que será hoje analisada em reunião de executivo visa alterar a classificação de zona industrial numa parcela de terreno junto à Avenida Duarte Pacheco. O terreno, contíguo a uma superfície comercial, deverá passar a estar classificado como espaço urbano, destinando-se, por isso, à edificação com fins habitacionais, equipamento, comércio e serviços. Nesta zona que a autarquia pretende alterar a classificação no PDM existiu uma fábrica têxtil que foi encerrada há, pelo menos, uma década estando desde então devoluta e em crescente degradação.

https://www.oprimeirodejaneiro.pt/?op=artigo&sec=eccbc87e4b5ce2fe28308fd9f2a7baf3&subsec=&id=e588b3be029eef1097caa9f9c4081289

==========================

Para se desligar ou religar veja informações no rodapé da mensagem.

O arquivo desta lista desde o seu início é acessível através de
https://groups.yahoo.com/group/pned/

Se quiser consultar os boletins atrasados veja
https://campoaberto.pt/boletimPNED/

==========================
INFORMAÇÃO SOBRE O BOLETIM INFOPNED:

Acima apresentam-se sumários ou resumos de notícias de interesse
urbanístico ou ambiental publicadas na edição electrónica do Jornal de
Notícias e d’O Primeiro de Janeiro (e ocasionalmente de outros jornais
ou fontes de informação).

Esta lista foi criada e é animada pela associação Campo Aberto, e está
aberta a todos os interessados sócios ou não sócios. O seu âmbito
específico são as questões urbanísticas e ambientais do Noroeste,
basicamente entre o Vouga e o Minho.

Para mais informações e adesão à associação Campo Aberto:

Campo Aberto – associação de defesa do ambiente
Apartado 5052
4018-001 Porto
telefax 22 975 9592
contacto@campoaberto.pt
www.campoaberto.pt
campo-aberto.blogspot.com

Selecção hoje feita por Cristiane Carvalho

======================================

Imprimir esta página Imprimir esta página

Categorias: Boletim

Deixar comentário