• Set : 17 : 2020 - ALERTA AOS CIDADÃOS: TRÊS JARDINS DO PORTO E 503 SOBREIROS EM GAIA AMEAÇADOS DE MUTILAÇÃO E ABATE
  • Mai : 14 : 2020 - Por Amor da Árvore 2020
  • Abr : 24 : 2019 - Poluição Luminosa
  • Ago : 11 : 2014 - Apelo ao boicote de alimentos com milho transgénico
  • Nov : 23 : 2011 - Petição pela salvaguarda das Sete Fontes

No último número da Porto Sempre, revista de propaganda da Câmara Municipal do Porto, continuam a afirmar-se “inverdades” sobre as obras de “requalificação” da Avenida dos Aliados e da Praça da Liberdade.
Na página 9 da referida revista afirma-se: « (…) A intervenção, em grande parte condicionada pela construção da estação subterrânea do Metro (…) implicou uma profunda reformulação à superfície. Optou-se pelo alargamento dos passeios em 6 metros de cada lado e a consequente redução da placa central en cerca de oito, o que confere aos Aliados um impacte visual mais homogéneo e moderno, “rasgado” desde a Praça General Humberto Delgado até às Cardosas, segundo um conceito de avenida única e não fragmentada nas suas tradicionais unidades: Praça Humberto Delgado, Aliados e Praça da Liberdade.(…)».

Que placa central? Há duas placas centrais. E não é verdade que se tenha verificado um estreitamento da placa central inferior dos Aliados onde se encontram as estátuas dos Meninos e da Menina Nua (“Abundância ” e “Juventude”, ambas da autoria de Henrique Moreira).
A largura desta placa mantem-se inalterada como qualquer pessoa pode verificar no local e pelas fotografias.

“ACABOU. Já não há jardins!” -(25.11.05)

Imprimir esta página Imprimir esta página

Deixar comentário