İzmir escort » İzmir eskort bayan » Vip Escorts beydağ escort bornova escort buca escort çeşme escort seferihisar escort beylikdüzü escort avrupa yakası escort mecidiyeköy escort beşiktaş escort Escort Paris porn tube porno porn porno amateur

windows 10 pro office 2019 pro office 365 pro windows 10 home windows 10 enterprise office 2019 home and business office 2016 pro windows 10 education visio 2019 microsoft project 2019 microsoft project 2016 visio professional 2016 windows server 2012 windows server 2016 windows server 2019 Betriebssysteme office software windows server https://softhier.com/ instagram takipçi instagram beğeni instagram görüntüleme instagram otomatik beğeni facebook beğeni facebook sayfa beğenisi facebook takipçi twitter takipçi twitter beğeni twitter retweet youtube izlenme youtube abone instagram

    No JN: «Requalificação, da responsabilidade da Empresa do Metro, arranca no início da próxima semana

    Passeios, faixas de rodagem e placa central terão o mesmo piso granito
    Polémica quanto baste, a empreitada de requalificação da Avenida dos Aliados, no Porto, arrancará no início da próxima semana, apurou o JN, junto da Metro. Empresa e Câmara do Porto estão a ultimar, por estes dias, os preparativos da operação (nomedamente no que concerne aos desvios de trânsito), que vai durar cinco meses. Pelo menos, se for cumprido o prazo de execução do projecto, que é de 150 dias. Em Março do próximo ano, a “sala de visitas” da cidade estará completamente diferente, segundo o traço dos arquitectos Siza Vieira e Souto Moura. Investimento estimado 4,8 milhões de euros.

    Estátua dará meia volta
    A calçada portuguesa desaparecerá dos passeios, que ficarão com um piso semelhante ao das faixas de rodagem e serão mais largos. A placa central da avenida emagrecerá. Os antigos canteiros serão substituídos por árvores ao longo de toda a artéria, mas com maior densidade junto nas imediações da Câmara do Porto, para onde foi projectada uma fonte. Ali serão colocados, também, 30 bancos. Os condutores continuarão a usufruir de três faixas de rodagem, em cada sentido, sendo que, contudo, uma delas será destinada a transportes públicos. A estátua de D. Pedro IV dará meia volta, virando-se para os Paços do Concelho.

    As alterações são muitas e nem os elogios do IPPAR (Instituto Português de Património Arquitectónico) esmorecem a indignação de associações ambientalistas e de defesa do património, que contestam a mudança radical de um dos mais emblemáticos locais da cidade. O facto da comissão parlamentar que está a apreciar uma petição popular contra a empreitada ainda não ter elaborado um relatório final também não impede que as máquinas avancem no terreno.

    O fim da calçada portuguesa é uma das principais objecções de quem contesta.A opção dos arquitectos foi fazer tudo – passeios, arruamentos e placa central – com cubos de granito em “rabo de pavão” (o novo piso já é visível nos acessos às estações subterrâneas do metro).

    Uma medida que passou, também, pela convicção de que o facto do piso da estrada ser igual ao do passeio favorece a circulação mais reduzida dos automóveis. O projecto de Siza Vieira e de Souto Moura é pormenorizado. Os arquitectos indicam quais os materiais a usar nos mais diversos equipamentos guias, rampas, sumidouros, caldeiras, marcos de incêndio, tampas de pavimento, ecopontos, fonte, armários para cobrir caixas de electricidade, papeleiras, cadeiras, quiosques, cabinas telefónicas e iluminação. O objectivo também passa por uniformizar o mobiliário urbano.

    A requalificação da Avenida dos Aliados centrar-se-á na área compreendida entre a Câmara e o Palácio das Cardosas. Mais tarde, avançará a requalificação da Praça de Almeida Garrett/Avenida da Ponte e da Rua de Camões, entre a estação da Trindade e Gonçalo Cristóvão. Estas duas obras ainda não foram sequer adjudicadas. Deverão ficar prontas até ao final do primeiro semestre de 2006.

    Pormenores
    Duração das obras -O período de duração das obras dependerá, sobretudo, da dimensão das muitas alterações ao trânsito que é preciso efectuar. Se forem permitidos desvios mais fortes, a empreitada demorará menos; se forem mais ligeiros, os trabalhos terão de decorrer a ritmo mais lento.
    Memórias do passado-O mobiliário urbano recupera alguns dos materiais usados noutros tempos, como os candeeiros (idênticos aos do princípio do século) e os telefones públicos (regresso das cabinas vermelhas).
    Calçada noutra rua- A calçada portuguesa,nomeadamente os desenhos, serão colocados na Rua de Sampaio Bruno (pedonal). »

    Imprimir esta página Imprimir esta página

    Deixar comentário