Opinião # 14

por | Out 22, 2005 | sem categoria | 1 Comentário

Pesquisando mais uma vez nos jornais o (pouco) que se tem escrito sobre a Avenida e a Praça e o que lá tem vindo a ser “burilado” encontrei esta passagem de uma entrevista a Beatriz Pacheco Pereira (que sobre o assunto já aliás tinha expresso veementemente a sua opinião num artigo aqui aqui transcrito).

«Para além de fazer o retrato do país, escreve (nestas 67 crónicas) sobre a cidade do Porto, sobre “os que a amam e os que a detestam, fingindo amá-la”. De que lado é que está?
Eu estou do lado dos que a amam e detesto os que a detestam. [risos]

Na crónica a que deu o título «O Bairrismo dos Provincianos», fala, a determinada altura, do “estilo português de ser do contra”. As suas crónicas, sendo raramente a favor, também se inserem neste estilo?
Sim, eu acho que a unanimidade é uma coisa muito inerte. Não tem vida. O ser do contra é muito fácil, no meu caso, porque eu tenho visto tanta asneira, nos últimos anos, em relação à cidade do Porto! A começar por uma coisa recentíssima: anuncia-se a requalificação da Avenida dos Aliados e não há um coro de pessoas que diga que isto é uma vergonha, que lá por ser do Siza Vieira ou do Souto Moura não pode avançar.
Não se pode modernizar o solo e dizer que depois a cidade fica mais bonita. E vão acabar com valores que são nossos: a calçada portuguesa, os jardins. Nós temos jardineiros que fazem aqueles desenhos muito intrincados nos canteiros. Ia-se a pé à Baixa, passava-se pelos canteiros, e via-se desenhos lindíssimos. O que é que nós vamos fazer àqueles artistas que concebiam aqueles canteiros? Vamos pô-los a jardinar no Parque da Cidade, onde pouca gente aprecia…
Mas as nossas artes vulgares, até mais populares e mais humildes, são valores da nossa cultura que o Porto não pode perder. Sou visceralmente contra o arranjo que está proposto para a Avenida dos Aliados, como sou visceralmente contra o que fizeram ao jardim da Cordoaria ou à Praça dos Leões.»


in Entrevista a Beatriz Pacheco Pereira a propósito de lançamento do seu novo livro de crónicas: Do Porto e do Olhar [Fólio edições] in O Primeiro de Janeiro (31 de Julho 2005)

Outras Notícias

1 Comentário

  1. Alexandre Borges Gomes

    Ha, Beatriz, Manuela, música para os meus ouvidos… Mas será assim tão difícil de ver?
    Bem hajam,
    Alexandre BG.

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Anadolu Yakası Türk Escort fethiye escort gaziantep escort gaziantep escort maltepe escort bostancı escort anadolu yakası escort izmir escort bayan bonus veren siteler escort ankara ankara escort tempobet deneme bonusu veren siteler deneme bonusu ataşehir escort Marsbahis Mebbis belugabahis grandpashabet betist matbet holiganbet trendyol indirim kodu vevobahis Bahçeşehir Escort slot siteleri https://en-iyi-10-slot-siteleri.com starzbet adamsah.net marsbahis tipobet betonred marsbahis bahsegel bahiscom bahiscom belugabahis belugabahis betist betist celtabet celtabet klasbahis klasbahis mariobet mariobet restbet restbet tarafbet tarafbet tipobet tipobet casibom casibom casibom casibom starzbet sahnebet limanbet redwin matadorbet matadorbet betkom betkom casibom casibom casibom casibom matadorbet bahis siteleri blackjack siteleri CasinoBonanza casino bonanza deneme bonusu rulet siteleri sweet bonanza casino siteleri casino siteleri casino siteleri mersin günlük kiralık ev istanbul escort bayan casibom mariobet casibom Betkom betkom seo casibom marsbahis sekabet sekabet jojobet casibom casibom meritking Jojobet Jojobet