13 de Fevereiro de 2003

    (Para qualquer problema com esta lista, seguir por favor as instruções do
    rodapé desta mensagem.)

    Editorial: Pessoas e Classes

    Um arquitecto famoso faz um projecto mas a Câmara de Viana considera que o
    projecto viola planos já aprovados. Significa isso que o arquitecto é mau?
    Certamente que não, apenas que em situações complexas devem ser tidos em
    conta factores complexos, e entre estes figuram concepções urbanísticas,
    necessariamente mais amplas que a obra isolada.

    Criticam-se por erros de ocupação do território certos autarcas, certos
    empreiteiros. Significa isso que a “classe” dos autarcas ou a “classe” dos
    empreiteiros é toda ela abrangida pela mesma crítica? Certamente que não.
    Classes são sempre abstracções, ainda que operativas. Na verdade, apenas
    existem pessoas, embora muitas vezes fazendo parte de uma malha que as
    ultrapassa.

    E se é certo que se cometem erros nestes domínios, erros são também
    cometidos em muitos outros domínios, por muitas outras “classes” ou melhor
    pessoas. Embora a crítica seja útil e necessária, o seu objectivo não é
    fixar-se no erro mas antes abrir caminho à solução. E para vir a haver
    solução é preciso ter em conta toda a complexidade por vezes quase
    indestrinçável de situações criadas, de interesses contraditórios, de
    objectivos que se sobrepõem. Nem por isso é menos imperativo procurar a
    solução. A não ser que se desista, claro.

    Seguem-se os resumos de notícias de interesse urbanístico/ambiental
    publicadas na edição electrónica do JN e Público, incluindo Local Porto, em
    13 de Fevereiro de 2003. A selecção é da responsabilidade da associação
    Campo Aberto. Para os textos integrais consultar as referidas páginas ou a
    respectiva edição em papel.

    PNED = Porto e Noroeste em Debate

    Notícias fora deste âmbito geográfico podem a título excepcional ser
    incluídas por apresentarem interesse evidente para questões relativas ao
    Porto e Noroeste.

    13 de Fevereiro de 2003

    JN

    Autarcas insistem em ETAR conjunta

    Póvoa e Vila do Conde conjugam esforços
    Céu Salazar

    Os presidentes das câmaras de Vila do Conde e da Póvoa de Varzim voltaram a
    unir esforços em busca de uma solução que permita a construção de uma
    Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) e de um emissário submarino
    no porto poveiro, que se destinam a tratar os efluentes dos dois municípios.

    De Quinta de Furamontes a horto

    O viveiro municipal ocupa os terrenos da antiga Quinta de Furamontes,
    propriedade de sete hectares adquirida, em Dezembro de 1937, pela Câmara
    Municipal do Porto, através de expropriação.

    “Fábrica” de plantas a servir toda a Invicta

    Viveiro municipal do Porto, em Campanhã, tem sete hectares, onde são geradas
    milhares de flores que embelezam as ruas da cidade
    carla sofia luz

    Sete hectares escondidos em Campanhã. Os muros do viveiro municipal do
    Porto, ao fundo da Rua das Areias, não deixam adivinhar a beleza que se
    esconde: milhares de flores e de plantas numa verdadeira “fábrica” que
    abastece toda a Invicta. É de lá que saem as plantas de grande diversidade
    (tulipas, amores-perfeitos, camélias ou gardénias) para embelezar os
    canteiros e os edifícios públicos.

    Junta de Campanhã contra encerramento de escola

    Fernando Amaral apoia reivindicações dos pais
    erika nunes

    A Associação de Pais e Encarregados de Educação da Escola Básica n.º 8,
    situada na Praça das Flores, reuniu-se, ontem à tarde, com o presidente da
    Junta de Freguesia de Campanhã (Porto), Fernando Amaral, no sentido de
    coordenar estratégias que impeçam o encerramento daquele estabelecimento de
    ensino. Na reunião, participaram, ainda, pais e encarregados de educação
    que, entretanto, formaram uma comissão específica para resolver esse
    assunto.

    Viana do Castelo: Associação ambientalista ameaçada com processo

    Autarquia vai escutar corpos gerentes de colectividade de Afife. Comunicado
    relativo à instalação de vacarias na origem da polémica
    LUÍS OLIVEIRA

    A Câmara de Viana do Castelo decidiu auscultar os corpos gerentes da
    Associação de Protecção e Conservação do Ambiente (APCA) para saber se
    subscrevem as afirmações contidas num comunicado emitido pela colectividade
    e, então, participar o caso ao Ministério Público.

    VIANA DO CASTELO :

    Câmara impede instalação de escola no antigo hospital

    Projecto de remodelação foi assinado por Alcino Soutinho, mas autarca diz
    que contraria Plano de Pormenor do centro histórico
    LUÍS OLIVEIRA

    O projecto de reabilitação do edifício do antigo hospital, propriedade da
    Santa Casa de Misericórdia, foi chumbado pela Câmara Municipal. No imóvel,
    um dos ex-líbris da cidade, pretendia o Instituto Politécnico de Viana do
    Castelo (IPVC) instalar a futura Escola Superior de Artes, estabelecimento
    que terá, agora, de aguardar por melhores dias.

    SANTO TIRSO :

    Há ilegalidades nas câmaras para fazer obras do Estado

    Castro Fernandes, presidente da Câmara de Santo Tirso, defende mais
    transferências do Orçamento de Estado, directamente para as autarquias
    PEDRO VILA-CHÃ

    Apesar das dificuldades económicas que se reflectem na contenção de despesas
    das autarquias locais, a Câmara de Santo Tirso tem em curso um conjunto de
    projectos que pretendem fixar equipamentos públicos e privados. O pólo
    tecnológico e o hospital fazem parte do rol das prioridades em lista de
    espera. Castro Fernandes diz que os municípios têm praticado ilegalidades,
    ao adquirir terrenos para a instalação de escolas, hospitais e tribunais,
    mas essa é a única forma de garantir os equipamentos.

    Figueira da Foz: PSD desafia José Sócrates a visitar aterro de Maiorca

    paulo dâmaso
    A comissão antiaterro de Maiorca foi, ontem, recebida na Assembleia da
    República (AR) por elementos dos grupos parlamentares do CDS-PP e do PSD,
    que ficaram a conhecer a situação que “aflige” as populações do Baixo
    Mondego. Os populares prometem apoio e os sociais-democratas desafiaram o
    ex-ministro do Ambiente a visitar o local.

    Público

    Rui Sá Critica Junta Metropolitana
    Por MARGARIDA GOMES

    O vereador da CDU na Câmara do Porto, Rui Sá, responsabiliza a actual equipa
    dirigente da Junta Metropolitana do Porto (JMP), liderada pelo
    social-democrata Valentim Loureiro, que é também presidente da edilidade de
    Gondomar, pelo processo da regionalização ter sido chumbado pelos
    portugueses através do referendo. TEXTO

    Imprimir esta página Imprimir esta página

    Categorias: Boletim

    Deixar comentário