• Ago : 11 : 2014 - Apelo ao boicote de alimentos com milho transgénico
  • Nov : 23 : 2011 - Petição pela salvaguarda das Sete Fontes
  • Jul : 6 : 2011 - Perigo para Paisagem Protegida Valongo
  • Jun : 17 : 2010 - Corte de Árvores na Circunvalação – resposta da C.M. Porto
  • Jun : 15 : 2010 - Corte de Árvores na Circunvalação

Veja o site da Campo Aberto:
http://www.campoaberto.pt/

Comente, participe. Divulgue!

==========================
Caro Leitor do Boletim Diário PNED:

Se ainda não o é, e se concorda, ainda que apenas em parte, com o que é e faz a Campo Aberto, e se julga útil apoiá-la, faça-se sócio!

Em alternativa assine a revista Ar Livre (que os sócios também recebem).

Peça informações:
contacto@campoaberto.pt

==========================

BOLETIM PORTO E NOROESTE EM DEBATE
resumo das notícias de ambiente e urbanismo em linha

Quinta-feira, 28 de Fevereiro de 2008

==========================

Para os textos integrais das notícias consultar as ligações indicadas.

==========================
1. Cidades já têm a maioria da população mundial

Pela primeira vez na história, a maioria da população mundial viverá nas cidades, em 2008, revela um estudo demográfico da ONU, adiantando que os habitantes citadinos do planeta duplicarão em 2050.

Elaborado pela Divisão da População do Departamento de Assuntos Sociais e Económicos das Nações Unidas, o estudo indica que a população mundial que vive na cidade duplicará de 3300 milhões, em 2007, para 6400 milhões, em 2050, e salienta que em 2008, pela primeira vez na história, mais de metade dos habitantes do planeta vão residir numa cidade.

http://jn.sapo.pt/2008/02/28/sociedade_e_vida/cidades_tem_a_maioriada_populacao_mu.html

==========================
2. Ex-ministra classificou o Bolhão

O mercado do Bolhão, no Porto, já está classificado como imóvel de interesse público. A decisão foi tomada em Fevereiro de 2006 pela antiga ministra da Cultura socialista, Isabel Pires de Lima, reconhecendo o valor arquitectónico e urbanístico do edifício, enquanto exemplar notável da corrente artística Beaux Arts, e o valor histórico-social, enquanto espaço emblemático da vida colectiva da cidade. O edifício original começou a ser construído em 1851 (retirando as estruturas precárias que existiamm nesse terreno). Porém, só foi transformado no imóvel que hoje conhecemos entre os anos de 1914 e 1917. A obra foi conduzida pelo arquitecto António Correia da Silva por decisão da primeira vereação republicana da Câmara portuense. O presidente era o negociante Elísio de Melo.

http://jn.sapo.pt/2008/02/28/porto/exministra_classificou_o_bolhao.html

==========================
3. Gestão dos dois mercados entregue aos privados

A gestão do mercado do Bom Sucesso será privatizada, pelo menos, por 50 anos, embora a Câmara do Porto admita renovar a concessão por mais duas décadas. À semelhança do que sucedeu com os mercados do Bolhão e de Ferreira Borges, a galeria comercial da Praça de Lisboa e o Pavilhão Rosa Mota, a Maioria PSD/PP, liderada por Rui Rio, pretende entregar a exploração deste equipamento camarário a privados através do lançamento de um concurso público internacional.

http://jn.sapo.pt/2008/02/28/porto/gestao_dois_mercados_entregue_privad.html

==========================
4. Grupo ARS desenhou Bom Sucesso

O mercado de Bom Sucesso, no Porto, está em vias de classificação como imóvel de interesse público pelo Instituto de Gestão do Património Arquitectónico e Arqueológico (antigo IPPAR). Considerado um dos exemplares da arquitectura moderna, o edifício foi concebido pelo grupo ARS Arquitectos nos anos 50. A Câmara do Porto, liderada pelo coronel Licínio Preza, encomendou o projecto à ARS, com vista a solucionar o problema das exíguas instalações dos antigos mercados do Anjo e do Peixe que funcionavam na Cordoaria. A equipa de projectistas contava com o engenheiro Cunha Leão e os arquitectos Morais Soares, Fortunato Cabral e António Neves. A inauguração do imóvel, cuja construção custou dez mil contos ao Município, teve lugar em Maio de 1952.

http://jn.sapo.pt/2008/02/28/porto/grupo_desenhou_sucesso.html

==========================
5. “Negócio sem obras é uma roleta”
Maria Barbosa Lima, Comerciante de frutas

Já não se ouve pregões como antigamente dentro do mercado, antes vozes inquietas, palavras de incerteza. “Dantes ficava rouca de tanto chamar pelos fregueses”, lembra Maria Barbosa Lima, há mais de 40 anos a vender frutas de “boa qualidade” no Bom Sucesso. Agora, o futuro é uma incógnita e a anunciada privatização causa receios, medos.

http://jn.sapo.pt/2008/02/28/porto/negocio_obras_e_roleta.html

==========================
6. Douro limpou 103 lixeiras

No espaço de um ano e meio a Região do Alto Douro Vinhateiro livrou-se de 103 lixeiras. Estes são os resultados da acção Douro Limpo – Campanha de Sensibilização e Educação Ambiental no Alto Douro Vinhateiro, que serão hoje apresentados e que foram avançados ao JANEIRO por Margarida Marques, da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro.

http://www.oprimeirodejaneiro.pt/?op=artigo&sec=e4da3b7fbbce2345d7772b0674a318d5&subsec=&id=2b36f87ab0e1082a9f00995b13a37ca8

==========================
7. Bolhão no Campo 24 de Agosto

A Câmara do Porto ainda não foi informada, mas a Associação de Comerciantes do Mercado do Bolhão já fez saber que a mudança provisória para o parque do Campo 24 de Agosto tem a concordância dos lojistas. As condições de funcionamento estão a ser estudadas com a TramCroNe.

http://www.oprimeirodejaneiro.pt/?op=artigo&sec=eccbc87e4b5ce2fe28308fd9f2a7baf3&subsec=&id=086aa5f232644fc799e652a89a0c5304

==========================
8. Câmara do Porto vai abrir concurso para concessionar a requalificação e exploração do mercado
Bom Sucesso posto «à venda»

Depois do Bolhão e do Ferreira Borges, também o Mercado do Bom Sucesso será entregue a privados. A Câmara do Porto anunciou ontem que irá abrir um concurso público para concessionar o espaço, afiançando que neste processo serão salvaguardados o património e os comerciantes.

http://www.oprimeirodejaneiro.pt/?op=artigo&sec=eccbc87e4b5ce2fe28308fd9f2a7baf3&subsec=&id=2adf9254948be143b12570cccd9395c0

==========================
9. Empresa quer aproveitar lamas de ETAR como fonte de energia renovável

Uma empresa de Viana do Castelo anunciou ontem um projecto inovador que visa o aproveitamento das lamas das estações de tratamento de águas residuais (ETAR) como fonte de energias renováveis.

Nuno Alves, da empresa PA Residel, explicou que o objectivo é aproveitar as lamas das ETAR do Alto Minho e utilizá-las na produção de «pellets» de madeira, depois de devidamente misturadas com o serrim.

Segundo o responsável, este projecto, a concretizar-se, resolverá o problema do desembaraçamento das 3.118 toneladas anuais de lamas produzidas nas ETAR do Alto Minho e será responsável pela produção de 50 mil toneladas anuais de «pellets» de madeira. Os «pellets» são uma fonte de energia renovável pertencente à classe da biomassa, sendo que, actualmente, apenas são produzidos a partir da limpeza das florestas e dos desperdícios da indústria da madeira.
Toda essa matéria é recolhida, triturada e seca, ficando um pó que depois é comprimido para obter a forma final. O resultado é um composto 100 por cento natural, com um elevado poder calorífico devido à reduzida humidade.

http://www.oprimeirodejaneiro.pt/?op=artigo&sec=e4da3b7fbbce2345d7772b0674a318d5&subsec=&id=bcf51a23b97bae7fef2536a2e661e94f

==========================

Para se desligar ou religar veja informações no rodapé da mensagem.

O arquivo desta lista desde o seu início é acessível através de
http://groups.yahoo.com/group/pned/

Se quiser consultar os boletins atrasados veja
http://campoaberto.pt/boletimPNED/

==========================
INFORMAÇÃO SOBRE O BOLETIM INFOPNED:

Acima apresentam-se sumários ou resumos de notícias de interesse
urbanístico ou ambiental publicadas na edição electrónica do Jornal de
Notícias e d’O Primeiro de Janeiro (e ocasionalmente de outros jornais
ou fontes de informação).

Esta lista foi criada e é animada pela associação Campo Aberto, e está
aberta a todos os interessados sócios ou não sócios. O seu âmbito
específico são as questões urbanísticas e ambientais do Noroeste,
basicamente entre o Vouga e o Minho.

Para mais informações e adesão à associação Campo Aberto:

Campo Aberto – associação de defesa do ambiente
Apartado 5052
4018-001 Porto
telefax 22 975 9592
contacto@campoaberto.pt
www.campoaberto.pt

Selecção hoje feita por Cristiane Carvalho

======================================

Imprimir esta página Imprimir esta página

Categorias: Boletim

Deixar comentário