[Esta lista tem actualmente cerca de 400 participantes inscritos.]

    Veja o site da Campo Aberto:
    https://www.campoaberto.pt/

    Comente, participe. Divulgue!

    ==========================
    Caro Leitor do Boletim Diário PNED:

    Se ainda não o é, e se concorda, ainda que apenas em parte, com o que
    é e faz a Campo Aberto, e se julga útil apoiá-la, faça-se sócio!

    Em alternativa assine a revista Ar Livre (que os sócios também recebem).

    Peça informações:
    contacto@campoaberto.pt

    ==========================

    BOLETIM PORTO E NOROESTE EM DEBATE
    resumo das notícias de ambiente e urbanismo em linha

    Quarta-feira, 4 de Junho de 2008

    ==========================

    Para os textos integrais das notícias consultar as ligações indicadas.

    ==========================
    1. Porto: Gesto quer S. João em Cândido dos Reis

    https://jn.sapo.pt/paginainicial/pais/concelho.aspx?Distrito=Porto&Concelho=Porto&Option=Interior&content_id=953821

    ==========================
    2. Dez cavalos abatidos a tiro no Corno do Bico

    Cavalos de raça garrana foram abatidos a tiro de caçadeira com
    zagalote, entre anteontem e ontem, em plena Paisagem Protegida de
    Corno de Bico. As autoridades estão a investigar mas, para já, não
    encontram explicações para a chacina.

    https://jn.sapo.pt/paginainicial/pais/concelho.aspx?Distrito=Viana do
    Castelo&Concelho=Paredes de Coura&Option=Interior&content_id=954034

    ==========================
    3. Guimarães: Câmara admite “profunda remodelação” do projecto do
    Largo do Toural

    Maioria dos munícipes disse-se contra parque de estacionamento na
    praça central da cidade. Há dificuldade em obter financiamento

    O presidente da Câmara de Guimarães, António Magalhães, admitiu que o
    projecto para a remodelação do Largo do Toural deverá ser
    “profundamente alterado” antes da sua aprovação. De acordo com o
    autarca, o parque de estacionamento subterrâneo projectado para aquele
    espaço não deve fazer parte da proposta final. Magalhães entende que o
    facto de “80 por cento das pessoas se terem pronunciado contra o
    parque de estacionamento subterrâneo” justifica alterações profundas
    no projecto. Deste modo, a câmara vai recuar na sua intenção de
    construir um parque de subterrâneo para 300 automóveis na praça
    central da cidade. Segundo o autarca, neste momento estão já a ser
    estudadas propostas alternativas para a localização do estacionamento.
    O projecto de reformulação do Largo do Toural é um dos cinco projectos
    que a autarquia apresentou em Setembro. Os projectos foram sujeitos a
    discussão durante vários meses. Em Março, a autarquia organizou um
    debate sobre o tema e prometeu para breve as decisões. Mas os
    projectos estão, segundo António Magalhães, “ainda em fase de
    apreciação”.
    O autarca acrescenta que a concretização das propostas depende da
    aprovação das candidaturas do município a fundos europeus e nacionais.
    “A principal questão, neste momento, tem a ver com o suporte
    financeiro que podemos ter”, afirmou. Outra questão que tem atrasado a
    decisão sobre os cinco projectos é a candidatura de Guimarães a
    Capital Europeia da Cultura. “2012 fragiliza-nos para 2009”, admitiu
    Magalhães, sublinhando que algumas das propostas não poderão avançar
    antes do final do actual mandato. A autarquia aguarda ainda por uma
    decisão formal de Bruxelas e quer também receber “sinais claros do
    Governo” em relação ao orçamento da CEC, avaliado em 111 milhões de
    euros.
    O vereador do PSD Rui Vítor Costa entende que a posição do líder do
    executivo é “um bom sinal”. “Todos os projectos tiveram uma ampla
    discussão pública e sempre entendemos que todos os contributos deviam
    ser tidos em conta”, afirmou o social-democrata. Costa acredita que
    este recuo da autarquia tem também a ver com “dificuldade em encontrar
    financiamento para os projectos” que tem vindo a atrasar a decisão. O
    único dos cinco projectos já em andamento é o CampUrbis, um pólo de
    ciência e tecnologia que será instalado no antigo quarteirão
    industrial, e cujas primeiras valências deverão ficar prontas até ao
    fim de 2008. As outras prioridades da câmara são a requalificação do
    antigo mercado municipal e a construção do novo espaço para a feira
    semanal.
    Rui Vítor Costa concorda com a prioridade dada ao velho mercado: “A
    requalificação tem que avançar com urgência para resolver os problemas
    criados ao comércio tradicional, que tem sofrido as consequências da
    mudança de localização do mercado.”

    https://jornal.publico.clix.pt/default.asp?url=%2Fmain%2Easp%3Fdt%3D20080604%26page%3D25%26c%3DB

    ==========================
    4. Porto: Abaixo-assinado a favor de uma extensão da Cinemateca

    Estudantes universitários do Porto lançaram um abaixo-assinado a
    reclamar a instalação de um pólo da Cinemateca Portuguesa na Invicta.
    Postado na internet, o documento já foi subscrito por mais de 2200
    pessoas. No entanto, a recolha também está a ser feita pelos métodos
    tradicionais.

    https://www.oprimeirodejaneiro.pt/?op=artigo&sec=eccbc87e4b5ce2fe28308fd9f2a7baf3&subsec=&id=8d8760de7e0d398c9959966919d96b7a

    “É triste o estado a que chegámos?

    Vinte anos após a morte de Henriques Alves Costa, crítico, historiador
    de cinema e formador de gerações de cinéfilos portuenses, reabre-se o
    debate sobre a instalação de um pólo da Cinemateca Portuguesa no
    Porto. Um sonho que Alves Costa nunca viu concretizado.
    A luta pela abertura de um pólo da Cinemateca Portuguesa no Porto está
    de novo na ordem do dia decorridos 20 anos, neste preciso dia, sobre o
    falecimento do crítico e historiador de cinema Henrique Alves Costa,
    formador de gerações de cinéfilos portuenses. ?Essa foi uma batalha de
    toda a vida do meu pai que ele nunca viu concretizada?, disse à Lusa
    Isabel Alves Costa, actriz, programadora cultural e professora de
    Expressão Dramática. A antiga directora artística do Rivoli, que
    recentemente foi distinguida pelo Governo francês com o Grau de
    Cavaleira da Legião de Honra para sua actividade em prol da cultura,
    confessa a sua decepção pela actual situação da exibição
    cinematográfica no Porto. ?É muito triste o estado a que chegámos
    nesta cidade que teve um lugar tão importante na história do cinema em
    Portugal?, afirma. Em meados dos anos 70, o Porto dispunha de mais de
    três dezenas de salas de cinema, desde o gigantesco Coliseu, às
    pequenas salas estúdio como a Sala Bebé (do Batalha), passando pelo
    Trindade, Sá da Bandeira, Batalha, Olympia, Rivoli, Nun?Álvares, Vale
    Formoso, ou o Águia d?Ouro. Dessas salas, apenas o Passos Manuel,
    sala-estúdio construída no interior do Coliseu nos anos 70, continua a
    passar filmes. É o único que resiste na Baixa do Porto. Na Boavista,
    zona ocidental da cidade, estão as salas do Shopping Cidade do Porto
    [operadas pela Atalanta Filmes, de Paulo Branco] que passam filmes não
    americanos. A outra excepção é o Teatro Campo Alegre, que mantém uma
    programação de cinema não comercial, coordenada por António Costa. As
    novas salas ?multiplex? do centro comercial Dolce Vita, junto ao
    Estádio do Dragão, na zona oriental da cidade, passam os mesmos filmes
    dos grandes estúdios americanos, presentes nos shoppings à volta da
    cidade. ?É lamentável que não seja praticamente possível ver filmes
    europeus – e de outros pontos do globo – e na cidade?, afirma. Isabel
    Alves Costa defende que ?a Cinemateca Portuguesa não é a cinemateca de
    Lisboa, é nacional, por isso devia estender a sua actividade a todo o
    país, pelo menos às capitais de distrito?. Isabel Alves Costa lamenta
    que a exibição cinematográfica tenha sido remetida, pelas leis do
    mercado, para as salas ?multiplex? dos ?shoppings? dos concelhos
    limítrofes do Porto, pertencentes à grande distribuidora nacional, que
    praticamente monopoliza o mercado.

    https://www.oprimeirodejaneiro.pt/?op=artigo&sec=eccbc87e4b5ce2fe28308fd9f2a7baf3&subsec=&id=955e548e3ec8d3cd41ecfbe3cac6bd96

    ==========================
    5. Gaia: Menezes inaugura refúgio ornitológico

    O primeiro refúgio ornitológico criado em Portugal por iniciativa
    municipal vai ser formalmente inaugurado amanhã na Bacia de Sampaio,
    Gaia, numa área com cerca de 20 hectares onde já foram referenciadas
    mais de 100 espécies de aves. ?Este refúgio é um importante ponto de
    apoio à nidificação das aves e às migrações?, afirmou Nuno Oliveira,
    director do Parque Biológico de Gaia, que coordena este novo espaço de
    protecção ambiental. A cerimónia de inauguração contará com a presença
    do presidente da Câmara de Gaia, Luís Filipe Menezes, e será seguida
    de uma sessão de observação de aves. Na Bacia de Sampaio já foram
    referenciadas mais de uma centena de espécies de aves, entre as quais
    garças-reais, corvos marinhos e piscos de peito azul, variando as
    populações conforme a época do ano. O denominado Refúgio Ornitológico
    do Estuário do Douro foi criado num espaço pertencente ao domínio
    público marítimo, na sequência de um acordo assinado em Dezembro entre
    o Parque Biológico de Gaia e a Administração dos Portos do Douro e
    Leixões (APDL).
    Trata-se, segundo Nuno Oliveira, que uma zona importante ?no contexto
    das zonas húmidas que as aves necessitam para se alimentarem e
    descansarem durante as rotas migratórias?. O refúgio ornitológico
    assume, desta forma, um papel de ?área de serviço? para as aves
    migratórias, que ali podem descansar na sua viagem. Depois do acordo
    assinado em Dezembro, a zona foi limpa e sinalizada, prevendo Nuno
    Oliveira que o primeiro observatório de aves possa ser instalado
    dentro de dois meses. Posteriormente, o local será também dotado com
    um bar de apoio e instalações sanitárias, além de um segundo posto
    para observação de aves.

    https://www.oprimeirodejaneiro.pt/?op=artigo&sec=eccbc87e4b5ce2fe28308fd9f2a7baf3&subsec=&id=a2803bb7df347e4e2851061f0510e373

    ==========================

    Para se desligar ou religar veja informações no rodapé da mensagem.

    O arquivo desta lista desde o seu início é acessível através de
    https://groups.yahoo.com/group/pned/

    Se quiser consultar os boletins atrasados veja
    https://campoaberto.pt/boletimPNED/

    ==========================
    INFORMAÇÃO SOBRE O BOLETIM INFOPNED:

    Acima apresentam-se sumários ou resumos de notícias de interesse
    urbanístico ou ambiental publicadas na edição electrónica do Jornal de
    Notícias, do Público e d’O Primeiro de Janeiro (e ocasionalmente de
    outros jornais ou fontes de informação).

    Esta lista foi criada e é animada pela associação Campo Aberto, e está
    aberta a todos os interessados sócios ou não sócios. O seu âmbito
    específico são as questões urbanísticas e ambientais do Noroeste,
    basicamente entre o Vouga e o Minho.

    Para mais informações e adesão à Associação Campo Aberto:
    contacto@campoaberto.pt
    telefax 229759592
    Apartado 5052, 4018-001 Porto

    Selecção hoje feita por Paulo Araújo

    =============== PNED: Porto e Noroeste em Debate ===============

    Imprimir esta página Imprimir esta página

    Categorias: Boletim

    Deixar comentário