İzmir escort » İzmir eskort bayan » Vip Escorts beydağ escort bornova escort buca escort çeşme escort seferihisar escort beylikdüzü escort avrupa yakası escort mecidiyeköy escort beşiktaş escort Escort Paris porn tube porno porn porno amateur

    Caro Leitor do Boletim Diário PNED:

    Se ainda não o é, e se concorda, ainda que apenas em parte, com o que
    é e faz a Campo Aberto, e se julga útil apoiá-la, faça-se sócio.

    Campo Aberto – associação de defesa do ambiente
    www.campoaberto.pt
    Apartado 5052
    4018-001 Porto
    telefax 22 975 9592

    ======================
    ==========================
    BOLETIM PORTO E NOROESTE EM DEBATE
    resumo das notícias de ambiente e urbanismo em linha

    Segunda-feira, 2 de Junho de 2008

    ==========================
    Para os textos integrais das notícias consultar as ligações indicadas.
    ==========================
    ==========================
    1. Crónica: Metrópolis do Porto, SA

    Há 70 anos, surgiu pela primeira vez na “Action Comics” o mítico
    Super-Homem, correcto e aumentado de super-vilão em super-herói da
    luta contra o Mal e a injustiça em Metrópolis.

    O super-herói português tem 67 anos, é reformado, e, mesmo sem outro
    superpoder que não a consciência cívica, é, há meia década, o mais
    persistente adversário da pesporrência vigente na nossa Metrópolis.

    Chama-se Carlos Alves e, inconformado com a recusa da Metro do Porto
    SA em substituir dois “Andantes” que adquirira e que, como é
    frequente, não funcionavam, obrigou-a, em tribunal, a indemnizá-lo no
    valor que pagou, 1 euro. Como é comum em Metrópolis, a empresa não
    cumpriu a sentença e só quando ia ser penhorada se dispôs a fazê-lo.
    E, para evitar a penhora, teve que depositar, em vez de 1 euro, 120.

    Os nossos Lex Luthor, imperialmente sentados nas administrações das
    suas LexCorp, não têm mais respeito pelos cidadãos e pela lei que os
    da Metrópolis de Siegel e Shuster.

    Infelizmente, supercidadãos como Carlos Alves há poucos e por isso,
    ao contrário do que acontece na BD, o Mal entre nós vence quase
    sempre.

    Manuel António Pina

    https://jn.sapo.pt/Opiniao/default.aspx?opiniao=Manuel%20Ant%F3nio%20Pina

    ==========================
    2. Floresta europeia ganha terreno

    A floresta europeia tem aumentado um pouco a sua área (8% nos últimos
    15 anos), mas não de maneira uniforme e recorrendo a plantações que
    criam ecossistemas menos “naturais”. Isso é também o que tem
    acontecido em Portugal, constata o último relatório da Agência
    Europeia do Ambiente sobre o uso sustentável da floresta e a
    biodiversidade. Uma coisa parece certa: a Europa não vai conseguir
    parar até 2010 a perda de espécies, ao contrário do que tinha
    definido como objectivo.

    A Agência Europeia do Ambiente analisou a situação do continente
    europeu (não apenas da União) e, sobre dados de 39 países, fez as
    contas aumentou nos últimos anos a área ocupada pela floresta, que
    cobre 33% daquele território. Desta extensão, apenas 5% podem ser
    considerados “intocados” pelo Homem e ficam localizados sobretudo na
    Suécia, na região dos Cárpatos, Alpes e Balcãs. No que toca aos
    aumentos de extensão florestal, isso ocorreu nomeadamente em três
    países mediterrânicos (Portugal, Espanha e Itália) e deveu-se à
    conversão de terra agrícola. O relatório da Agência indica que, nos
    últimos 15 anos, Portugal passou de 0,6 para 1,2 milhões de hectares
    de floresta em que se destacam o eucalipto e o pinheiro destinados a
    produção de matérias-primas.

    “Se as práticas silvo-pastoris forem abandonadas, algumas espécies
    autóctones vão diminuir”, anota o mesmo documento relativamente aos
    montados característicos de Portugal e Espanha Eles albergam muitas
    espécies de aves e mamíferos de interesse comunitário, acrescenta o
    texto, referindo que o seu uso para actividades económicas deve ser
    extensivo e não intensivo.

    Constatando que o papel da floresta está a mudar, o relatório adverte
    relativamente ao uso de espécies florestais modificadas
    geneticamente. O princípio deve ser o de precaução, afirma-se aí,
    especificando que o plantio dessas espécies apenas se encontra em
    regime experimental em alguns países. Idêntico conselho é dado sobre
    a recolha de resíduos florestais, que poderá fazer perder o habitat
    de algumas espécies, entre insectos, líquenes e mesmo mamíferos e
    aves.

    https://jn.sapo.pt/PaginaInicial/Sociedade/Interior.aspx?content_id=951243

    ==========================
    3. TGV: Primeiro troço

    O primeiro-ministro, José Sócrates, garantiu hoje que o lançamento do
    concurso público para o primeiro troço da rede de alta velocidade
    marca o “antes e o depois” do TGV, que, de “ideia”, passa a opção
    estratégica. O primeiro-ministro, acompanhado pelo ministro das Obras
    Públicas, Transportes e Comunicações, Mário Lino, e pela secretária
    de Estado dos Transportes, Ana Paula Vitorino, discursava em Évora,
    na cerimónia de lançamento do troço de alta velocidade Poceirão-Caia,
    numa extensão de 167 quilómetros, que vai custar 1.450 milhões de
    euros.

    https://jn.sapo.pt/PaginaInicial/Interior.aspx?content_id=953187

    ==========================
    ==========================
    Para se desligar ou religar veja informações no rodapé da mensagem.

    O arquivo desta lista desde o seu início é acessível através de
    https://groups.yahoo.com/group/pned/

    Se quiser consultar os boletins anteriores veja
    https://campoaberto.pt/boletimPNED/

    ==========================
    INFORMAÇÃO SOBRE O BOLETIM INFOPNED:

    Acima apresentam-se sumários ou resumos de notícias de interesse
    urbanístico ou ambiental publicadas na edição electrónica do Jornal
    de Notícias e d’O Primeiro de Janeiro (e ocasionalmente de outros
    jornais ou fontes de informação).

    Esta lista foi criada e é animada pela associação Campo Aberto, e
    está aberta a todos os interessados sócios ou não sócios. O seu
    âmbito específico são as questões urbanísticas e ambientais do
    Noroeste, basicamente entre o Vouga e o Minho.

    Selecção hoje feita por Maria Carvalho

    =============== PNED: Porto e Noroeste em Debate ===============

    Imprimir esta página Imprimir esta página

    Categorias: Boletim

    Deixar comentário