Destaque: Livrámo-nos de boa!

    O homem que ia ser quiçá o braço direito do ex-futuro-primeiro
    ministro em retirada acha que como o homem também faz parte do
    ecossistema tem que mandar para cima das dunas das praias umas boas
    buldózeres (notícia n.º 4). E como acha que é errado pensar que
    respeitar a natureza é não mexer, vá de mexer à lagartada de buldózer
    da maneira mais rápida e impactante possível. Para ele, ser bióloga
    da Universidade de Aveiro está abaixo da lagarta… da couve!

    Caro Leitor do Boletim Diário PNED:

    Se ainda não o é, e se concorda, ainda que apenas em parte, com o que
    é e faz a Campo Aberto, e se julga útil apoiá-la, faça-se sócio.

    Campo Aberto – associação de defesa do ambiente
    www.campoaberto.pt
    Apartado 5052
    4018-001 Porto
    telefax 22 975 9592

    ==========================
    BOLETIM PORTO E NOROESTE EM DEBATE
    resumo das notícias de ambiente e urbanismo em linha

    Quarta-feira, 28 de Maio de 2008

    ==========================
    Para os textos integrais das notícias consultar as ligações indicadas.
    ==========================
    1. AMP: Linha de Gondomar em Junho

    A rede de metropolitano do Porto tem mais 700 metros. Mário Lino
    inaugurou o novo troço de Gaia para demonstrar o empenho do Governo
    no projecto. O ministro anunciou o lançamento da obra da linha de
    Gondomar até ao final de Junho.
    A segunda fase continua sem data marcada.

    https://www.oprimeirodejaneiro.pt/?op=artigo&sec=eccbc87e4b5ce2fe28308fd9f2a7baf3&subsec=&id=44f4c2f29d912653cb3ad66b532ba015

    ==========================
    2. Europa: Pinho pede intervenção da Comissão Europeia

    O ministro da Economia pediu à Comissão Europeia para que sejam
    identificadas medidas a curto e a médio prazo que possam minimizar o
    efeito negativo da escalada do preço do petróleo. O gabinete de
    Manuel Pinho fez o anúncio, ontem, em comunicado.

    https://www.oprimeirodejaneiro.pt/?op=artigo&sec=45c48cce2e2d7fbdea1afc51c7c6ad26&subsec=&id=ccd379c140529285411786b439e2bcd8

    ==========================
    3. Porto: CDU revelou “indignação” no protelamento das barreiras acústicas da VCI
    Reunião com Estradas de Portugal

    Rui Sá vai apresentar uma proposta de deliberação, manifestando a
    “indignação” da autarquia perante o “arrastar” da colocação de
    barreiras acústicas na VCI. Lino Ferreira confirmou que está a ser
    feito um novo estudo e que haverá reunião com a empresa no início do
    mês.

    https://www.oprimeirodejaneiro.pt/?op=artigo&sec=eccbc87e4b5ce2fe28308fd9f2a7baf3&subsec=&id=ab624dee83ec755c1e689b25b68ad2c7

    ==========================
    4. Ílhavo: Bióloga critica intervenção no passadiço, mas a autarquia rejeita acusações
    “É um atentado ambiental”

    Uma bióloga da Universidade de Aveiro classificou de “atentado
    ambiental” a forma como está a ser limpo o passadiço da Praia da
    Barra, mas o presidente da Câmara de Ílhavo lembrou que o ser humano
    faz parte do ecossistema.

    A forma como está a ser limpo o passadiço da Praia da Barra, em
    Ílhavo, motiva fortes críticas por parte de uma bióloga da
    Universidade de Aveiro. “O local onde a areia foi retirada está sob a
    directiva do habitat das dunas brancas e o que foi feito foi colocar
    uma máquina de lagartas sobre a duna primária, destruindo a
    vegetação, para retirar a areia que estava a soterrar o passadiço”,
    disse Rosa Pinho. O presidente da Câmara de Ílhavo, Ribau Esteves,
    confirma a remoção da areia e diz tratar-se de “uma simples operação
    de manutenção” para proteger o passadiço, sublinhando que o mesmo “é
    essencial para facilitar o acesso das pessoas à praia e que o ser
    humano também faz parte do ecossistema”. “As nossas praias ostentam a
    bandeira azul, mas também a bandeira de praia acessível e é
    necessário todos os anos fazer este trabalho nesta altura para
    destapar os passadiços das areias que os ventos de Inverno ali
    depositam”, justifica o autarca. Para Ribau Esteves, trata-se de
    cumprir a obrigação assumida há três anos, pela Câmara, perante a
    Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro, de se
    responsabilizar pela gestão do conjunto de passadiços, cujo projecto
    e construção esteve a cargo do Ministério do Ambiente. “É um absurdo
    entender que proteger a Natureza é não mexer. A acumulação de areia é
    a prova de que o passadiço, a reflorestação das dunas e as defesas
    frontais que foram feitas tiveram sucesso.
    Conseguiu-se fixar a duna e hoje não temos problemas de erosão na
    Barra e o areal da praia até cresceu”, conclui o presidente da
    Câmara. Rosa Pinho critica a forma como está a ser feita a
    “manutenção”: “O que foi feito foi como se tivessem aberto uma
    trincheira e o próprio passadiço ficou com pouca sustentação em
    alguns pontos, devido à quantidade de areia que foi retirada. Essa
    areia, de que foram fazendo montes, foi atirada por acção do vento
    para o interior, destruindo a duna”, aponta. A máquina empregue na
    “limpeza” merece igualmente reparos da bióloga, embora para Ribau
    Esteves seja motivo de orgulho, ao ponto de a escolher como imagem de
    capa de uma das agendas municipais.

    https://www.oprimeirodejaneiro.pt/?op=artigo&sec=e4da3b7fbbce2345d7772b0674a318d5&subsec=&id=ee1f152bfec701106b65e0b18fe39240

    ==========================
    5. Vila Real: VILA REAL: Projecto do Regimento de Infantaria 13
    Promover a gestão ambiental

    O Regimento de Infantaria 13 (RI13), Vila Real, está a implementar um
    sistema de gestão ambiental que visa a poupança de água e energia, a
    reciclagem e a implementação de um separador de hidrocarbonetos
    resultantes da lavagem das viaturas.

    https://www.oprimeirodejaneiro.pt/?op=artigo&sec=e4da3b7fbbce2345d7772b0674a318d5&subsec=&id=9868422ca277df218357eeda10e9bc8e

    ==========================
    6. Nacional: desertificação vai ser combatida com apoios à criatividade local

    Um perfume ou um condimento feitos à base de plantas ou frutos
    associados à flora local, numa fórmula com alguma dose de tecnologia
    saída de centros de pesquisa. Tradição e inovação. É esta fusão que
    poderá merecer os apoios dos Programas de Valorização Económica de
    Recursos Endógenos (PROVERE), cujas verbas são colhidas do QREN e de
    outros programas europeus associados ao desenvolvimento rural e das
    pescas. As candidaturas à primeira fase já decorrem, até 11 de
    Julho . O anúncio formal é feito hoje pelo ministro do Ambiente.

    https://jn.sapo.pt/2008/05/28/nacional/desertificacao_ser_combatida_apoios_.html

    ==========================

    7: Nacional: Electricidade em Portugal produzida com calor da terra
    Água injectada na terra é o método da energia geotérmica

    Dentro de duas décadas, Portugal poderá produzir energia geotérmica
    suficiente para fornecer electricidade a grande parte do país,
    através de uma forma inovadora de aproveitar o calor da terra.

    O projecto, ontem apresentado, é pioneiro em Portugal e baseia-se em
    sistemas geotérmicos estimulados, que permitem produzir energia
    eléctrica de forma renovável, limpa para o ambiente e praticamente
    inesgotável.

    “Estamos a falar de 500 MW em dez anos, algo mais rápido e mais
    barato do que uma central nuclear”, afirmou João Gabriel Silva, aos
    jornalistas.

    O antigo dirigente da Quercus e actual presidente dos conselhos
    científico e directivo da Faculdade de Ciências da Universidade de
    Coimbra (FCTUC) sublinha que “Portugal tem um potencial de produção
    de energia geotérmica enorme, capaz de garantir todas as necessidades
    energéticas do país”.

    O projecto envolve a FCTUC e a empresa Geovita, do grupo Patris
    Capital, que prevê investir meio milhão de euros só nos primeiros
    três anos – a fase de prospecção e pesquisa de uma área delimitada,
    situada na região Centro.

    “Acreditamos que num horizonte de três a cinco anos, estejamos já a
    produzir energia eléctrica através do calor da terra”, referiu
    Gonçalo Pereira Coutinho, presidente do conselho de administração da
    Patris Capital.

    Se tudo correr como previsto, disse João Gabriel Silva, “dentro de 20
    anos, a maior parte da energia eléctrica do país será produzida
    através da energia geotérmica”.

    As unidades de produção geotérmica estimulada podem ser instaladas,
    “sem impacto ambiental, em praticamente todo o lado, e com baixos
    custos de investimento”, acrescentou.

    A diferença entre a produção tradicional de energia geotérmica e a
    estimulada reside no facto de, nesta, a água ser injectada a partir
    da superfície.

    Ao ser injectada para um furo, que pode atingir cinco a seis
    quilómetros de profundidade, a água abre fracturas na rocha e espalha-
    se por zonas a 200 ou mais graus de temperatura. Evapora-se e sobe
    então à superfície, através de um segundo furo, alimentando assim o
    funcionamento de um gerador.

    https://jn.sapo.pt/2008/05/28/sociedade_e_vida/electricidade_portugal_produzida_cal.html

    =========================

    Para se desligar ou religar veja informações no rodapé da mensagem.

    O arquivo desta lista desde o seu início é acessível através de
    https://groups.yahoo.com/group/pned/

    Se quiser consultar os boletins anteriores veja
    https://campoaberto.pt/boletimPNED/

    ==========================
    INFORMAÇÃO SOBRE O BOLETIM INFOPNED:

    Acima apresentam-se sumários ou resumos de notícias de interesse
    urbanístico ou ambiental publicadas na edição electrónica do Jornal
    de Notícias e d’O Primeiro de Janeiro (e ocasionalmente de outros
    jornais ou fontes de informação).

    Esta lista foi criada e é animada pela associação Campo Aberto, e
    está aberta a todos os interessados sócios ou não sócios. O seu
    âmbito específico são as questões urbanísticas e ambientais do
    Noroeste, basicamente entre o Vouga e o Minho.

    Selecção hoje feita por José Carlos Marques

    =============== PNED: Porto e Noroeste em Debate ===============

    Imprimir esta página Imprimir esta página

    Categorias: Boletim

    Deixar comentário