• Set : 17 : 2020 - ALERTA AOS CIDADÃOS: TRÊS JARDINS DO PORTO E 503 SOBREIROS EM GAIA AMEAÇADOS DE MUTILAÇÃO E ABATE
  • Mai : 14 : 2020 - Por Amor da Árvore 2020
  • Abr : 24 : 2019 - Poluição Luminosa
  • Ago : 11 : 2014 - Apelo ao boicote de alimentos com milho transgénico
  • Nov : 23 : 2011 - Petição pela salvaguarda das Sete Fontes

Veja o site da Campo Aberto:
https://www.campoaberto.pt/

Comente, participe. Divulgue!

==========================
Caro Leitor do Boletim Diário PNED:

Se ainda não o é, e se concorda, ainda que apenas em parte, com o que é e faz a Campo Aberto, e se julga útil apoiá-la, faça-se sócio!

Em alternativa assine a revista Ar Livre (que os sócios também recebem).

Peça informações:
contacto@campoaberto.pt

==========================

BOLETIM PORTO E NOROESTE EM DEBATE
resumo das notícias de ambiente e urbanismo em linha

Sábado, 05 de Janeiro de 2008

==========================

Para os textos integrais das notícias consultar as ligações indicadas.

==========================
1. 2008 vai ser um dos dez mais quentes

O ano que agora começa vai ser ligeiramente mais fresco que os sete anos mais recentes, mas entrará no grupo dos dez mais quentes desde meados do século XIX.

A estimativa foi feita pelo instituto de meteorologia do Reino Unido e por especialistas em clima da Universidade de East Anglia. Eles admitem que a temperatura média global registada no planeta seja 0,37 graus acima da média que se registou entre 1961 e 1990 (que foi de 14 graus). Mas, prevêem, este será o ano mais fresco desde 2000.

Para estes cálculos eles tiveram em conta o fenómeno La Niña, que ocorre agora no Oceano Pacífico, e que poderá fazer abrandar a tendência para o aumento das temperaturas, ao arrefecer a superfície dos mares em cerca de meio grau centígrado.

Apesar do aquecimento abrandar em em 2008, os meteorologistas advertem para o facto de isso não ser sinal de que o aquecimento global cessou. Segundo eles, o que interessa é que entre 2001 e 2007 houve um aumento de 0,44 graus face a 1960-90 e que esse aumento foi de 0,21 graus face ao período 1991-2000. Nesse último ano, apesar de uma La Niña, houve aumento da temperatura face ao século passado.

https://jn.sapo.pt/2008/01/05/sociedade_e_vida/2008_ser_dos_mais_quentes.html

==========================
2. Qualidade do ar sem regra

A qualidade do ar respirado pelos não-fumadores é uma das preocupações centrais da nova lei do tabaco. No entanto, não refere os parâmetros para medir se, efectivamente, o ar está protegido do fumo. O assunto vai ser discutido pelo Grupo Técnico Consultivo, que reúne, segunda- -feira, pela primeira vez. No entanto, o director-geral da Saúde considera que não é preciso definir novos critérios, uma vez que os que constam da legislação existente servem de “padrão”.

https://jn.sapo.pt/2008/01/05/nacional/qualidade_ar_regra.html

==========================
3. Três quilómetros em vias de extinção
Manuel Vitorino, Artur Machado

É um dos arruamentos mais antigos e compridos do Porto. Tem mais de três quilómetros e a placa toponímica ostenta um nome bonito Rua do Bonjardim. Por detrás da fachada há misérias: prédios abandonados na mira da especulação, um chalé, ao chegar ao Marquês, do século XIX , comércio decadente e muita gente idosa. “Há 15 anos fazia bastante negócio. Agora é um deserto”, conta Ana Gonçalves, uma das comerciantes que resiste à desertificação deste núcleo urbano da cidade.

Há alguns ofícios em vias de extinção nesta rua de indiferençasum alfarrabista de preciosidades bibliográficas à mistura com o artesão de balanças antigas, mais o mecânico de máquinas de costura. E muito comércio: pomares e mercearias, como “A Generosa”, com mais de um século a “vender hortaliças e frutas”, pensões tipo “sobe e desce” nas traseiras do Palácio dos Correios (“sempre foi assim e assim será”, ouve-se), restaurantes,casas de petistos. Até uma loja de perucas, única no Porto, lá existe. A artéria, porém, precisa de sangue novo.

“Desde que as pessoas saíram daqui [Bairro do Leal] vendemos menos medicamentos”, diz Pedro Gonçalves, da Farmácia Oriental, com 130 anos de existência, situada entre as ruas das Musas (onde nasceu o poeta José Gomes Ferreira) e de João das Regras, onde viveu Camilo Castelo Branco. Por perto, há mais prédios a pedir reabilitação. Um deles, no número 824, viveu Artur Loureiro, escultor e pintor paisagista. A placa, carcomida pelo tempo, colocada na fachada traduz anos de abandono.E lembra que a falta de memória da cidade espreita ao virar de cada esquina.

No gaveto do Bonjardim com a Rua de Rodrigues Sampaio, uma casa nobre agoniza perante a indiferença de vários poderes. É lá que está a Associação de Jornalistas e Homens de Letras do Porto. Até agora, todas as promessas foram inúteis. “Temos projecto e candidatura. Falta-nos uma parte dos financiamentos”, assegura Francisco Duarte Mangas, presidente daquela associação.

A Rua do Bonjardim já foi estrada romana e caminho medieval para Guimarães. Hoje, é atravessada por vários eixos viários começa em Sá da Bandeira e termina junto ao Marquês. Ainda tem alma.Mas pouca gente cá vive.

https://jn.sapo.pt/2008/01/05/porto/tres_quilometros_vias_extincao.html

==========================
4. Ambientalistas pedem intervenção do Ministério Público sobre acordos público-privados
Quercus denuncia “legalidade duvidosa”

A Quercus denunciou, junto do procurador-geral da República, acordos público-privados de “legalidade duvidosa” ao abrigo do conceito de Projecto de Interesse Nacional, solicitando a intervenção do Ministério Público. “Apresentámos vários casos concretos e, inclusive, chamámos a atenção para alguns acordos público-privados na definição do próprio ordenamento do território que são, no mínimo, de legalidade duvidosa”, disse o presidente da associação ambientalista, Hélder Spínola, no final de uma audiência com o PGR, Pinto Monteiro.

https://www.oprimeirodejaneiro.pt/?op=artigo&sec=b6d767d2f8ed5d21a44b0e5886680cb9&subsec=&id=953efebd0af0a0f6f73948961fd239bd

==========================

Para se desligar ou religar veja informações no rodapé da mensagem.

O arquivo desta lista desde o seu início é acessível através de
https://groups.yahoo.com/group/pned/

Se quiser consultar os boletins atrasados veja
https://campoaberto.pt/boletimPNED/

==========================
INFORMAÇÃO SOBRE O BOLETIM INFOPNED:

Acima apresentam-se sumários ou resumos de notícias de interesse
urbanístico ou ambiental publicadas na edição electrónica do Jornal de
Notícias e d’O Primeiro de Janeiro (e ocasionalmente de outros jornais
ou fontes de informação).

Esta lista foi criada e é animada pela associação Campo Aberto, e está
aberta a todos os interessados sócios ou não sócios. O seu âmbito
específico são as questões urbanísticas e ambientais do Noroeste,
basicamente entre o Vouga e o Minho.

Para mais informações e adesão à associação Campo Aberto:

Campo Aberto – associação de defesa do ambiente
Apartado 5052
4018-001 Porto
telefax 22 975 9592
contacto@campoaberto.pt
www.campoaberto.pt

Selecção hoje feita por Cristiane Carvalho

======================================

Imprimir esta página Imprimir esta página

Categorias: Boletim

Deixar comentário