Caro Leitor do Boletim Diário PNED:

    Se ainda não o é, e se concorda, ainda que apenas em parte, com o que
    é e faz a Campo Aberto, e se julga útil apoiá-la, faça-se sócio.

    Campo Aberto – associação de defesa do ambiente
    www.campoaberto.pt
    Apartado 5052
    4018-001 Porto
    telefax 22 975 9592

    ======================
    ==========================
    BOLETIM PORTO E NOROESTE EM DEBATE
    resumo das notícias de ambiente e urbanismo em linha

    Segunda-feira, 23 de Julho de 2007

    ==========================
    Para os textos integrais das notícias consultar as ligações indicadas.
    ==========================
    1. Porto: Privatização da recolha do lixo e limpeza pública

    A Câmara do Porto aprovou com os votos favoráveis do PSD/CDS-PP e do
    PS e contra da CDU a proposta de abertura de concurso para a
    concessão a privados da recolha de lixo e limpeza pública em duas
    áreas da cidade. A Assembleia Municipal deve ratificar hoje a
    decisão.

    Ao defender a privatização parcial da recolha de lixo, o vereador do
    Ambiente e vice-presidente da autarquia, Álvaro Castelo Branco (CDS),
    alegou que a privatização parcial permitirá uma poupança anual de 700
    mil euros.

    https://www.oprimeirodejaneiro.pt/?op=artigo&sec=eccbc87e4b5ce2fe28308fd9f2a7baf3&subsec=&id=698189caa97fe54d04277868f12f0cad

    ==========================
    2. Porto: UP lança concurso para construção de ilha

    A Universidade do Porto (UP) lançou um concurso inédito para que
    alunos de diferentes faculdades construam os edifícios e espaços da
    ilha que a universidade comprou no mundo virtual Second Life (SL).

    Os alunos, em grupos de quatro provenientes de pelo menos duas
    faculdades, serão livres de propor o que entenderem para a ilha,
    desde espaços de aulas e investigação a locais de lazer.
    Cada grupo terá ao seu dispor uma plataforma, onde poderá construir
    no máximo 400 objectos tridimensionais, para um espaço de 256 metros
    quadrados. “A ilha da UP vai funcionar como uma espécie de estaleiro,
    um laboratório, onde vão acontecendo eventos”, disse Paulo Frias.

    A escolha da melhor maqueta será feita pelos visitantes da
    ilha. “Cada pessoa que visitar a ilha pode votar, uma vez só, na
    plataforma que gosta mais. Em Novembro, sai o resultado”, disse Paulo
    Frias. O grupo vencedor do concurso de ideias ficará responsável por
    implementar o seu projecto, construindo todas as componentes da ilha.

    O SL está a ser usado por cerca de uma dezena de universidades
    portuguesas.

    https://www.oprimeirodejaneiro.pt/?op=artigo&sec=eccbc87e4b5ce2fe28308fd9f2a7baf3&subsec=&id=f42c7a8a49fdd82b2648989a490ffca6

    ==========================
    3. Certificação energética

    Divulgar o Sistema de Certificação Energética (SCE) nas Câmaras
    Municipais e nos sectores de construção e promoção imobiliária é o
    grande objectivo neste momento da Agência para a Energia (ADENE). A
    entidade, instituição pública participada pelo Ministério da
    Economia, tem a responsabilidade de gerir o SCE, que se encontra em
    vigor desde dia 1 de Julho e será aplicado até Janeiro de 2009.

    “O SCE tem por objectivo informar o cidadão sobre o desempenho
    energético dos edifícios, aquando da construção, da venda ou do seu
    arrendamento, introduzindo um novo critério de escolha, por parte do
    utilizador, dos edifícios para habitação ou serviços”, diz Luís
    Silva, director de comunicação da ADENE. Acrescenta que,
    adicionalmente, o SCE promove melhores práticas construtivas e
    equipamentos que visam a eficiência energética num sector energética
    e ambientalmente relevante: “Os edifícios representam cerca de um
    terço da energia que consumimos e são o segundo sector que mais
    contribuir para as emissões de gases com efeito de estufa”.

    A aplicação do Sistema de Certificação Energética será efectuada em
    três fases. A primeira abrange os novos edifícios ou grandes
    reabilitações em edificações destinadas à habitação ou serviços, com
    mais de 1000 m2, cujos pedidos de licenciamento ou de autorização de
    construção sejam apresentados a partir de 1 de Julho de 2007. A
    segunda, contempla todos os pedidos de novos licenciamentos ou
    grandes reabilitações, independentemente da sua área, e entrará em
    vigor a 1 de Julho de 2008. A terceira e última fase, inicia-se a 1
    de Janeiro de 2009, data a partir da qual estarão abrangidos todos os
    edifícios, novos ou usados, objecto de venda, arrendamento ou aluguer.

    https://www.oprimeirodejaneiro.pt/?op=artigo&sec=eccbc87e4b5ce2fe28308fd9f2a7baf3&subsec=&id=b6b7ea56c9c321b12c12d6dc44cb3f93

    ==========================
    4. Quercus critica plano nacional de ambiente e saúde

    A associação ambientalista Quercus considera que o Plano Nacional de
    Acção Ambiente e Saúde, cuja discussão pública terminou há dias, “não
    apresenta um diagnóstico concreto e objectivo sobre os problemas de
    saúde decorrentes de questões ambientais”. Em comunicado os
    activistas afirmam que a discussão termina “com um atraso de 10
    anos”, e que no documento “não são apresentadas medidas concretas
    capazes de minimizar os problemas ambientais que há muito se sabe
    serem responsáveis por graves problemas de morbilidade e mortalidade
    em Portugal, como é o caso dos problemas de qualidade do ar e de
    excesso de ruído”. “O Plano Nacional de Acção Ambiente e Saúde centra
    o grosso das suas propostas na recolha e na sistematização de
    informação, monitorização, comunicação e sensibilização, que, apesar
    de importantes

    https://www.oprimeirodejaneiro.pt/?op=artigo&sec=c74d97b01eae257e44aa9d5bade97baf&subsec=&id=a7ddbb5e8bc302441d3ea8b75302fcbf

    ==========================
    5. Criada plataforma de organizações pelo ambiente

    A ideia nascida em Janeiro deste ano, no âmbito das XIV Jornadas
    Pedagógicas de Educação Ambiental organizadas pela ASPEA, de criar
    uma plataforma integrada por várias organizações não-governamentais
    de ambiente ganhou forma. Depois de uma “profunda reflexão” de
    diversos profissionais daquela área, e de uma leitura cuidada do
    panorama nacional e internacional, Apea, Aspea, Cfmbm, Geota, LPN,
    Nerea Investiga, Associação Pato e Quercus decidiram unir esforços no
    sentido de criar a Plataforma pela Educação Ambiental. O movimento
    visa traçar o diagnóstico rigoroso da situação actual da educação
    ambiental em Portugal, auscultando todos os intervenientes e actores.

    https://www.oprimeirodejaneiro.pt/?op=artigo&sec=c74d97b01eae257e44aa9d5bade97baf&subsec=&id=22c918ae62e215afc21ada5118d6875b

    ==========================
    ==========================
    Para se desligar ou religar veja informações no rodapé da mensagem.

    O arquivo desta lista desde o seu início é acessível através de
    https://groups.yahoo.com/group/pned/

    Se quiser consultar os boletins anteriores veja
    https://campoaberto.pt/boletimPNED/

    ==========================
    INFORMAÇÃO SOBRE O BOLETIM INFOPNED:

    Acima apresentam-se sumários ou resumos de notícias de interesse
    urbanístico ou ambiental publicadas na edição electrónica do Jornal
    de Notícias e d’O Primeiro de Janeiro (e ocasionalmente de outros
    jornais ou fontes de informação).

    Esta lista foi criada e é animada pela associação Campo Aberto, e
    está aberta a todos os interessados sócios ou não sócios. O seu
    âmbito específico são as questões urbanísticas e ambientais do
    Noroeste, basicamente entre o Vouga e o Minho.

    Selecção hoje feita por Maria Carvalho

    =============== PNED: Porto e Noroeste em Debate ===============

    Imprimir esta página Imprimir esta página

    Categorias: Boletim

    Deixar comentário