Caro Leitor do Boletim Diário PNED:

    Se ainda não o é, e se concorda, ainda que apenas em parte, com o
    que é e faz a Campo Aberto, e se julga útil apoiá-la, faça-se sócio.

    Peça informações:
    contacto@oninet.pt
    telefax 229759592
    Apartado 5052, 4018-001 Porto

    https://www.campoaberto.pt/
    ==========================

    BOLETIM PORTO E NOROESTE EM DEBATE
    resumo das notícias de ambiente e urbanismo em linha

    Terça-feira, 12 de Junho de 2007

    ==========================

    Para os textos integrais das notícias consultar as ligações
    indicadas.

    ==========================
    ==========================
    Opinião: Nem tudo está perdido

    Haverá então mais fauna silvestre na cidade, hoje? Mesmo com tanto
    trânsito automóvel, tão má qualidade do ar, tão pouco espaço livre
    do betão?

    https://jn.sapo.pt/2007/06/12/porto/nem_tudo_esta_perdido.html

    ==========================
    1. Gaia: Abate de árvores abre polémica

    O verde da paisagem deixou de ser contínuo na encosta do Monte da
    Virgem, em Gaia. Agora, entre a enorme mancha florestal situada
    junto ao santuário existem sinais de árvores abatidas de fresco.
    Como as árvores costumam morrer de pé, as vozes da ira não se
    fizeram esperar “Foi um crime ambiental sem perdão”, acusou Mafalda
    Amorim, da Associação Campo Aberto. “Tivemos de abater várias
    árvores [austrálias] devido à sua acção nefasta, mas vamos
    reflorestar a zona de plátanos, tílias e carvalhos. Temos gasto
    milhares de euros na limpeza e preservação das espécies. Só na mente
    de algumas pessoas pode existir um crime ambiental”, salientou,
    todavia, o padre Manuel Valente Leão, presidente da Confraria do
    Monte da Virgem.

    Chegado ao santuário (a exigir há vários muitos anos o cumprimento
    do anunciado projecto de reordenamento paisagístico) detectam-se
    sinais de abandono e vandalismo à mistura. Uma parte do gradeamento
    (espécie de varandim para a floresta de betão rmado) foi demolido e,
    lá ao fundo, uma enorme mancha florestal ceifada. “Tivemos de abater
    dezenas de árvores. Não tinham qualquer valor e eram um perigo para
    as outras espécies. Antes da operação tivemos o cuidado de falar com
    técnicos, com gente conhecedora da situação. Não mandamos abater
    árvores sem critério científico e sentido”, referiu aquele dirigente
    da Confraria.

    A Câmara também foi apanhada de surpresa. “Não sabia de nada, mas
    temos informações de que o desbaste foi acompanhado pelo Ministério
    do Ambiente”, disse, ontem, ao JN, o vereador Mário Fontemanha, da
    Câmara de Gaia. “Se a reflorestação for efectuada, ficamos
    satisfeitos. Vamos ver para crer”, sustentou António Moreira, da
    Associação dos Proprietários da Urbanização de Vila d’Este. “Foi
    tudo feito da noite para o dia”, disse.

    A mancha faz parte da Reserva Ecológica Municipal e, como tal,
    objecto de proteccção para os ambientalistas. Manuel Vitorino

    https://jn.sapo.pt/2007/06/12/porto/abate_arvoresabre_polemica.html

    ==========================
    2. Porto: Jorge Sampaio pela Regionalização

    No seu discurso, Jorge Sampaio começou por afirmar que “é uma
    temática central para o nosso desenvolvimento e precisava de ser
    tratada de forma séria”. Sampaio, que já fora convidado há seis
    meses por Alberto Castro, da Universidade Católica, considera o
    tema “sagrado”.

    https://www.oprimeirodejaneiro.pt/?op=artigo&sec=eccbc87e4b5ce2fe28308fd9f2a7baf3&subsec=&id=77b1825425da6514fdc78db4b78b42e6

    ==========================
    3. País: Portugal quer promover o “trabalho digno”

    O ministro do Trabalho garantiu que “Portugal, como membro da União
    Europeia e da qual assumirá a presidência no próximo semestre, não
    deixará de se bater por colocar na agenda internacional” o conceito
    de “trabalho digno”.

    Vieira da Silva falava ontem, em Genebra, durante a 96.ª Sessão da
    Conferência Internacional do Trabalho, que decorre até amanhã. Tendo
    em conta os desafios colocados pela globalização, o governante
    português defendeu que o principal destes desafios é o de como fazer
    avançar nas agendas políticas os instrumentos que valorizem o
    trabalho como valor essencial e cimeiro da humanidade.

    O governante lamentou que continuem a subsistir fenómenos de
    trabalho em condições desumanas, com discriminações atentatórias da
    dignidade, com base no género, na etnicidade ou nacionalidade, assim
    como o trabalho infantil – cujo dia internacional se assinala hoje –
    “inimigo do presente das crianças e das suas oportunidades futuras”.

    https://www.oprimeirodejaneiro.pt/?op=artigo&sec=b6d767d2f8ed5d21a44b0e5886680cb9&subsec=&id=16ce3aa17c3e034116bc0e24a2c6360c

    ==========================
    ==========================

    Para se desligar ou religar veja informações no rodapé da mensagem.

    O arquivo desta lista desde o seu início é acessível através de
    https://groups.yahoo.com/group/pned/

    Se quiser consultar os boletins atrasados veja
    https://campoaberto.pt/boletimPNED/

    ==========================
    INFORMAÇÃO SOBRE O BOLETIM INFOPNED:

    Acima apresentam-se sumários ou resumos de notícias de interesse
    urbanístico ou ambiental publicadas na edição electrónica do Jornal
    de Notícias, do Público e d’O Primeiro de Janeiro (e ocasionalmente
    de outros jornais ou fontes de informação).

    Esta lista foi criada e é animada pela associação Campo Aberto, e
    está aberta a todos os interessados sócios ou não sócios. O seu
    âmbito específico são as questões urbanísticas e ambientais do
    Noroeste, basicamente entre o Vouga e o Minho.

    Selecção hoje feita por Maria Carvalho

    =============== PNED: Porto e Noroeste em Debate ===============

    Imprimir esta página Imprimir esta página

    Categorias: Boletim

    Deixar comentário