• Set : 17 : 2020 - ALERTA AOS CIDADÃOS: TRÊS JARDINS DO PORTO E 503 SOBREIROS EM GAIA AMEAÇADOS DE MUTILAÇÃO E ABATE
  • Mai : 14 : 2020 - Por Amor da Árvore 2020
  • Abr : 24 : 2019 - Poluição Luminosa
  • Ago : 11 : 2014 - Apelo ao boicote de alimentos com milho transgénico
  • Nov : 23 : 2011 - Petição pela salvaguarda das Sete Fontes

Destaque: Derrubar árvores no jardim de Fafe? Será que se atrevem?

Os frequentadores assíduos do jardim do Calvário, em Fafe, parecem recear o
abate de árvores em mais uma “requalificação” de jardim. Terão razão para os
receios? E, os que decidem, atrever-se-ão?
Veja-se adiante mais informação. Para já esta citação:

Outro dos aspectos pelo qual os frequentadores temem é pelo futuro das
árvores centenárias. “Eles que nem se atrevam a derrubar árvores, que estão
cá desde a inauguração”, avisam os frequentadores assíduos do jardim. [Esta
lista tem actualmente 387 participantes inscritos.]

=================================
Veja o site e o blogue da Campo Aberto:
https://www.campoaberto.pt/
https://campo-aberto.blogspot.com/

Veja também o blogue:
https://avenida-dos-aliados-porto.blogspot.com

Comente, participe, divulgue.

=================================

Caro Leitor do Boletim Diário PNED:

Se ainda não o é, e se concorda, ainda que apenas em parte, com o que é e
faz a Campo Aberto, e se julga útil apoiá-la, faça-se sócio!

Em alternativa assine a revista Ar Livre (que os sócios também recebem).

Peça informações:
campo_aberto@oninet.pt

Para desligar-se/religar-se ou para ler as mensagens em modo página, net
veja informações no rodapé da mensagem.

O arquivo desta lista desde o seu início é acessível através de
https://groups.yahoo.com/group/pned/

=================================

BOLETIM PORTO E NOROESTE EM DEBATE
resumo das notícias de ambiente e urbanismo em linha

=================================

Quarta-feira, 9 de Agosto de 2006
=================================

Títulos no Público sem acesso livre

– 19 mortos, suspensa ajuda humanitária e “desastre ambiental”
Annan alerta para “padrão de violações da lei internacional”; costa libanesa
coberta de petróleo

– Governo espanhol não quer cemitério nuclear em Peque
Não há consenso na localidade situada perto da fronteira portuguesa

– Sector da água privatizado em 25 municípios do país

– Linha do Oeste volta a ter comboios directos para Lisboa e Coimbra
Novos horários são hoje apresentados aos autarcas nas
Caldas da Rainha

– Litoral Norte com excesso de ozono

– Metro avança com extensão da Linha Amarela a Santo Ovídio

– Principal praça da Póvoa de Varzim entra em obras em Janeiro

– Praia de Esmoriz interdita a banhos devido a descargas da barrinha

– Primeiro troço da ecopista de Viseu abre no final do mês

=================================

1. Nacional: Deco detectou falhas em todos os sete espaços verdes
inspeccionados em Portugal
Parque da Cidade com bons resultados

O Parque da Cidade do Porto obteve a melhor classificação nas inspecções
realizadas pela Deco a sete espaços verdes portugueses. Apesar disso,
conclui-se que ³existem falhas em todos os parques urbanos avaliados²,
situação que a autarquia portuense garante estar a gerir.
Patrícia Gonçalves

https://www.oprimeirodejaneiro.pt/?op=artigo&sec=eccbc87e4b5ce2fe28308fd9f2a7
baf3&subsec=&id=0ca6268a8f3bbc4e7a916abc1f8d67b4

=================================

2. Porto: No Hospital S. João
Semana do aleitamento foi um sucesso

A semana mundial dedicada ao aleitamento materno encerrou, um pouco por todo
o país, sendo que no Hospital de São João, e desde 1 de Agosto, a iniciativa
registou uma adesão que ultrapassou os 600 visitantes.

https://www.oprimeirodejaneiro.pt/?op=artigo&sec=eccbc87e4b5ce2fe28308fd9f2a7
baf3&subsec=&id=37516991f9895dc9e518f8283461b1b5

=================================

3. Viseu: Viseu: Autarquia vai proceder à abertura do primeiro troço
Ecopista ainda este Verão

O primeiro troço da ecopista que está a ser construída em Viseu, no
desactivado ramal ferroviário do Dão, deverá abrir ao público no final de
Agosto ou início de Setembro,adiantou ontem um vereador da autarquia. Ainda
a tempo de alguns raios de sol.

https://www.oprimeirodejaneiro.pt/?op=artigo&sec=e4da3b7fbbce2345d7772b0674a3
18d5&subsec=&id=0598a8a44642112b180d9e38de2d26af

=================================

4. Suspeita de crime em 543 incêndios desde Janeiro

Trabalho da Polícia Judiciária incide sobre as zonas onde tem havido mais
incêndios

A Polícia Judiciária (PJ) está a investigar um total de 543 incêndios que
deflagraram desde o início do ano em Portugal. O número – que significa
menos de cinco por cento do total de incêndios no país inteiro desde Janeiro
– ganhou esta expressão nas últimas semanas, de acordo com Pedro do Carmo,
coordenador do Plano de Prevenção e Intervenção da PJ em fogos florestais.

https://jn.sapo.pt/2006/08/09/policia_e_tribunais/suspeita_crime_543_incendio
s_desde_j.html

=================================

5. Espinho: Sucatas ilegais sob a mira das brigadas ambientais

Francisco Oliveira já foi autuado e diz que vai desistir da actividade por
não ter possibilidades financeiras para criar as condições exigidas por lei

São pouco mais de 20 os parques de sucata existentes em Espinho e nenhum
deles é legal. Por não terem licença e por não reunirem as condições
necessárias para o seu funcionamento vão estar sob a mira das recentemente
criadas Brigadas de Protecção Ambiental da Secção de Espinho da PSP.

https://jn.sapo.pt/2006/08/09/porto/sucatas_ilegais_a_mira_brigadas_ambi.html

=================================

6. Valongo: “Classificação da serra evitaria os incêndios”

A promessa feita ainda no Governo de Durão Barroso, que assumiu a intenção,
em 2003, de classificar a serra de Santa Justa, no concelho de Valongo, como
área protegida, nunca foi cumprida. E anteontem o maior pulmão da Área
Metropolitana do Porto (AMP) voltou a ser devastado pelas chamas, atingindo
zonas de extrema importância, como a aldeia de Couce e o rio Ferreira. É
assim quase todos os anos.

“É o reflexo do abandono e do desmazelo da autarquia e do Governo. E um
sinal de total irresponsabilidade”, acusa o ambientalista Bernardino
Guimarães, defendendo que “se a serra já tivesse o estatuto de reserva – na
prática e não, apenas, no papel -, evitaria estas situações”.

No entanto, o ambientalista ressalva que nunca é tarde para começar a
reflorestar aquela zona, que permanece cheia de lixeiras e sucateiros e onde
continuam a fazer-se, impunemente, sardinhadas e queimadas. “As catástrofes
deveriam servir como uma oportunidade de mudança. A serra de Santa Justa
nunca chegou a ser classificada por incapacidade do poder e porque,
provavelmente, está a proteger interesses que todos desconhecemos”, observa.

Bernardino Guimarães questiona o que deveria ser o procedimento elementar
para evitar a perda da orla verde, que integra a franja urbana do Porto, e
da qual diz beneficiarem cerca de um milhão e meio de habitantes. “Como é
possível que a autarquia ainda não tenha feito um inventário das
micro-lixeiras que povoam aquela área? Como é possível que ainda não tenha
ali montado um sistema de vigilância, com pessoas contratadas ou com recurso
a voluntários, sobretudo nos meses quentes de Verão? Como é possível que
ainda não tenha feito uma operação de sensibilização da população no sentido
de não fazerem ali foguetórios?”

Repto à JMP

À indignação, o ambientalista adiciona uma solução, aparentemente simples.
“É preciso reflorestar gradualmente, e com o apoio dos proprietários dos
terrenos, aquela área, misturando, por exemplo, os eucaliptos com outras
espécies arbóreas, como carvalhos, mais difíceis de arder”. Aliás,
acrescenta, “esta é uma boa altura para o fazer, uma vez que agora há fundos
comunitários para isso.” E lança o repto à Junta Metropolitana do Porto.
“Está sempre a reclamar um aumento de poderes e diz querer apostar no
ambiente. Aqui está uma bela oportunidade para o fazer”. E insiste que “a
culpa não pode morrer solteira. Os sucessivos incêndios têm culpados”.

A promessa de classificação incluía as serras de Pias e Castiçal, que
possuem alguns dos maiores ex-libris de um território que abrange Valongo,
Gondomar e Paredes. H.T.S.

https://jn.sapo.pt/2006/08/09/porto/classificacao_serra_evitaria_incendi.html

=================================

7. Gaia: Linha Amarela prolongada
Ainda não será agora que avança a construção do interface na avenida

A Linha Amarela do metro será estendida até ao cruzamento da EN 222 com a
Avenida da República, em Gaia. A obra deverá ficar concluída no próximo ano,
conquistando, assim, mais uma estação no centro da cidade. Apesar de estar a
ser negociada a possibilidade de execução de um interface provisório nesse
cruzamento, não será construído agora.

https://jn.sapo.pt/2006/08/09/porto/linha_amarela_prolongada.html

=================================

8. Matosinhos: Vendedores não aprovam mercado de Angeiras

Comerciantes queixam-se dos que vendem “ilegalmente” na rua

Os comerciantes do novo mercado de Angeiras, em Matosinhos, queixam-se de
que as vendas baixaram desde que mudaram para as novas instalações.
Problemas na infraestrutura e vendedores à porta do mercado são as causas
apontadas para este decréscimo nas vendas. A Câmara de Matosinhos alega que
esta é uma situação pontual, causada pelas festas da freguesia, que estão a
decorrer.

https://jn.sapo.pt/2006/08/09/porto/vendedores_aprovam_mercado_angeiras.html

=================================

9. Esmoriz: Suspeita de mão criminosana abertura da barrinha

Banhistas aperceberam-se do mau cheiro e da tonalidade acastanhada da água
do mar e deram o alerta

A s águas poluídas e fétidas da barrinha de Esmoriz voltaram a inundar o mar
e o areal da praia daquela cidade, no concelho de Ovar, onde, há bem pouco
tempo, foi hasteada a bandeira azul, símbolo máximo de qualidade,
nomeadamente ao nível ambiental. A também conhecida por lagoa de Paramos
abriu ao mar durante a madrugada de ontem e tudo indica que tenha estado
envolvida mão criminosa.

https://jn.sapo.pt/2006/08/09/norte/suspeita_mao_criminosana_abertura_ba.html

=================================

10. Fafe: Jardim centenário vai ter elevador panorâmico

Obras no jardim do Calvário vai custar cerca de 100 mil euros

Inaugurado em 1892, o jardim do Calvário, em Fafe, está prestes a sofrer uma
remodelação que, segundo a autarquia, não alterará as suas principais
características. A intervenção visa recuperar paisagisticamente aquele local
centenário e passa pela colocação de um elevador panorâmico na fachada
principal, que contará com três paragens. No primeiro piso, funcionará um
bar e o segundo andar dará acesso ao jardim.

O elevador panorâmico servirá, também, para facilitar o acesso a pessoas com
deficiência. O lago central vai continuar a existir e será reformulado o
parque infantil e o espaço multiusos, que será dotado de um piso
polivalente. A obra está orçada em 100 mil euros e, em breve, será
concessionada.

Programado há muito

Esta notícia não apanhou de surpresa os habituais utilizadores do jardim.
“Esta obra já estava programada há muito e é bem preciso mexer aqui, mas há
coisas que não se percebem”, disse ao JN, um sexagenário que desde criança
frequenta o espaço. Este homem, que preferiu manter o anonimato, lamenta o
“ambiente de droga e namoros um bocado avançados” e não entende “porque é
que não vem cá um guarda nem a Polícia Municipal”.

Familiarizado com o jardim há mais de 50 anos, o interlocutor recorda os
tempos áureos de um espaço que já foi central, na então vila de Fafe. “Tinha
um barco, um bar, um ringue de patinagem, mas agora está muito fraquinho.
Naquele coreto já tocaram muitas bandas de música, mas agora não pára lá
ninguém. Até as árvores foram partindo e ninguém quis saber delas. O piso
era feito de um barro próprio, que não sujava nada, e agora está tudo cheio
de terra. Passam por aqui de bicicleta ou a correr e levantam muito pó”.

Quanto ao novo projecto, a questão do elevador parece ser a que mais
controvérsia causa. “Um elevador para quê? Só se for para tirar a estética
do jardim e para os moços andarem a brincar para cima e para baixo. Pára
aqui muita gandulo”, explica. Outra dos aspectos pelo qual os frequentadores
temem é pelo futuro das árvores centenárias. “Eles que nem se atrevam a
derrubar árvores, que estão cá desde a inauguração”, avisam os
frequentadores assíduos do jardim.

https://jn.sapo.pt/2006/08/09/minho/novo_jardim_calvario_bar_e_elevador_.html

=================================

11. Aveiro: Cidade perde mobilidade

Táxis fluviais foram apresentados na Semana da Mobilidade de 2005

Os três vereadores do Partido Socialista na Câmara Municipal de Aveiro
abstiveram-se na votação à proposta do Executivo da maioria PSD/CDS-PP para
que o município aderisse ao Dia Europeu Sem Carros, que se realiza a 22 de
Setembro. A abstenção ficou a dever-se ao facto da autarquia não ter
apresentado qualquer iniciativa para esse dia, à semelhança do que tem vindo
a acontecer nos últimos seis anos. A oposição socialista discorda também do
facto deste ano não se realizar também a Semana da Mobilidade. No entender
de Marques Pereira, esta proposta do Dia Europeu sem Carros “é uma mão cheia
de nada”.

https://jn.sapo.pt/2006/08/09/centro/cidade_perde_mobilidade.html

=================================

INFORMAÇÃO SOBRE O BOLETIM INFOPNED:

Acima apresenta-se o sumário e/ou resumos de notícias de interesse
urbanístico/ambiental publicadas na edição electrónica do Jornal de
Notícias e de O Primeiro de Janeiro (e ocasionalmente de outros
jornais ou fontes de informação).

Esta lista foi criada e é animada pela associação Campo Aberto, e está
aberta a todos os interessados sócios ou não sócios. O seu âmbito específico
são as questões urbanísticas e ambientais do Noroeste, basicamente entre o
Vouga e o Minho.

Selecção hoje feita por José Carlos Marques

Para mais informações e adesão à associação Campo Aberto:

Campo Aberto – associação de defesa do ambiente

www.campoaberto.pt
campo-aberto.blogspot.com

Apartado 5052
4018-001 Porto
telefax 22 975 9592
contacto@campoaberto.pt
=================================

__._,_.___

=============== PNED: Porto e Noroeste em Debate ===============

Para difundir mensagens escreva para: pned@yahoogrupos.com.br

Neste grupo não são permitidas mensagens com anexos.

Para assinar a lista envie mensagem sem assunto para: pned-subscribe@yahoogrupos.com.br e com o corpo da mensagem vazio.

Para cancelar a assinatura envie mensagem em que o único texto é “unsubscribe PNED” (sem assunto/subject) para: pned-unsubscribe@yahoogrupos.com.br

Para contactar directamente os coordenadores da lista envie mensagem a: pned-owner@yahoogrupos.com.br

Se quiser informar-se das várias possibilidades para a leitura das suas mensagens ou da forma de alterar os seus dados pessoais, pode consultar:

https://br.groups.yahoo.com/group/pned/

=============== PNED: Porto e Noroeste em Debate ===============

Imprimir esta página Imprimir esta página

Categorias: Boletim

Deixar comentário