İzmir escort » İzmir eskort bayan » Vip Escorts beydağ escort bornova escort buca escort çeşme escort seferihisar escort beylikdüzü escort avrupa yakası escort mecidiyeköy escort beşiktaş escort Escort Paris porn tube porno porn porno amateur

    [Esta lista tem actualmente 387 participantes inscritos.]

    Campo Aberto – associação de defesa do ambiente

    www.campoaberto.pt
    campo-aberto.blogspot.com

    Apartado 5052
    4018-001 Porto
    telefax 22 975 9592
    contacto@campoaberto.pt
    ======================
    Caro Leitor do Boletim Diário PNED:

    Se ainda não o é, e se concorda, ainda que apenas em parte, com o que
    é e faz a Campo Aberto, e se julga útil apoiá-la, faça-se sócio!

    Em alternativa assine a revista Ar Livre (que os sócios também
    recebem).

    Peça informações:
    campo_aberto@oninet.pt

    ==========================

    BOLETIM PORTO E NOROESTE EM DEBATE
    resumo das notícias de ambiente e urbanismo em linha

    Segunda-feira, 17 de Julho de 2006

    ==========================

    Para os textos integrais das notícias consultar as ligações indicadas.

    ==========================
    ==========================
    1. Leiria: Jovens vigiam fogos florestais

    O projecto “Leiria Alerta” inclui uma rede de quatro postos, duas
    junto dos sinos de igrejas, outra na Torre de Menagem do Castelo e
    uma quarta estrutura construída pelos escuteiros em Cardide, que
    coordenam as informações recolhidas a partir dos vários locais. Tudo
    para vigiar os fogos.

    Quatro torres de vigilância, duas delas instaladas em igrejas e uma
    na torre de Menagem do castelo, previnem incêndios florestais durante
    o Verão no concelho de Leiria, num projecto que envolve uma centena
    de jovens voluntários.

    https://www.oprimeirodejaneiro.pt/?
    op=artigo&sec=e4da3b7fbbce2345d7772b0674a318d5&subsec=&id=b8231489997f
    0640576595bd577b04d7

    ==========================
    2. Serra da Estrela: Quercus contesta mudança no parque

    A associação ambientalista Quercus contestou ontem a proposta do
    Instituto da Conservação da Natureza de reduzir em onze por cento a
    área do Parque Natural da Serra da Estrela (PNSE), sugerindo a
    existência de interesses imobiliários nesta medida. A proposta do ICN
    esteve em discussão pública entre 12 de Maio e 26 de Junho, cabendo
    agora à Secretaria de Estado do Ambiente a decisão final sobre esta
    matéria, disse o director do Parque Nacional da Serra da Estrela.

    https://www.oprimeirodejaneiro.pt/?
    op=artigo&sec=e4da3b7fbbce2345d7772b0674a318d5&subsec=&id=ae2ab4f81f47
    174087d000d0b234c7d7

    ==========================
    3. Vila Real: Lobos e javalis

    Os lobos, corços e javalis do Parque Natural do Alvão vão poder
    atravessar em segurança a auto-estrada que cruza aquela zona
    protegida, com a construção de uma passagem superior específica para
    o efeito. Pelo menos cinco lobos morreram atropelados entre 2003 e
    2005 nas estradas que atravessam o Parque Natural do Alvão. Agora, a
    Auto-Estrada 24 (A24), entre Vila Real e Vila Pouca de Aguiar, vai
    incluir o primeiro Ecoduto do país, uma passagem superior específica
    para lobos, corços e javalis, entre outros animais.

    Uma vez que a A24 atravessa uma área de Rede Natura onde estão
    identificadas duas alcateias de lobos, a da Sombra e a da Falperra,
    houve uma “grande preocupação ambiental” desde o início da construção
    desta via rápida, disse um colaborador do Parque Natural do Alvão,
    Paulo Barros. Acrescentou que, com esta passagem, poderá manter-se o
    contacto entre as duas alcateias o que “garantirá uma maior
    variabilidade genética entre os lobos”.

    https://www.oprimeirodejaneiro.pt/?
    op=artigo&sec=e4da3b7fbbce2345d7772b0674a318d5&subsec=&id=bc5f9b185652
    d7e834d11f77885e1289

    ==========================
    4. País: Energia solar mais barata

    Um projecto de investigação da Faculdade de Ciências da Universidade
    de Lisboa (UL) que visa baixar o custo da energia solar vai ser
    financiado pela BP Solar, um dos maiores fabricantes mundiais de
    células e painéis solares. Esse apoio, orçado em 600 mil euros
    durante três anos, foi formalizado sexta-feira na assinatura de um
    protocolo entre as duas partes, representadas por António Vallêra,
    vice-reitor da UL e chefe da equipa de investigadores, e por David
    Carlson, director do programa Tecnologias do Futuro da BP Solar.

    Na origem do problema está o facto de mais de metade desse custo
    derivar do preço dos cristais de silício ultrapuro, matéria-prima das
    células solares. A pensar na sua solução, o Grupo de Semicondutores e
    Aplicações Fotovoltaicas da Faculdade de Ciências da Universidade de
    Lisboa (FCUL), dirigido por António Vallêra, tem dedicado grande
    parte da última década a investigar técnicas alternativas para o
    crescimento de cristais de silício directamente sob a forma de fita.
    É que, tradicionalmente, os cristais de silício são produzidos sob a
    forma de grandes lingotes que têm de ser cortados em finas bolachas
    de 0,2 milímetros de espessura de que são feitas as células solares,
    levando esse processo ao desperdício de mais de metade do material.

    https://www.oprimeirodejaneiro.pt/?
    op=artigo&sec=45c48cce2e2d7fbdea1afc51c7c6ad26&subsec=&id=f1323fdf9718
    b767c54d52d7aa570a57

    ==========================
    5. País: Agricultura mais amiga do ambiente

    Num parecer sobre o Plano Nacional de Desenvolvimento Rural para o
    período 2007-2013, a associação Quercus considera que o
    desenvolvimento rural deve assentar no fortalecimento do sector
    agrícola, defendendo que os preços têm que reflectir os custos de
    produção e os apoios devem reflectir preocupações ambientais.

    Para a Quercus, é importante manter uma agricultura de pequena escala
    e extensiva, mais amiga do ambiente que a agricultura
    industrializada, e apoiar a regionalização do sistema agro-alimentar.
    No seu parecer, propõe uma série de medidas para facilitar o
    desenvolvimento de circuitos curtos de comercialização dos produtos,
    ajustar os preços dos produtos agrícolas à realidade e promover uma
    agricultura mais amiga do ambiente. Para aumentar a sustentabilidade
    ecológica da agricultura, os ambientalistas sugerem, por exemplo, a
    revisão dos montantes de apoio à agricultura biológica e a introdução
    de um imposto para produtos agro-químicos visando desincentivar o seu
    uso. Para resolver a distorção do preço de mercado dos produtos
    agrícolas, as propostas passam pela introdução de um imposto
    aplicável ao transporte de produtos agro-alimentares, para aumentar o
    preço destes produtos de forma proporcional à distância a que foram
    transportados, favorecendo a produção local (…).

    https://www.oprimeirodejaneiro.pt/?
    op=artigo&sec=c74d97b01eae257e44aa9d5bade97baf&subsec=&id=87ea665a076f
    7bdbbf4d78f30feaa804

    ==========================
    6. País: Primeiro relógio-semáforo já funciona

    O primeiro de dez relógios gigantes a instalar em várias praias do
    País a indicar as horas perigosas de exposição ao sol foi inaugurado
    na Praia da Falésia, Albufeira, anunciou a Associação Portuguesa do
    Cancro Cutâneo. Trata-se de uma estrutura mista entre um relógio e um
    semáforo, com 90 centímetros de diâmetro e 3,10 metros de altura, em
    que as horas apresentadas se dividem nas cores vermelho (12/16
    horas), o período de maior perigo de queimaduras solares, amarelo
    (11/12 horas e 16/17 horas) e verde (as restantes horas do
    mostrador).

    Observando que, muitas vezes, quando as pessoas vão para a praia não
    levam relógio, o especialista advertiu que os banhistas se devem
    guiar pela sua própria sombra. “Só devemos estar ao sol quando a
    sombra é maior do que nós próprios”, precisou, sublinhando que aquela
    regra tem a virtude de se aplicar em várias longitudes:

    https://www.oprimeirodejaneiro.pt/?
    op=artigo&sec=b6d767d2f8ed5d21a44b0e5886680cb9&subsec=&id=81bd97c09ca2
    14910ee7d775ccffc78d

    ==========================
    7. Rinocerontes em perigo

    Os rinocerontes sobrevivem há mais de 50 milhões de anos mas,
    actualmente, esta espécie enfrenta sérias ameaças. Estima-se que a
    população de rinocerontes não ultrapasse os 18 mil indivíduos. Sem os
    devidos esforços, todos os rinocerontes (de cinco espécies) podem
    desaparecer rapidamente. Os rinocerontes de Java e da Sumatra estão
    muito próximos da extinção. Juntos totalizam cerca de 400 animais.
    Apenas o rinoceronte branco tem um número razoável de indivíduos,
    sendo no entanto vulnerável. Para lutar contra esta tendência, a
    Associação Europeia de Zoos e Aquários (AEZA) lançou a campanha «Save
    the Rhinos», com o objectivo de unir esforços comuns para combater a
    ameaça de extinção que os rinocerontes enfrentam.

    https://www.oprimeirodejaneiro.pt/?
    op=artigo&sec=c74d97b01eae257e44aa9d5bade97baf&subsec=&id=9da8c3eea65b
    5a5ef0d0edc7e6aeea2d

    ==========================
    ==========================
    Para se desligar ou religar veja informações no rodapé da mensagem.

    O arquivo desta lista desde o seu início é acessível através de
    https://groups.yahoo.com/group/pned/

    Se quiser consultar os boletins anteriores veja
    https://campoaberto.pt/boletimPNED/

    ==========================
    INFORMAÇÃO SOBRE O BOLETIM INFOPNED:

    Acima apresentam-se sumários ou resumos de notícias de interesse
    urbanístico ou ambiental publicadas na edição electrónica do Jornal
    de Notícias e d’O Primeiro de Janeiro (e ocasionalmente de outros
    jornais ou fontes de informação).

    Esta lista foi criada e é animada pela associação Campo Aberto, e
    está aberta a todos os interessados sócios ou não sócios. O seu
    âmbito específico são as questões urbanísticas e ambientais do
    Noroeste, basicamente entre o Vouga e o Minho.

    Selecção hoje feita por Maria Carvalho

    __._,_.___

    =============== PNED: Porto e Noroeste em Debate ===============

    Para difundir mensagens escreva para: pned@yahoogrupos.com.br

    Neste grupo não são permitidas mensagens com anexos.

    Para assinar a lista envie mensagem sem assunto para: pned-subscribe@yahoogrupos.com.br e com o corpo da mensagem vazio.

    Para cancelar a assinatura envie mensagem em que o único texto é “unsubscribe PNED” (sem assunto/subject) para: pned-unsubscribe@yahoogrupos.com.br

    Para contactar directamente os coordenadores da lista envie mensagem a: pned-owner@yahoogrupos.com.br

    Se quiser informar-se das várias possibilidades para a leitura das suas mensagens ou da forma de alterar os seus dados pessoais, pode consultar:

    https://br.groups.yahoo.com/group/pned/

    =============== PNED: Porto e Noroeste em Debate ===============

    Imprimir esta página Imprimir esta página

    Categorias: Boletim

    Deixar comentário