İzmir escort » İzmir eskort bayan » Vip Escorts beydağ escort bornova escort buca escort çeşme escort seferihisar escort beylikdüzü escort avrupa yakası escort mecidiyeköy escort beşiktaş escort Escort Paris porn tube porno porn porno amateur

    =================================

    [Esta lista tem actualmente 387 participantes inscritos.]

    Veja o site e o blogue da Campo Aberto:
    https://www.campoaberto.pt/
    https://campo-aberto.blogspot.com/

    Veja também o blogue:
    https://avenida-dos-aliados-porto.blogspot.com

    Comente, participe, divulgue.
    [Esta lista tem actualmente cerca de 380 participantes inscritos.]

    Veja o site e o blogue da Campo Aberto:
    https://www.campoaberto.pt/
    https://campo-aberto.blogspot.com/

    Veja também o blogue:
    https://avenida-dos-aliados-porto.blogspot.com

    Comente, participe. Divulgue!

    ==========================
    Caro Leitor do Boletim Diário PNED:

    Se ainda não o é, e se concorda, ainda que apenas em parte, com o que é
    e faz a Campo Aberto, e se julga útil apoiá-la, faça-se sócio!

    Em alternativa assine a revista Ar Livre (que os sócios também recebem).

    Peça informações:
    campo_aberto@oninet.pt

    ==========================

    BOLETIM PORTO E NOROESTE EM DEBATE
    resumo das notícias de ambiente e urbanismo em linha

    Sexta-feira, 16 de Junho de 2006

    ==========================

    Para os textos integrais das notícias consultar as ligações indicadas.

    ==========================
    1. Greenpeace propõereservas marinhas

    O movimento ecologista Greenpeace lançou ontem, em Atenas, uma
    campanha para a criação de 32 reservas marinhas no Mediterrâneo, com a
    finalidade de salvar espécies ameaçadas.
    A proposta implicaria que 40% da extensão do Mediterrâneo ficasse
    incluída nesta rede de reservas marinhas. Aí, a actividade piscatória
    seria interdita.

    https://jn.sapo.pt/2006/06/16/sociedade_e_vida/greenpeace_propoereservas_marinhas.html

    ==========================
    2. Sentença de morte (III)

    Há dias, participei num Congresso sobre “Educação e Desenvolvimento
    Sustentável”, promovido e organizado pela Câmara Municipal de Paredes
    de Coura. Neste âmbito, coube-me tratar o tema, “o planeamento e o
    ordenamento do território como factor de desenvolvimento”, partilhando
    os trabalhos da manhã do dia 27 de Maio, com Emílio Fernandez Suarez,
    da Direccion Xeral de Desenvolvimento Sostible da Galiza que discorreu
    sobre as “bases para um deseño intelixente do futuro da Galicia”.

    https://jn.sapo.pt/2006/06/16/porto/sentenca_morte_iii.html

    ==========================
    3. Foi você que pediu um Porto antigo?

    Os caminhos por onde esta homenagem de Germano Silva ao Porto
    deambulam o Largo de S. João, o Novo, “um dos sítios que têm resistido
    às demolições do camartelo”; a Rua da Fábrica, onde outrora esteve
    estabelecida, em pleno coração da cidade, a Real Fábrica do Tabaco
    (nome, aliás, inicialmente dado àquela artéria); o velho Bairro da Sé
    (“Os anos foram-se escoando no calendário do tempo e o resto do Bairro
    da Sé manteve-se inalterável. Pior, continuou a degradar-se”); o Largo
    de S. Domingos, um dos poucos recantos do burgo cinzento onde “ainda
    se guarda alguma coisa da beleza antiga”.

    https://jn.sapo.pt/2006/06/16/porto/foi_voce_pediu_porto_antigo.html

    ==========================
    4. Novo complexo do Fluvial motiva queixa à IGAT

    O Núcleo de Defesa do Meio Ambiente de Lordelo do Ouro (NDMALO)
    solicitou a intervenção da Inspecção-Geral de Administração do
    Território (IGAT) para analisar o processo urbanístico de construção
    do novo complexo desportivo do Clube Fluvial Portuense. A obra está em
    curso na Rua de Aleixo Mota e deverá ficar concluída no final do ano.
    O grupo ecológico garante que “tem fundamentadas razões do
    incumprimento de várias disposições legais vigentes” no processo de
    loteamento e de licenciamento municipal do equipamento. O clube
    defende a legalidade da operação.

    https://jn.sapo.pt/2006/06/16/porto/novo_complexo_fluvial_motiva_queixa_.html

    ==========================
    5. Shopping continua sem licença

    O Shopping Cidade do Porto continua sem licença. Depois de, em
    Fevereiro de 2002, o Supremo Tribunal Administrativo ter considerado
    nulo o despacho municipal de deferimento do licenciamento de
    construção, não foi iniciado qualquer processo para legalizar o centro
    comercial.
    A Câmara portuense tem defendido que o actual Plano Director Municipal
    (PDM) – que entrou em vigor este ano – legaliza o Bom Sucesso.

    https://jn.sapo.pt/2006/06/16/porto/shopping_continua_licenca.html

    ==========================
    6. Matadouro está a poluir rio Fresno

    Um grupo de cidadãos alertou o município de Miranda do Douro para
    eventuais focos de poluição existentes no rio Fresno, provocados pelos
    esgotos do matadouro municipal, instalado numa das margens, a poucos
    metros do curso de águas que está localizado junto ao perímetro da
    cidade. A autarquia local rejeita qualquer responsabilidade nesta
    matéria.
    Segundo Américo Tomé, vice-presidente da Câmara, pode haver alguns
    escorrimentos, mas não chegam a atingir as águas do rio, já que
    praticamente todos os detritos provenientes do abate dos animais vão
    para uma cisterna colocada na parte traseira da unidade de abate e que
    faz a recolha dos detritos.

    https://jn.sapo.pt/2006/06/16/norte/matadouro_esta_a_poluir_fresno.html

    ==========================
    7. Tua navegável para incrementar turismo

    O secretário da Junta de Freguesia de S. Mamede de Ribatua, em Alijó,
    defende a navegabilidade do rio Tua até Mirandela como forma de
    desenvolver o turismo na região. O geógrafo José Ribeiro opina que, se
    for avante a intenção da EDP de construir uma barragem no rio Tua, a
    região deverá pensar em tirar daí outros benefícios que não sejam
    apenas os da produção eléctrica.
    Para garantir a navegabilidade até Mirandela, José Ribeiro defende que
    a albufeira da futura barragem teria de subir à cota 520. Ora,
    acontece que, com uma cota tão alta, muitos terrenos agrícolas do vale
    do Tua e mesmo parte de algumas povoações ficariam inundadas. “Mais de
    metade de localidade do Amieiro, em Alijó, ficaria submersa”,
    reconhece o geógrafo.
    José Ribeiro diz ter consciência da gravidade social e económica da
    situação. E, para a evitar, sugere a construção de mais uma barragem a
    montante da outra, sendo que a transposição pelos barcos seria feita
    através de uma eclusa, à semelhança do que já ocorre no Douro.

    Além do Tua, o secretário da Junta de Freguesia de S. Mamede de
    Ribatua defende também a navegabilidade do rio Sabor, caso a barragem
    para ali projectada venha a ser construída. As paisagens únicas
    daqueles afluentes do rio Douro, as amendoeiras em flor, os desportos
    motorizados e o golfe são dois cartazes que, na sua opinião, deveriam
    ser aproveitados para atrair muitos mais turistas a Trás-os-Montes e
    Alto Douro.

    https://jn.sapo.pt/2006/06/16/norte/tua_navegavel_para_incrementar_turis.html

    ==========================
    8. Linha do Douro como uma via estratégica

    A linha férrea do Douro vai ser proposta na próxima reunião da
    comissão delegada de Planeamento do Eixo Atlântico Peninsular como
    “via estratégica de desenvolvimento do Douro” e de características
    transnacionais.
    O documento será colocado em cima da mesa pelo presidente da Câmara
    Municipal de Peso da Régua, Nuno Gonçalves, a fim de ser analisado. Em
    causa, está o troço entre Marco de Canaveses e Pocinho e a defesa da
    reabertura do segmento entre Pocinho e Barca de Alva e consequente
    ligação a Espanha por La Fregeneda e, posteriormente, a Salamanca.

    https://jn.sapo.pt/2006/06/16/norte/linha_douro_como_via_estrategica.html

    ==========================
    9. Corema critica posições do IPPAR e do IPA

    A associação ambientalista Corema, de Caminha, acusou o IPPAR e o IPA
    de actuarem “como meras comissões liquidatárias do património”,
    produzindo pareceres “esquizofrénicos” sobre o traçado de ligação da
    A28 a Caminha. Em comunicado, a Corema critica ainda o IPPAR
    (Instituto Português do Património Arquitectónico) e o IPA (Instituto
    Português de Arqueologia) pela “tibieza” e pelo “cinismo
    indisfarçável” demonstrados ao longo do processo de aprovação daquele
    traçado.
    Após dois chumbos por parte do Instituto do Ambiente, o traçado da
    ligação da A28 à EN13, na confluência dos concelhos de Caminha e Vila
    Nova de Cerveira, acabou por receber “luz verde”, o que levou a Corema
    a interpor uma providência cautelar para tentar travar o processo.

    https://jn.sapo.pt/2006/06/16/minho/corema_critica_posicoes_ippar_e_ipa.html

    IPPAR e IPA sob o fogo da Corema
    https://www.oprimeirodejaneiro.pt/?op=artigo&sec=e4da3b7fbbce2345d7772b0674a318d5&subsec=&id=b3f08f17bf3303200a7bbd96612c5072

    ==========================
    10. Visto do Tribunal de Contas atrasa obras na matriz

    A segunda fase das obras de restauro da igreja matriz de Caminha, no
    valor 1,2 milhões de euros, aguarda apenas pelo visto do Tribunal de
    Contas, a fim ser iniciados os respectivos trabalhos, com conclusão
    prevista para finais de 2007.
    Esta fase, com uma duração de 14 meses, prevê a recuperação de torre
    sineira, retábulos, guarda- -vento e portas interiores e exteriores;
    impermeabilização de pavimentos; ventilação da base das paredes,
    instalação de novo sistema de som e luz e algumas intervenções no
    espaço envolvente do templo, tais como o tratamento de pavimentos em
    lajedo de granito e colocação de novo sistema de iluminação.

    https://jn.sapo.pt/2006/06/16/minho/visto_tribunal_contas_atrasa_obras_m.html

    ==========================
    11. Câmara promove património natural em percurso pedestre

    A Câmara Municipal de Vouzela está a preparar para amanhã mais um
    percurso pedestre que tem por objectivo promover o património natural
    do concelho, anunciou hoje a autarquia. Trata-se uma pequena rota
    linear com cerca de 16 quilómetros, cujo trajecto será percorrido
    maioritariamente acima dos 900 metros de altitude, chegando a atingir
    os 1.043 metros no Monte Ventoso.

    https://www.oprimeirodejaneiro.pt/?op=artigo&sec=e4da3b7fbbce2345d7772b0674a318d5&subsec=&id=fbe003072be835794407d9825a128faa

    ==========================
    12. Críticas e elogios à nova linha do metro

    Cerca de três semanas após a inauguração, a linha do Metro do Porto
    que liga o Estádio do Dragão ao Aeroporto Francisco Sá Carneiro ouve
    críticas e elogios. Os números fornecidos pela Metro do Porto indicam
    que mais de doze mil pessoas utilizaram a linha, mas o facto de aquele
    meio de transporte marcar presença no aeroporto somente de 32 em 32
    minutos merece, por parte dos seus utilizadores, reclamação. Alguns
    taxistas, que prestam os seus serviços junto do aeroporto, queixam-se
    de perda de trabalho desde que a linha do metro chegou ao local. No
    entanto esta opinião não reúne consenso no seio da classe.

    https://www.oprimeirodejaneiro.pt/?op=artigo&sec=c16a5320fa475530d9583c34fd356ef5&subsec=6c8349cc7260ae62e3b1396831a8398f&id=1f9a3e5bfeb7b1a942e65041b729902e

    ==========================
    13. Câmara viabiliza instalação de esplanadas nos Aliados

    O executivo da Câmara do Porto aprovou, com a abstenção dos vereadores
    do PS, uma proposta que viabiliza a exploração de esplanadas na
    renovada Avenida dos Aliados. A proposta prevê que a autarquia “apoie
    no ano em curso em 10 por cento do valor necessário para aquisição de
    mobiliário para as esplanadas os primeiros 10 requerentes” e que estas
    fiquem isentas de taxas de ocupação durante 2006 e eventualmente em
    2007. No final da reunião do executivo, o vereador do PS, Matos
    Fernandes, afirmou que os socialistas optaram pela abstenção por
    considerarem que a proposta “foi feita com pouco cuidado”,
    designadamente por não explicitar os locais onde podem ser colocadas
    as esplanadas. “As esplanadas não devem ser colocadas na plataforma
    central”, defendeu o autarca socialista.

    https://www.oprimeirodejaneiro.pt/?op=artigo&sec=c16a5320fa475530d9583c34fd356ef5&subsec=6c8349cc7260ae62e3b1396831a8398f&id=5a3d8d1c0f6e7c8210c3a9c5c5c3daee

    ==========================

    Para se desligar ou religar veja informações no rodapé da mensagem.

    O arquivo desta lista desde o seu início é acessível através de
    https://groups.yahoo.com/group/pned/

    Se quiser consultar os boletins atrasados veja
    https://campoaberto.pt/boletimPNED/

    ==========================
    INFORMAÇÃO SOBRE O BOLETIM INFOPNED:

    Acima apresentam-se sumários ou resumos de notícias de interesse
    urbanístico ou ambiental publicadas na edição electrónica do Jornal de
    Notícias e d’O Primeiro de Janeiro (e ocasionalmente de outros jornais
    ou fontes de informação).

    Esta lista foi criada e é animada pela associação Campo Aberto, e está
    aberta a todos os interessados sócios ou não sócios. O seu âmbito
    específico são as questões urbanísticas e ambientais do Noroeste,
    basicamente entre o Vouga e o Minho.

    Para mais informações e adesão à associação Campo Aberto:

    Campo Aberto – associação de defesa do ambiente
    Apartado 5052
    4018-001 Porto
    telefax 22 975 9592
    contacto@campoaberto.pt
    www.campoaberto.pt
    campo-aberto.blogspot.com

    Selecção hoje feita por Cristiane Carvalho

    ======================================

    Imprimir esta página Imprimir esta página

    Categorias: Boletim

    Deixar comentário