• Set : 17 : 2020 - ALERTA AOS CIDADÃOS: TRÊS JARDINS DO PORTO E 503 SOBREIROS EM GAIA AMEAÇADOS DE MUTILAÇÃO E ABATE
  • Mai : 14 : 2020 - Por Amor da Árvore 2020
  • Abr : 24 : 2019 - Poluição Luminosa
  • Ago : 11 : 2014 - Apelo ao boicote de alimentos com milho transgénico
  • Nov : 23 : 2011 - Petição pela salvaguarda das Sete Fontes

[Esta lista tem actualmente cerca de 380 participantes inscritos.]

Destaque: três conseguem, seis mil não

No debate de 23 de Setembro sobre questões de ambiente e urbanismo realizado
no ISEP, o Eng. Diogo Alpendurada, que teoricamente representava ali o
candidato Rui Rio, fez referência ao facto de terem sido apenas três pessoas
que desencadearam o movimento que conseguiu evitar que a Exponor fosse
instalada nos terrenos do actual Parque da Cidade, comentando que muitas
vezes a Câmara precisa de ser acordda pelos cidadãos. Fiquei com a nítida
impressão que o Eng. Alpendurada tinha assim sibilinamente manifestado uma
opinião de incentivo ao movimento de contestação à transformação da Av. dos
Aliados, embora obviamente não possa ter a certeza. Uma cidadã presente
enviou uma pergunta escrita à mesa, que infelizmente não houve já tempo para
submeter a respostas, na qual perguntava como era possível que três pessoas
tivessem conseguido aquele feito e cinco mil (afinal são já 6200) nem sequer
conseguissem ser ouvidas no caso dos Aliados. Aparentemente o actual
presidente da CMP continua a não querer receber os cidadãos ligados a este
movimento, o que não abona a favor dele (Presidente). Há uma maneira de
conceber a democracia que acaba por ser uma forma de autocracia, e que é
julgar que pelo facto de se ter sido eleito já se não tem o dever de
auscultar, dialogar, procurar ouvir a população e as suas diversas correntes
com predisposição para as entender e chegar a possíveis consensos ou
processos de reflexão e amadurecimento das decisões. Infelizmente não temos
à vista no Porto (e em muitos outros locais) nenhum primeiro candidato com
essa percepção da vida democrática.

JCM
==========================
Caro Leitor do Boletim Diário PNED:

Se ainda não o é, e se concorda, ainda que apenas em parte, com o
que é e faz a Campo Aberto, e se julga útil apoiá-la, faça-se sócio!
Em alternativa assine a revista Ar Livre (que os sócios também
recebem). Peça informações a campo_aberto@oninet.pt

Consulte:
https://campo-aberto.blogspot.com/
https://www.campoaberto.pt
==========================

BOLETIM PORTO E NOROESTE EM DEBATE
resumo das notícias de ambiente e urbanismo em linha

Quinta-feira, 6 de Outubro de 2005

==========================

Para os textos integrais das notícias consultar as ligações
indicadas.

==========================

Títulos do jornal Público sem acesso livre:

NOVO SERVIÇO DA MADRUGADA DA STCP DIVIDE OPINIÕES
Nova rede ameaça negócio dos táxis

Sindicato estranha que Rui Rio acuse PJ de negligência
Andréia Azevedo Soares

Todo o litoral de Vila do Conde deve ter protecção legal
Ângelo Teixeira Marques

Morte acelerada da zona histórica

Estarreja aposta em Eco Parque para melhorar imagem

J. Miguel Regueiras*

==========================

1. Crenças e falta de causas
Há uns anos, quase todas as casas em Gaia tinham quintal. Nas horas vagas,
trabalhava-se a terra
por hélder pacheco historiador

Antes da passagem da auto-estrada e consequente febre da construção civil
que lá plantou prédios, sem nexo, Coimbrões era um lugar pacato, com a
pequena igreja lá no alto, olhando o Porto, rodeada de casas baixas, a
maioria habitada por operários das fábricas de cerâmica Carvalhinho, Fojo,
Electro-Cerâmica e, até, Valadares. Havia, também, empregados do pequeno
comércio que animavam as ruas à volta. Além dos oleiros que se espalhavam
pelo lugar, fabricando azulejos, mascatos e peças de olaria nas suas
oficinas caseiras.

Quase todas as casas tinham quintal. Nas horas vagas, aquela gente
trabalhava a terra, tratando dos feijões, alfaces e couves das várias
espécies hortenses.

https://jn.sapo.pt/2005/10/06/grande_porto/crencas_e_falta_causas.html

==========================

2. Maia
Educação ecológica vai envolver 14 mil alunos

Crianças são o “público-alvo”

Procurando dar continuidade ao plano de educação ambiental que, desde 1995,
é desenvolvido na Maia, as escolas do concelho contam, neste ano lectivo,
com um projecto de educação ecológica.

O projecto, desenvolvido pelo Complexo de Educação Ambiental da Quinta da
Gruta (CEAQG), em parceria com o pelouro do Ambiente da Câmara da Maia,
procura informar e educar a população, criando um espírito crítico que
conduza ao empenho activo do cidadão na defesa do ambiente.

==========================

3. Casa da Juventude no antigo convento

reconversão Equipamento inaugurado ontem em Rio Tinto tem gabinetes de apoio
e um Espaço Internet

Das ruínas de um antigo convento na Quinta das Freiras nasceu a Casa da
Juventude de Rio Tinto (Gondomar). Postos de acesso gratuito à Internet, um
centro de atendimento a jovens nas áreas da sexualidade, planeamento
familiar e toxicodependência, salas de formação e informação, um gabinete de
apoio psicológico, um pequeno bar e espaços de estudo e para jogos são
algumas das valências do novo equipamento, inaugurado, ontem, por Valentim
Loureiro, que sublinhou várias vezes não estar num acto de campanha.

https://jn.sapo.pt/2005/10/06/grande_porto/casa_juventude_antigo_convento.htm
l

==========================

4. guimarães
Obra inacabada na Mumadona
Parque António Magalhães converteu inauguração em visita guiada Trabalhos
vão demorar mais um mês

O presidente da Câmara de Guimarães, António Magalhães, e o arquitecto
Álvaro Siza Vieira conduziram, ontem, os jornalistas numa visita guiada ao
largo e parque de estacionamento da Mumadona, cujas obras não ficaram
prontas a tempo do acontecimento. “Sabíamos que havia dificuldades em
completar a obra, em todos os aspectos de pormenor, mas o que é importante é
colocar a funcionalidade desta obra ao serviço das pessoas”, destacou
António Magalhães, esclarecendo que não se tratou da inauguração do novo
equipamento, antes uma visita ao local.

https://jn.sapo.pt/2005/10/06/minho/obra_inacabada_mumadona.html

==========================

5. Seis mil assinaturas contra ³novos² Aliados

Continua a polémica em torno da requalificação da Avenida dos Aliados. A
quatro dias das eleições autárquicas, vários cidadãos do Porto vão hoje
mesmo entregar um abaixo-assinado com 6200 assinaturas, apelando ao
presidente da Câmara do Porto, à Empresa do Metro e aos arquitectos Siza
Vieira e Souto Moura, para reconsiderarem o projecto que já está a ser
implementado. Isso mesmo deu conta ontem Manuela Ramos a Rui Rio, numa
altura em que o autarca passava, em campanha eleitoral, pelo Bairro das
Campinas. ³Gostaríamos muito que o senhor presidente estivesse presente, no
sentido de lhe expormos os nossos argumentos², pediu a munícipe que é também
sócia da Campo Aberto.

Mobilização
Sem obter garantias de nada ­ o autarca apenas perguntou se os assinantes já
tinham tentado falar com os arquitectos ­, Manuela Ramos deu conta ao
JANEIRO que neste documento ³estão congregados nomes de todos os partidos²,
sublinhando assim ³o interesse e a mobilização de tantas pessoas². ³Ainda no
início do mês de Setembro tentamos ter uma audiência com o presidente da
câmara, para discutirmos o assunto, mas nunca obtivemos qualquer resposta²,
lamentou, garantindo que ³se vai continuar a recolher mais assinaturas para
o abaixo-assinado². A verdade, aponto Manuela Ramos, ³é que não conseguimos
chegar ao diálogo com o presidente e, por isso, era importante que
conseguíssemos que ele amanhã [hoje] nos recebesse². Desde que foi
conhecido, o projecto de requalificação da Avenida dos Aliados ­ elaborado
por Siza Vieira e Souto Moura ­ levantou muita contestação por parte de
diferentes associações ambientalistas e mesmo de alguns partidos políticos.

Patrícia Gonçalves

https://www.oprimeirodejaneiro.pt/?op=artigo&sec=eccbc87e4b5ce2fe28308fd9f2a7
baf3&subsec=&id=0ad1df93627e1bc025d5d0f65d23fba3

==========================

Para se desligar ou religar veja informações no rodapé da mensagem.

O arquivo desta lista desde o seu início é acessível através de
https://groups.yahoo.com/group/pned/

==========================
INFORMAÇÃO SOBRE O BOLETIM INFOPNED:

Acima apresentam-se sumários ou resumos de notícias de interesse
urbanístico ou ambiental publicadas na edição electrónica do Jornal
de Notícias e de O Primeiro de Janeiro (em um ou vários dos citados,
não necessariamente em todos).

Esta lista foi criada e é animada pela associação Campo Aberto
(telefax 229759592
Apartado 5052, 4018-001 Porto)
e está aberta a todos os interessados sócios ou não sócios. O seu âmbito
específico são as questões
urbanísticas e ambientais do Noroeste, basicamente entre o Vouga e o
Minho.

Selecção hoje feita por José Carlos Marques

[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]

=============== PNED: Porto e Noroeste em Debate ===============

Para difundir mensagens escreva para: pned@yahoogrupos.com.br

Neste grupo não são permitidas mensagens com anexos.

Para assinar a lista envie mensagem sem assunto para: pned-subscribe@yahoogrupos.com.br e com o corpo da mensagem vazio.

Para cancelar a assinatura envie mensagem em que o único texto é “unsubscribe PNED” (sem assunto/subject) para: pned-unsubscribe@yahoogrupos.com.br

Para contactar directamente os coordenadores da lista envie mensagem a: pned-owner@yahoogrupos.com.br

Se quiser informar-se das várias possibilidades para a leitura das suas mensagens ou da forma de alterar os seus dados pessoais, pode consultar:

https://br.groups.yahoo.com/group/pned/

=============== PNED: Porto e Noroeste em Debate ===============
Links do Yahoo! Grupos

<*> Para visitar o site do seu grupo na web, acesse:
https://br.groups.yahoo.com/group/pned/

<*> Para sair deste grupo, envie um e-mail para:
pned-unsubscribe@yahoogrupos.com.br

<*> O uso que você faz do Yahoo! Grupos está sujeito aos:
https://br.yahoo.com/info/utos.html

Imprimir esta página Imprimir esta página

Categorias: Boletim

Deixar comentário