• Abr : 24 : 2019 - Poluição Luminosa
  • Ago : 11 : 2014 - Apelo ao boicote de alimentos com milho transgénico
  • Nov : 23 : 2011 - Petição pela salvaguarda das Sete Fontes
  • Jul : 6 : 2011 - Perigo para Paisagem Protegida Valongo
  • Jun : 17 : 2010 - Corte de Árvores na Circunvalação – resposta da C.M. Porto

[PNED] Escolas e Correios Fecham: Boletim 29 Janeiro 2004
Editorial: Escolas e Correios Fecham

Fecham escolas e correios, embora haja aqui e ali protestos. Sintoma de uma
doença profunda: o despovoamento contínuo dos campos e do interior e a
acumulação e concentração galopantes nas cidades e zonas fortemente
urbanizadas. Resultado de uma fase de dissolução já executada e acelerador
formidável do esvaziamento do que ainda resta. Cada vez que se fecha uma
escola ou uns correios ou outros serviços no interior isolado é mais um
pontapé no rabo dos que ainda por lá andam: vão-se embora, malandros! Vão
para as cidades, aqui não há hipótese!

Procurar remédios circunscritos às zonas de forte concentração urbana, seja
através de densificação ou de descompressão, de soluções ora “sustentáveis”
ora “tecnocráticas”, sem ter em conta a necessidade de inverter o movimento
canceroso da concentração por meio de uma nova vitalidade do interior e do
mundo rural que se baseasse essa sim na real sustentabilidade, é
provavelmente uma ilusão ou uma diversão.

Abstrair do facto de que as fontes fósseis de energia em que assenta a
concentração urbana, e sem as quais ela descambará em catástrofe, têm
duração muito limitada prevista (desde quatro ou seis décadas para o
petróleo e o gás natural – tantas vezes alardeado como uma energia “verde”
!!! – a dois séculos para o carvão) é colocar toda a questão em bases
falsas.

Cada vez se fala mais em ambiente (veja-se agora a presidência aberta sobre
o tema; também Soares fez uma – e a situação geral do país não cessou depois
disso de piorar em termos ambientais; se a não tivesse feito provavelmente
teria sido igual ou ainda pior…) e em sustentabilidade – mas é para
continuar alegremente a tomar decisões de destruição do ambiente e
insustentáveis porque favorecendo ainda que diminutamente a tendência geral
à insustentabilidade: desde a destruição previsível do melhor do Parque
Oriental que Rui Rio parece querer assinar (ecologicamente uma decisão ainda
mais grave que a construção na bordura do Parque Ocidental, o que não torna
esta defensável) até à destruição previsível e anunciada da riqueza
ecológica do Vale do Sabor, passando por toda uma cascata de decisões que
vão no mesmo sentido.

Vivemos esta época (dolorosa para quem acredita nisto como lucidez – oh como
gostaríamos de estar enganados!), época que resvala e se revela nesta
esquizofrenia de falar elogiosamente ou beatamente daquilo mesmo que destrói
de modo implacável. Mas não temos outro remédio senão continuar a afirmar a
nossa perspectiva e a denunciar esta incongruência. Que desista quem for
capaz disso!

JCMarques

INFOPNED/BOLETIM

Hoje não foi possível indicar em algumas notícias do Jornal de Notícias as
respectivas ligações. Nesses casos aconselha-se a ligação geral
https://jn.sapo.pt/eddia/eddia5.asp, a partir da qual se poderão encontrar os
resumos e depois o texto integral.

Por outro lado, não houve tempo para reduzir o boletim a 12 notícias como
faço ultimamente.

Para desligar-se/religar-se ou para ler as mensagens em modo página, net
veja informações no rodapé da mensagem.

O arquivo desta lista desde o seu início é acessível através de
https://groups.yahoo.com/group/pned/

Quinta-feira, 29 de Janeiro de 2004

1. Reciclagem da Lipor Aumentou 22,5 por Cento em 2003
AMP/Resíduos/Lipor

Por MÁRIO BARROS

Cerca de 41.776 toneladas de material foram enviadas no ano passado para
reciclagem pela Lipor, valor este que assinala um aumento de 22,5 por cento
relativamente a 2002.

https://jornal.publico.pt/2004/01/29/LocalPorto/LP11.html

2. PDM Propõe “Limpar” as Ruas do Porto dos Automóveis
Porto/PDM/Automóveis/Mobilidade

Por NATÁLIA FARIA

O estacionamento automóvel na via pública associado ao emprego é para acabar
na cidade do Porto. A sentença foi proclamada por António Babo, um dos
consultores da proposta de Plano Director Municipal (PDM), durante o
penúltimo debate sobre o tema, realizado anteontem à noite, na Casa das
Artes, no Porto. TEXTO

https://jornal.publico.pt/2004/01/29/LocalPorto/LP12.html

3. PS/Porto Não Apresenta Reclamações Formais ao Plano Director
Porto/PDM

Por NATÁLIA FARIA

O PS não vai apresentar nenhuma reclamação formal relativamente à proposta
de Plano Director Municipal (PDM), cujo processo de discussão pública
termina amanhã. “Deixo às pessoas que são mais válidas, do ponto de vista
técnico, os documentos que são técnicos”, adiantou ao PÚBLICO o líder do
PS/Porto, Nuno Cardoso.

https://jornal.publico.pt/2004/01/29/LocalPorto/LP21.html

4. Ricardo Figueiredo Critica Falta de Sensibilidade para com Cidadãos de
Mobilidade Reduzida
Porto/Deficientes e Cidade

Por NUNO CORVACHO

O vereador do Urbanismo da Câmara do Porto, Ricardo Figueiredo, manifestou
ontem uma “desilusão tremenda” com a “ignorância absoluta” dos serviços
camarários em relação às disposições legais que obrigam a criar nos
edifícios e na via pública um acesso fácil aos cidadãos com mobilidade
reduzida.

https://jornal.publico.pt/2004/01/29/LocalPorto/LP31.html

5. Câmara de Alfândega da Fé Unânime no Apoio à Barragem do Sabor
Torre de Moncorvo/Rio Sabor/Energia/Conservação da Natureza

Por ANA FRAGOSO

Numa fase em que o projecto de construção da barragem do Baixo Sabor, em
Torre de Moncorvo, está em consulta pública, surge mais uma posição de apoio
a este empreendimento de aproveitamento hidroeléctrico.

https://jornal.publico.pt/2004/01/29/LocalPorto/LP41.html

6. Gás Natural Chega a Arcos de Valdevez e Ponte da Barca em 2006
Arcos de Valdevez+Ponte da Barca/Gás Natural/Energia

Por CARLA MARTINS

O gás natural deverá chegar às áreas urbanas e pólos industriais de Arcos de
Valdevez e Ponte da Barca até ao início de 2006. As duas autarquias do Vale
do Lima vão assinar protocolos com a Dourogás, uma empresa privada com sede
em Vila Real, com vista à instalação de uma rede de distribuição deste tipo
de energia primária que tem os custos mais reduzidos do mercado. TEXTO

https://jornal.publico.pt/2004/01/29/LocalMinho/LM01.html

7. Vale do Minho Ameaça com “Medidas Drásticas” Contra Encerramento de
Correios
Vale do Minho/Correios/Interior/Mundo Rural

Por ANA PEIXOTO FERNANDES

A recém constituída Comunidade Intermunicipal (CI) do Vale do Minho ameaça
“tomar medidas drásticas” contra o eventual encerramento de postos de
correios de Melgaço e Paredes de Coura. TEXTO

https://jornal.publico.pt/2004/01/29/LocalMinho/LM04.html

8. Fafe Apresenta Hoje Plano Estratégico para o Concelho
Fafe/Desenvolvimento “sustentável”

A Câmara Municipal de Fafe vai apresentar esta noite, no Salão Nobre dos
Paços do Concelho, o relatório final do “Plano Estratégico de Fafe”, um
trabalho que faz um amplo diagnóstico das várias vertentes do município e
identifica os principais objectivos estratégicos do seu desenvolvimento
sustentável, tendo em conta os problemas e as potencialidades da sua
situação actual.

https://jornal.publico.pt/2004/01/29/LocalMinho/LM07.html

9. Iniciativa em marcha no Vale do Sousa; Lixo pode ser útil
Vale do Sousa/Lixo/Resíduos

Há lixo que poderá ser inútil para uns, mas muito útil para outros. Nesse
sentido, várias empresas do Vale do Sousa estão a recolher material, móveis
por exemplo, que depois é aproveitado para vir a ser reutilizado por
instituições de solidariedade.

https://www.oprimeirodejaneiro.pt/?op=artigo&sec=eccbc87e4b5ce2fe28308fd9f2a7
baf3&subsec=&id=567025a3bf3b74ae03db89e358c5b663

10. Associação ambientalista defende reformulação do projecto;LPN critica
construção dos molhes do Douro
Porto/Molhes do Douro

A Liga para a Protecção da Natureza (LPN) considera que a construção dos
molhes da Barra do Douro constitui uma “solução precária” de ordenamento da
zona costeira. José Manuel Alho, membro daquela organização, defende que “a
obra tem de ser reformulada para poder avançar”.

Os pareceres da LPN concluíram que aquele projecto, que inclui a construção
de dois molhes de grandes dimensões, irá provocar enormes impactos na
dinâmica costeira a sul da barra do Douro, esperando-se erosão costeira
acentuada no Cabedelo e impactos ambientais muito negativos sobre a última
zona de sapal da região, a Baía de S. Paio. Em paralelo, a associação prevê
ainda “o enchimento das praias a sul com as areias dragadas no estuário que
se encontravam contaminadas em 1995 com metais pesados e que continuam
provavelmente com algum grau de contaminação”. A LPN sustenta que “os metais
pesados, através do fenómeno de bioacululação, poderão vir a ter um impacto
muito negativo sobre as comunidades biológicas da Baía de S. Paio, em
particular as aves limícolas”.

https://www.oprimeirodejaneiro.pt/?op=artigo&sec=eccbc87e4b5ce2fe28308fd9f2a7
baf3&subsec=&id=6f8b21583403c1fc878c632ace6195c4

11. 24 escolas com menos de cinco alunos
Viana do Castelo/Fecho de Escolas/Interior/Mundo Rural

A maior parte das escolas do distrito de Viana que têm menos de cinco alunos
vai fechar já no próximo ano lectivo. Ao todo, o Alto Minho tem 24
estabelecimentos de ensino nestas situações e tem também a garantia de que
não há nada a fazer.

https://www.oprimeirodejaneiro.pt/?op=artigo&sec=e4da3b7fbbce2345d7772b0674a3
18d5&subsec=&id=e0fc11051c3a5e94f3c570e409213b6f

12. Falta de alunos leva ao fecho de escolas
Castelo Branco/Fecho de Escolas/Mundo Rural/Interior

Vinte escolas do primeiro ciclo do Ensino Básico do distrito de Cas-telo
Branco vão fechar no próxi-mo ano lectivo devido ao baixo número de alunos,
informou ontem o coordenador do Centro da Área Educativa (CAE) local.
Segundo José Alberto Duarte, aquelas escolas são actualmente frequentadas,
no total, por 69 alu-nos. No concelho do Fundão se-rão encerradas dez
escolas, actual-mente com 35 alunos, enquanto nos concelhos da Covilhã e da
Sertã serão fechadas três escolas em cada um, frequentadas, respectivamente,
por 13 e 12 alunos. Nos concelhos de Castelo Branco e Proença-a-Nova serão
encerradas duas escolas.

https://www.oprimeirodejaneiro.pt/?op=artigo&sec=e4da3b7fbbce2345d7772b0674a3
18d5&subsec=&id=9cc8fdecefe5f4f769a33cb485624d56

13. Edifícios pagam o Parque
Porto/Parque Oriental/Alameda de Azevedo/MOnetarização dos Espaços Verdes

Rui Rio admite autorizar construções nas margens do Parque Oriental para
viabilizar a obra No fórum on-line sobre PDM, o autarca lembra que Alameda
de Azevedo é fundamental
adelino meireles Carla Sofia Luz
A viabilização da empreitada do Parque Oriental pode passar pela autorização
de construções nas bordaduras do espaço. A possibilidade tinha sido
levantada pelo vereador do Ambiente, Rui Sá, da Câmara do Porto. Em resposta
on-line no fórum camarário sobre a proposta do Plano Director Municipal
(PDM), o presidente Rui Rio deixou, ontem, claro que o “futuro Parque
Oriental tem de ter soluções que o viabilizem”.

14. Juntas de freguesia contra nova central de biomassa
Oliveira de Azeméis/Biomassa/Energia

Dezasseis presidentes de juntas de Oliveira de Azeméis, Vale de Cambra e
Arouca subscrevem abaixo-assinado Instalação equacionada por Associação de
Municípios
Salomão Rodrigues
São já 16 os presidentes de juntas de freguesia pertencentes aos concelhos
de Oliveira de Azeméis, Arouca e Vale de Cambra que subscreveram um
abaixo-assinado contra a possível instalação de uma central de biomassa. Com
localização prevista para um terreno situado na freguesia de Carregosa, na
confluência destes três concelhos, a central de biomassa está a gerar
desconfiança entre a população e autarcas locais.

15. Central é uma ideia positiva
Oliveira de Azeméis/Biomassa/Energia/Poluição

Susana Xara Docente biotecnologia da Univ. católica
A construção de uma central de biomassa constitui, no essencial, uma ideia
positiva, por razões ambientais e económicas. Sendo um processo em que se
produz energia por queima (que se pretende devidamente controlada) de
resíduos florestais e eventualmente de de resíduos da indústria das
madeiras, tem inerente a gestão e a subsequente eliminação sustentada de
resíduos que podem estar associados à propagação de fogos, e, por outro, a
recuperação de energia de uma fonte renovável, largamente disponível em
Portugal. Em termos ambientais, a grande vantagem, além de evitar o recurso
aos combustíveis fósseis, é o facto da emissão de dióxido de carbono ser
nula.

16. Plano de urbanização esquecido será revelado
Braga/Urbanização

estudo Incluído na revista “Bracara Augusta” lançada hoje
direitos reservados
O último volume da “Bracara Augusta”, revista cultural de regionalismo e
história, produzida e editada pelo Pelouro Municipal da Cultura, será
apresentado pelas 11.30 horas de hoje no Salão Nobre dos Paços do Concelho
de Braga. A revista vai prosseguir com a publicação de estudos resultantes
de investigações locais, cujo interesse é relevante não só para a região mas
para o país, muitos oriundos de pós-graduações no âmbito de mestrados e
doutoramentos promovidos pelas universidades do Minho e do Porto, conforme
salienta António de Sousa Fernandes, director da publicação.

17. Vamos passear no Parque?
Aveiro/Espaços Verdes

por Carlos Borrego professor catedrÁtico da universidade de aveiro Os
parques podem ser seguros. Em Aveiro, o primeiro passo foi dado com o fim
dos muros

Os espaços verdes, vulgarmente chamados parques e outras vezes jardins,
existem e fazem parte do bom planeamento de qualquer cidade, seja ela
pequena ou grande. Mas por que são estes espaços tão necessários e
importantes? Porque ajudam a purificar o ar da cidade, porque contribuem
para o desenvolvimento sustentável desta… e ainda porque permitem o único
ou um dos poucos contactos do cidadão urbano com o ambiente natural do seu
planeta. E são razões mais do que suficientes.

https://jn.sapo.pt/textos/out50531.asp

INFORMACAO SOBRE O BOLETIM INFOPNED:

Acima apresentou-se o sumario e/ou resumos de noticias de interesse
urbanistico/ambiental publicadas na edicao electronica do Jornal de
Noticias, de O Primeiro de Janeiro e do Publico Local Porto e Minho, em 29
de Janeiro de 2004.

Esta lista foi criada e e animada pela associa

Imprimir esta página Imprimir esta página

Categorias: Boletim

Deixar comentário