• Set : 17 : 2020 - ALERTA AOS CIDADÃOS: TRÊS JARDINS DO PORTO E 503 SOBREIROS EM GAIA AMEAÇADOS DE MUTILAÇÃO E ABATE
  • Mai : 14 : 2020 - Por Amor da Árvore 2020
  • Abr : 24 : 2019 - Poluição Luminosa
  • Ago : 11 : 2014 - Apelo ao boicote de alimentos com milho transgénico
  • Nov : 23 : 2011 - Petição pela salvaguarda das Sete Fontes

[PNED] infoPNED 27.10.2003
Para desligar-se/religar-se ou para ler as mensagens em modo pagina
net veja informacoes no rodape da mensagem.

O arquivo desta lista desde o seu inicio e acessivel atraves de
https://groups.yahoo.com/group/pned/

Segunda-feira, 27 de Outubro de 2003

INDICE
1. As vias enterraram a população de Azevedo”
2.Jardim infantil de Couros pode abrir
3. Obras atiram Urgência para pré-fabricados
4. Bragança processa “Time”
5. Traçado do TGV serve o Norte
6. Reabilitação Ambiental de Minas Marca Passo
7. Valença/Tui É a Fronteira com Maior Tráfego
8. Rebelião nos Bombeiros de Guimarães
9. Autarcas do Lima Querem Ponte Entre Arcos e Barca Junto ao Nó do IC-28
10.A Cidade das Crianças
11. Parque Oriental pode alargar
12.Quiosque informativo para deficientes
13.O Parque Oriental do Porto poderá estender-se para o concelho vizinho.

RESUMOS
1. As vias enterraram a população de Azevedo”
JN – grande Porto
Virgínia Alves

Acessibilidades CDU visitou três lugares em Campanhã onde tudo parece
faltar: dos transportes ao multibanco “ACâmara do Porto tem
responsabilidades em relação as pessoas que vivem em Azevedo, Campanhã,
porque permitiu que se construíssem várias vias que praticamente enterraram
vários lugares e está a prever construir mais, que irão prolongar o
problema”, afirmou overeador da CDU, Rui Sá, ontem de manhã, durante uma
visita aos lugares de Areias, Casais e Tirares. Uma das queixas é a falta de
transportes públicos. Os autocarros da STCP não passam em Azevedo, mas só os
de duas empresas privadas. “As pessoas pagam um bilhete e têm o passe para o
centro.

2. Jardim infantil de Couros pode abrir
JN – país
J.F.

A Câmara Municipal de Guimarães e o Centro Regional de Segurança Social
(CRSS) de Braga acordaram, ontem, os moldes de funcionamento das valências
sociais do Complexo Multifuncional de Couros.

3. Obras atiram Urgência para pré-fabricados
JN – país
Jesus Zing

aveiro RemodelaçãoÁrea do serviço hospitalar quadruplicará até Maio e
balcões de atendimento vão duplicar
Oserviço de Urgência do Hospital Distrital de Aveiro vai funcionar durante
meio ano em pavilhões pré-fabricados, a partir da primeira semana de
Dezembro, devido a obras de remodelação e ampliação das actuais instalações.
A urgência hospitalar aveirense irá funcionar numa área de estacionamento em
frente à consulta externa. Os pré-fabricados, que serão climatizados (ao
contrário do que acontece agora na Urgência), terão todas as condições de
funcionamento e de atendimento, sendo ligados ao edifício principal
hospitalar por um túnel.

4. Bragança processa “Time”
JN – sociedade
Ivete Carneiro

reacção Duas das três casas de diversão da cidade e um indivíduo acusam
revista americana de difamação Com a imagem denegrida, negócio das casas de
“sobe e desce” desceu a pique
Bragança cansou-se de ser ofendida. Alguns deputados municipais encaram a
hipótese de apresentar uma moção pedindo a tomada de uma atitude colectiva e
uma queixa-crime por difamação deverá dar entrada em tribunal até ao final
desta semana. Contra a revista americana “Time”, que está a virar Bragança
contra as suas “mães”. Em nome de duas das três casas de diversão nocturna
da cidade e de um cidadão individual.

5. Traçado do TGV serve o Norte
JN – grande plano

Quando acabar o actual QCA terá de ser pensado um novo modelo de comissão
regional? De facto, as comissões estão formatadas para gerir o QCA III.
Julgo que não se põe a questão de acabar o QCA em 2006, porque continua a
haver uma grande disparidade de desenvolvimento da Região Norte em relação à
UE, o que implica a continuação das políticasde desenvolvimento regional e
de coesão. Pelas nossas contas, a Região Norte vai continuar a ser Região de
Objectivo 1 e vai continuar a ter uma dotação que não ficará muito longe do
actual pacote de fundos. A questão poderá pôr-se, contudo, em 2013. É
positivo que o Norte continue Região Objectivo 1? A Região Norte tem um
rendimento por habitante de cerca de 56% da média comunitária. Com o
alargamento, o rendimento médio da União Europeia baixa.

6. Reabilitação Ambiental de Minas Marca Passo
Público – sociedade
Por NATACHA PEREIRA

No cimo de um vale e a cerca de cinco quilómetros, em linha recta, das
margens do Douro. É aqui que, ao longo de vários anos, se têm acumulado
toneladas de pó de minério das escombreiras da mina de Terramonte, que
explorava ferro, chumbo e algum ouro. Um dos habitantes de Raiva e antigo
trabalhador da mina, não esconde a sua indignação e vai dizendo que as
autoridades competentes conhecem o problema. “Mas, como não moram cá, não
querem saber.”
O problema é que não são apenas os habitantes desta freguesia de Castelo de
Paiva a sentirem-se abandonados. A própria Exmin, entidade responsável pela
realização de estudos e coordenação dos planos de requalificação das áreas
mineiras abandonadas, está desde o inicio do ano de mãos atadas, uma vez que
o Ministério da Economia ainda não disponibilizou os 11.855 milhões de euros
necessários para avançar com as intervenções previstas para 2003.

7. Valença/Tui É a Fronteira com Maior Tráfego
Público – sociedade
Por CARLOS CIPRIANO

Ao contrário do que muita gente poderia ser levada a pensar, não é Vilar
Formoso, mas sim Valença, a fronteira com mais tráfego rodoviário entre
Portugal e Espanha. Naquela cidade, as duas pontes sobre o rio Minho foram
atravessadas em 2001 por uma média de 12.597 veículos ligeiros e pesados de
passageiros por dia. A segunda fronteira com mais movimento é a do
Caia/Badajoz, com um tráfego médio diário de 6777 veículos, seguindo-se
Monte Francisco/Ayamonte, com 6353 veículos, e em quarto lugar Vilar
Formoso/Fuentes de Oñoro, com 4799 veículos.
Estes números foram recentemente divulgados pelo Observatório
Transfronteiriço Espanha-Portugal, entidade criada no decurso da Cimeira
Ibérica de 2001 destinada a acompanhar as tendências de tráfego entre os
dois países e que publicou agora o seu segundo relatório, relativo ao ano
2001.

8. Rebelião nos Bombeiros de Guimarães
Público – local minho
Por NUNO PASSOS E VÍTOR FERREIRA

O corpo de bombeiros da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de
Guimarães (BVG) exige a demissão da actual direcção da corporação, por “dar
ordens que não lhe competem, e sob pressão”.

9. Autarcas do Lima Querem Ponte Entre Arcos e Barca Junto ao Nó do IC-28
Público – local minho
Por NELSON MARQUES

Os presidentes de 20 juntas de freguesia de Ponte da Barca, Ponte de Lima e
Arcos de Valdevez consideram que o recém-inaugurado troço do Itinerário
Complementar n.º 28 (IC 28) só ficará completo no dia em que as duas margens
do rio sejam ligadas por uma ponte, já projectada durante a governação
socialista, entre a freguesia de Lavradas, no concelho de Ponte da Barca
(margem esquerda), e a freguesia de Padreiro, no concelho de Arcos de
Valdevez (margem direita).

10.A Cidade das Crianças
Público – local minho
EDUARDO JORGE MADUREIRA
Não é uma pessoa muito conhecida. Aliás, fora de um reduzido círculo de
especialistas em questões da infância ou do urbanismo, poucos serão os que
já ouviram falar dele. E, no entanto, vale a pena escutar o que Francesco
Tonucci tem para dizer. O pedagogo italiano, que apresentou há poucos dias
em Madrid um livro, intitulado “Quando as crianças dizem basta!”, tem
promovido um projecto que pretende devolver a cidade às crianças
(www.lacittadeibambini.org). Em diversas cidades italianas, espanholas e
argentinas, as ideias deste membro do Conselho Nacional de Investigações
italiano têm dado bons resultados.
(…)
“Ignorando elementares mecanismos de realimentação sistémica, os políticos
pretendem solucionar os problemas urbanos que mais os preocupam – a
mobilidade e a segurança – aumentando o espaço destinado ao automóvel (o que
atrai mais tráfego) e colocando mais polícia na rua”, observa Francesco
Tonucci. No entanto e “paradoxalmente, as duas medidas aumentam a sensação
de insegurança, o que contribui para que as pessoas se fechem nas suas
casas”.

11. Parque Oriental pode alargar
O Primeiro de Janeiro
Patrícia Gonçalves

O vereador do Ambiente, Rui Sá, defende que o Parque Oriental do Porto deve
ter continuidade do lado de Gondomar. Uma ideia partilhada pela CDU local
que, prevê-se, deverá colocar a questão à maioria PSD que lidera a autarquia
gondomarense.

12.Quiosque informativo para deficientes
O Primeiro de Janeiro

A Câmara de Gondomar inaugurou um quiosque informativo dentro do Gabinete do
Munícipe, que se destina exclusivamente a atender situações de pessoas com
deficiência.
Este espaço surge, segundo o vereador da Acção Social, com o intuito de
“ajudar e esclarecer todos aqueles que, por uma razão ou por outra,
necessitem desse auxílio”.
O quiosque prestará todas as informações necessárias relacionadas com este
assunto e terá ainda um ficha de atendimento que permitirá aos munícipes
apresentaram uma queixa ou alertarem para determinadas situações. “Todas as
situações que nos forem apresentadas terão o devido encaminhamento e serão
tratadas com o devido cuidado”, disse Fernando Paulo. Durante a tarde de
ontem foi ainda apresentado o Programa de Adaptação ao Meio Aquático e de
Eliminação de Barreiras Arquitectónicas nas Piscinas Municipais de Gondomar,
em S.Cosme. “Este programa pretende fazer com que estas pessoas comecem a
praticar a natação e não tenham nas piscinas qualquer entrave físico”, disse
o vereador.

13.O Parque Oriental do Porto poderá estender-se para o concelho vizinho.
O Primeiro de Janeiro

O Parque Oriental do Porto poderá estender-se para o concelho vizinho. É
pelo menos essa a vontade da CDU de Gondomar que, anteontem à noite,
promoveu um debate em torno do assunto.
Convidado para o encontro, o vereador do Ambiente, Rui Sá, apresentou o
projecto que quer implementar na cidade, admitindo que é difícil distinguir
as delimitações dos dois municípios. “Algumas das fotografias aéreas que
foram tiradas no local demonstram, realmente, que é muito difícil distinguir
onde acaba o Porto e onde começa Gondomar”, realça.
Mesmo nos terrenos contíguos para onde está projectado o novo Parque
Oriental, descreveu o vereador comunista em declarações ao «Janeiro»,
“existe uma mancha verde pertencente ao concelho de Gondomar”. Ora, “se não
forem acauteladas algumas medidas podemos ter um cenário semelhante ao que
acontece no Parque da Cidade. Ou seja, uma zona verde que na frente de
Aldoar está ameaçada por construções”. As preocupações demonstradas pelos
eleitos pela CDU de Gondomar são partilhadas por Rui Sá que, no entanto,
reconhece não ter tido ainda qualquer contacto com o vereador do Ambiente da
autarquia vizinha. “Defendo que deve haver uma continuidade” – realça o
autarca comunista -, “mas penso que não me compete a mim colocar essa
questão ao município de Gondomar”.
Visita por Azevedo
Por resolver, do lado do Porto, está ainda a questão da construção da
Alameda de Azevedo, com a qual Rui Sá discorda totalmente, uma vez que
interfere com o futuro Parque Oriental. Ontem mesmo, o comunista decidiu
promover uma visita à localidade de Azevedo, em Campanhã, onde tentou provar
que “as grandes vias estruturantes não resolvem a exclusão da população”.
Pelo contrário, aludiu depois da visita, “a construção do IC-29 e da Estrada
da Circunvalação serviram para adensar os problemas daqueles habitantes, uma
vez que constituem barreiras para a própria deslocação das pessoas”.
Segundo advoga a coligação PSD/CDS-PP na Câmara do Porto, a via estruturante
“é uma forma de integrar esta zona da freguesia de Campanhã na cidade”. Mas,
reitera Rui Sá, “não são preciso grandes vias de comunicação [esta prevê
duas faixas de rodagem em cada sentido com separador central] para resolver
essa questão”. Prova disso foram os problemas que o comunista constatou «in
loco» e que “não têm apenas a ver com acessibilidades”. A carreira da STCP,
por exemplo, não chega a Azevedo. As famílias “ficam sobrecarregadas, uma
vez que têm de gastar dinheiro nas empresas privadas de transporte e depois,
no centro da cidade, no passe de autocarro”.

INFORMACAO SOBRE O BOLETIM INFOPNED:

Acima apresentou-se o sumario e/ou resumos de noticias de interesse
urbanistico/ambiental publicadas na edicao electronica do Jornal de
Noticias, do Público e de O Primeiro de Janeiro.

Esta lista foi criada e e animada pela associacao Campo Aberto, e esta
aberta a todos os interessados socios ou nao socios. O seu ambito
especifico sao as questoes urbanisticas e ambientais do Noroeste,
basicamente entre o Vouga e o Minho. Em «Fora do Noroeste», podem
inserir-se noticias de outras regioes que possam apresentar interesse como
exemplo negativo ou positivo para situacoes equivalentes no Noroeste.

Selecção hoje feita por Alexandre Bahia

Para os textos integrais consultar:

https://jn.sapo.pt/eddia/eddia2.asp

https://jornal.publico.pt/publico/2003/10/27/indice.html

https://www.oprimeirodejaneiro.pt

ou as respectivas edições em papel.

=============== PNED: Porto e Noroeste em Debate ===============

Para difundir mensagens escreva para: pned@egroups.com

Para assinar a lista envie mensagem sem assunto para: pned-subscribe@yahoogroups.com e com o corpo da mensagem vazio.

Para cancelar a assinatura envie mensagem em que o único texto é “unsubscribe PNED” (sem assunto/subject) para: pned-unsubscribe@egroups.com

Para contactar directamente os coordenadores da lista envie mensagem a: pned-owner@egroups.com

Se quiser informar-se das várias possibilidades para a leitura das suas mensagens ou da forma de alterar os seus dados pessoais, pode consultar:

https://www.egroups.com/group/pned

Neste grupo não são permitidas mensagens com anexos.

=============== PNED: Porto e Noroeste em Debate ===============

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em: https://br.yahoo.com/info/utos.html

Imprimir esta página Imprimir esta página

Categorias: Boletim

Deixar comentário