• Abr : 24 : 2019 - Poluição Luminosa
  • Ago : 11 : 2014 - Apelo ao boicote de alimentos com milho transgénico
  • Nov : 23 : 2011 - Petição pela salvaguarda das Sete Fontes
  • Jul : 6 : 2011 - Perigo para Paisagem Protegida Valongo
  • Jun : 17 : 2010 - Corte de Árvores na Circunvalação – resposta da C.M. Porto

infoPNED 20 Jun 2003
(pned=Porto e Noroeste em Debate)

Sexta, 20 de Junho de 2003

NO PUBLICO:

http://jornal.publico.pt/publico/2003/06/20/indice.html

1. Incêndios Castigaram o País de Norte a Sul

Se o sinistro com causas mais gravosas foi o de Gondomar (ver texto
acima), muitos outros devastaram centenas de hectares de mato e
floresta, ainda que não tenham colocado casas de habitação em risco. (…)

NO JN:

http://jn.sapo.pt/eddia/eddia6.asp

1. Gaia – Maré cheia no “calçadão ” e trânsito caótico na marginal

O enorme passeio entre Lavadores e Salgueiros transformou-se em local de
romaria de centenas de pessoas,

A maioria dos visitantes vem de automóvel, criando, inevitavelmente,
longas filas de trânsito de vários quilómetros ao longo da marginal,
desde a frente marítima até à Rua daBélgica, junto ao campo de Canidelo.

Com a circulação caótica, a tarefa seguinte é encontrar um local de
estacionamento legal. À falta de área de aparcamento, as viaturas ficam
paradas onde sobra espaço. Muitas vezes encavalitadas nos grandes
passeios de granito, recém-construídos e inauguradosna semana passada
pelo presidente da Câmara de Gaia.

2. Matosinhos – Viagem guiada ao mundo das plantas

“Estamos a identificar as principais espécies do jardim, depois passamos
para as flores e cada um vai plantar o canteiro a seu gosto para tornar
o jardim mais florido”, explica Manuela Baião, a engenheira florestal
que dirige o ateliê de jar- dinagem “Canteiros floridos”, que decorrerá
no Museu da Quinta de Santiago, em Matosinhos, nos dias 23 e 24, depois
de duas iniciativas a 17 e 18 .

3. O desenho da cidade é o desenho da linha de fronteira que separa o
público do privado
(por manuel correia fernandes)

Não é possível desenhar ruas sem saber para quê, assim como não é
possível desenhar edifícios sem se saber como se chega lá e como se está
dentro deles. E, não se sabendo nem uma coisa nem outra…
a cidade não é possível.

4. Porto – Inauguração Avenida 25 de Abril

que custou 16,5 milhões e demorou dois anos a concluir, facilitará a
entrada na cidade Moradores do Bairro de S. Vicente de Paulo deixam
queixas a Rio

[PNED] InfoPNED 20 Junho: Suplemento
(Ainda do dia 20 de Junho, e em complemento ao já enviado pelo Daniel, mais
algumas notícias do JN)

1. Estudos sobre euro-região

O actual presidente do Eixo Atlântico, Rui Rio,revelou que a associação vai
investir nos próximos dois anos seis milhões de euros em vários estudos
sobre a euro-região que envolve o Norte de Portugal e a Galiza (Espanha). “O
que se vai seguir nestes dois anos é a utilização de fundos comunitários num
valor superior ao que alguma vez se verificou”, referiu o presidente da
Câmara do Porto, no final da reunião em que foi eleito líder da
Comissão Executiva da associação. Rui Rio destacou como investimento “mais
importante” a elaboração de um segundo estudo estratégico sobre o Eixo
Atlântico, que permitirá actualizar os resultados obtidos no primeiro,
realizado há dez anos, e terá como objectivo saber “que caminho deve a
euro-região trilhar, a nível económico, social e político”, referiu.

2. O Aleixo é um barril de pólvora

manuel vitorino jornalista

“O Bairro do Aleixo é um barril de pólvora pronto a explodir”.

3. Praias com bandeira azul não têm nadador-salvador

4. Anadia: Câmara quer trocar escolas por um projecto imobiliário

Presidente Litério Marques pretende construir grande complexo escolar na
zona sul da vila Directora regional de Educação visita hoje os terrenos para
avaliação Miguel Gonçalves

“Bondade da ideia não colhe”
José P. Vinhal doutorado em Ciênc. da educação

Não acredito na sinceridade dos argumentos. O que se procura é libertar os
valiosíssimos terrenos onde se encontram aEB 2,3 e a Secundária, de modo a
entregá-los à voragem dos “patos bravos” e de todos aqueles que lhes alisam
as penas e engordam as coxas. Mudar as escolas é um erro inútil e não é o
bem da educação, a pedagogia ou a melhor formação dos jovens que está em
causa. Anadia não tem um infantário, nem uma pré-escola municipal. Algumas
crianças, por dificuldades económicas, chegam às escolas e não sabem pegar
no lápis, nem na caneta. Nisso ninguém pensa/fala, nem na falta de material
didáctico.

5. Vizela: Freguesias têm cada vez mais habitantes

natalidade Só S. João regrediu em
número de moradores que, segundo estudo, começam a sobrepovoar município

*** Fora do Noroeste, mas interessante para nós também:

6. Moradores de Alfama aceitam limites à circulação

Lisboa Emergência Acesso das viaturas de socorro constitui uma das
principais preocupações expressas pelos habitantes do bairro histórico
Memória do incêndio do Chiado bem presente Ana Gaspar

O medo de uma tragédia igual à que destruiu parte do Chiado, em 1988, é
a principal razão apontada pelos moradores de Alfama para concordarem com o
projecto da autarquia e da Empresa Municipal de Estacionamento de Lisboa
(EMEL) de limitar o acesso de viaturas particulares ao bairro.

7. Montijo: Para acabar de vez com barreiras arquitectónicas

MONTIJO plano Baixar passeios é receita municipal para ajudar deficientes
A Câmara do Montijo quer eliminar as barreiras arquitectónicas nos passeios
e vias de acesso da cidade, para melhorar a acessibilidade da população com
mobilidade reduzida. Uma iniciativa lançada no âmbito do Ano Europeu das
Pessoas com Deficiência. O Executivo municipal aprovou, anteontem, a
abertura de concurso para erradicação das barreiras arquitectónicas. O
projecto – que, de acordo com o vereador Nuno Canta, responsável pelo
pelouro das Obras, deverá “arrancar ainda este ano” – prevê o rebaixamento
de passeios em toda a cidade. Está orçado em 60 mil euros.

Imprimir esta página Imprimir esta página

Categorias: Boletim

Deixar comentário