Caro Leitor do Boletim Diário PNED:

    Se ainda não o é, e se concorda, ainda que apenas em parte, com o que
    é e faz a Campo Aberto, e se julga útil apoiá-la, faça-se sócio.

    Campo Aberto – associação de defesa do ambiente
    www.campoaberto.pt
    Apartado 5052
    4018-001 Porto
    telefax 22 975 9592

    ======================
    ==========================
    BOLETIM PORTO E NOROESTE EM DEBATE
    resumo das notícias de ambiente e urbanismo em linha

    Segunda-feira, 12 de Maio de 2008

    ==========================
    Para os textos integrais das notícias consultar as ligações indicadas.
    ==========================
    ==========================
    1. Crónica: O que eles dizem

    Que “ninguém acredita naquilo que os políticos dizem” já cá se sabia.
    A novidade é ser agora também um político assumi-lo, como fez Manuela
    Ferreira Leite em entrevista ao JN. Por algum motivo, a política é
    hoje, como sucessivas sondagens de opinião comprovam, a actividade
    mais desprestigiada junto dos portugueses. O pior é que o
    desprestígio dos políticos e da política se tem transformado em
    desprestígio da própria democracia. As cobras e lagartos que o PS na
    oposição, com destaque para o actual ministro Vieira da Silva, disse
    sobre o Código do Trabalho de Bagão Félix, e depois o que o PS e
    Vieira da Silva fizeram logo que chegaram ao Governo, conseguindo a
    proeza de ultrapassar pela direita o projecto do PSD/CDS, e indo
    ainda mais longe na liberalização dos despedimentos e
    na “legalização”, mediante o pagamento de uma módica taxa, da fraude
    dos recibos verdes, é o exemplo acabado do crédito que merece o que
    dizem os políticos. Manuela Ferreira Leite critica os políticos por
    dizerem em cada momento “aquilo que sabem que as pessoas querem
    ouvir”. Temos boas razões para nos interrogarmos sobre se diz
    que “ninguém acredita naquilo que os políticos dizem” com convicção
    ou apenas porque está em campanha e sabe que é isso o “que as pessoas
    querem ouvir”.

    Manuel António Pina

    https://jn.sapo.pt/2008/05/12/ultima/o_elesdizem.html

    ==========================
    2. Porto/Gaia: Câmaras rejeitam estudo da Refer para Ponte Maria Pia

    A Refer e as câmaras do Porto e de Gaia não se entendem quanto à
    reconversão da centenária Ponte Maria Pia em corredor ciclo-pedonal.
    As duas autarquias rejeitaram o estudo prévio, apresentado pela
    empresa. A transformação da travessia sobre o rio Douro, que deixou
    de servir os comboios em Junho de 1991, está na gaveta há quatro anos.

    Enquanto aguarda por uma resposta das câmaras, a empresa pagará a
    pintura da travessia, que estará finalizada no primeiro semestre do
    próximo ano, garantindo que esta se encontra em “bom estado de
    conservação em termos estruturais”, de acordo com os resultados da
    inspecção realizada em 2005. No documento, o ministério alerta,
    ainda, que a preparação da candidatura a fundos comunitários do
    projecto de reconversão da via férrea em ciclopedonal exige o “acordo
    e colaboração dos dois municípios”, independentemente do “contributo
    parcial da Refer”.

    https://jn.sapo.pt/2008/05/12/porto/camaras_rejeitam_estudo_refer_para_p.html

    ==========================
    3. Porto: Palácio das Artes

    A partir de Novembro, os jovens artistas com vontade de lançar os
    seus produtos culturais no mercado terão uma nova “janela de
    oportunidades”, virada para todo o Mundo. Localizado no Largo de S.
    Domingos, em pleno Centro histórico, o Palácio das Artes – Fábrica de
    Talentos (PAFT) está a progredir a bom ritmo. Trata-se de um projecto
    da Fundação da Juventude que visa o apoio aos jovens artistas,
    fazendo a ponte entre o ensino e o mercado de trabalho, uma vocação
    que a Fundação pretende fomentar.

    Para colmatar as dificuldades de logística que possam vir a ocorrer,
    estão já a ser firmadas parcerias com outras instituições culturais e
    universidades, desde o Minho à região Centro, para assegurar aos
    jovens que desenvolvam o seu trabalho dentro das portas do PAFT a
    possibilidade de mostrarem o resultado do seu trabalho cénico noutras
    instalações, seja nas áreas da dança, do teatro, da escultura, entre
    outras. ”

    Comprado em 2001 pela Fundação da Juventude, o edifício do antigo
    convento de S. Domingos que também já albergou o Banco de Portugal e
    a Companhia de Seguros do Douro está a ser reabilitado para se
    transformar num espaço, onde jovens artistas e criadores terão a
    oportunidade de concretizar os seus projectos de qualidade e já
    há “fila de espera”. O edifício terá ateliês, galeria, loja e
    restaurante e servirá de montra para os produtos desenvolvidos pelos
    jovens artistas.

    https://www.oprimeirodejaneiro.pt/?op=artigo&sec=eccbc87e4b5ce2fe28308fd9f2a7baf3&subsec=&id=59856ee44c23c4e325c447d227332f75

    ==========================
    4. V. N. de Paiva: Parque botânico

    O Arbutus do Demo resultou da reconversão dos antigos Viveiros da
    Queiriga, propriedade da extinta Junta Autónoma de Estradas. Com
    cerca de 15 hectares, aquele espaço foi utilizado, entre as décadas
    de 30 e 90 do século passado, para a criação de plantas e arbustos
    utilizados nas bermas das estradas.

    Há seis anos, a autarquia local, em colaboração com várias entidades,
    entre elas a Escola Superior Agrária de Viseu, encetou um processo de
    requalificação sobre uma área de oito hectares. O investimento,
    superior a 1,25 milhões de euros, permitiu a preservação, renovação e
    plantação de um número hoje calculado em mais de 800 espécies.

    Inovador a nível nacional, o parque botânico está aberto ao lazer e à
    investigação científica.

    https://jn.sapo.pt/2008/05/12/norte/parque_botanico_abriu_ministro.html

    ==========================
    5. Tibães: Novo campo de golfe

    O concelho de Braga vai, finalmente, receber o primeiro campo de
    golfe, cujo projecto contempla uma área de intervenção de 350 mil
    metros quadros, na freguesia de Mire de Tibães. O promotor é a RAR
    Imobiliária que, junto ao Mosteiro de Tibães, pretende arrancar, no
    segundo semestre deste ano, com a construção de um campo de nove
    buracos, além de 29 moradias e club-house. O empreendimento está
    orçado em 30 milhões de euros.

    A construção do “Tibães Golfe”, assim se denomina o empreendimento,
    junta-se, assim, aos dois campos de golfe já em funcionamento no
    Minho, designadamente o da Quinta da Barca, em Esposende, e o de
    Ponte de Lima.

    Por outro lado, a RAR Imobiliária viu, no início deste ano, o
    projecto também aprovado pelo Instituto Português de Gestão do
    Património Arquitectónico e Arqueológico (IGESPAR), atendendo ao
    facto do empreendimento se situar junto ao Mosteiro de Tibães, casa-
    mãe dos beneditinos portugueses, e que se encontra, desde a última
    década, num processo de recuperação museológico. Aliás, na
    implementação do projecto turístico, a RAR Imobiliária, segundo o
    arquitecto Vítor Martins, levou em linha de conta o impacto
    paisagístico na envolvente imediata ao Moteiro de Tibães (edifício
    datado do século XI) e classificado como património nacional.

    https://jn.sapo.pt/2008/05/12/norte/novo_campo_golfe_tibaes.html

    ==========================
    ==========================
    Para se desligar ou religar veja informações no rodapé da mensagem.

    O arquivo desta lista desde o seu início é acessível através de
    https://groups.yahoo.com/group/pned/

    Se quiser consultar os boletins anteriores veja
    https://campoaberto.pt/boletimPNED/

    ==========================
    INFORMAÇÃO SOBRE O BOLETIM INFOPNED:

    Acima apresentam-se sumários ou resumos de notícias de interesse
    urbanístico ou ambiental publicadas na edição electrónica do Jornal
    de Notícias e d’O Primeiro de Janeiro (e ocasionalmente de outros
    jornais ou fontes de informação).

    Esta lista foi criada e é animada pela associação Campo Aberto, e
    está aberta a todos os interessados sócios ou não sócios. O seu
    âmbito específico são as questões urbanísticas e ambientais do
    Noroeste, basicamente entre o Vouga e o Minho.

    Selecção hoje feita por Maria Carvalho

    =============== PNED: Porto e Noroeste em Debate ===============

    Imprimir esta página Imprimir esta página

    Categorias: Boletim

    Deixar comentário