- Campo Aberto - https://www.campoaberto.pt -

Subscritores do Manifesto (via Internet) actualização

Ver lista das assinaturas via internet- actualizada [1]
[2]…………………………………………………..
Já mais de 5000 pessoas apoiaram e assinaram este Manifesto [2] , mas muitíssimas mais, apesar de não concordarem com a “desqualificação” em curso, ainda não se manifestaram.

Não chega discordar é preciso assinar [3]“! Exprima o seu desacordo através do mail portoaliados@sapo.pt [4] , ou assine no papel (peça informações través do mesmo mail).

4 Comments (Open | Close)

4 Comments To "Subscritores do Manifesto (via Internet) actualização"

#1 Comment By Anonymous On 31/08/2005 @ 12:06

ESTE MAIL NÃO ESTÁ CERTO!!!
NÃO CONSIGO ACEDER…KERIA SUBSCREVER O MANIFESTO MAS POR MAIL NAO DÁ. EXISTE ALGUM OUTRO MEIO (EM SER POR MAIL)NO QUAL EU POSSA SUBSCREVER???

#2 Comment By manueladlramos On 31/08/2005 @ 20:08

caro anónimo
o mail
[4]
está a funcionar. por favor verifique outra vez , nomeadamnete para obter a informação que pretende.
cordialmente

#3 Comment By Teófilo M. On 09/09/2005 @ 13:28

É de facto surpreendente, mas o que acontece é que os portugueses ainda têm medo de colocar o seu nome em ‘manifestos’ contra o poder.

O que me espanta é ver que as diferentes candidaturas políticas não aproveitem para subscrever.

#4 Comment By manueladlramos On 09/09/2005 @ 14:12

(O que é que acha surpreendente? 😉
Nós desde o início e no caso do manifesto não quisemos politizar a iniciativa (ao contrário do que fomos acusados). Este não é um manifesto “contra” o poder. Bem, poderá eventualmente ser considerado assim na medida em que se manifesta o desacordo relativamente a decisões tomadas pelo poder político e a opções legitimadas pelo “poder simbólico”. Mas tentou-se que o manifesto (elaborado em tom muito polido) reunisse consensos e não fosse considerado uma arma política contra RR. Nunca se pretendeu que assim fosse. Por isso mesmo é que houve imensas pessoas da área política do PSD e do CDS (ou seja da “coligação”) a assinar como já referi num comentário ao que sobre o parecer do IPPAR escreveu o arquitecto Mário Pessegueiro.
É um manifesto pela preservação do património e contra, isso sim, a descaracterização da cidade com a imposição da contemporaneidade (como disse Rio Fernandes) nos seus locais mais emblemáticos.
O comum dos cidadãos não sabe o que se está passar na cidade (não lê blogues nem jornais) a não ser que o rádio ou principalmente a televisão o noticie.
Na Avenida dos Aliados onde “um janota”recolhe assinaturas, as pessoas incrédulas não acreditavam (apenas agora começam a pensar que poderá ser verdade) que iam destruir o jardim. Não, não iam arranjar, melhorar, limpar, aliviar do trânsito, iam arrasar pura e simplesmente. Aos poucos tomam consciência disso e vão assinando o Manifesto (já são bem mais de 5000, ainda não recontamos e faltam recolher folhas).
Mas a maioria responde com um grande encolher de ombros e isso não me surpreende (nasci no Porto, ou melhor nasci em Porugal, e não propriamente ontem)… o silêncio dos intelectuais da nossa praça esse sim é surpreendente! ( diria até quase vergonhoso e provavelmente cada vez mais envergonhado!)