• Ago : 11 : 2014 - Apelo ao boicote de alimentos com milho transgénico
  • Nov : 23 : 2011 - Petição pela salvaguarda das Sete Fontes
  • Jul : 6 : 2011 - Perigo para Paisagem Protegida Valongo
  • Jun : 17 : 2010 - Corte de Árvores na Circunvalação – resposta da C.M. Porto
  • Jun : 15 : 2010 - Corte de Árvores na Circunvalação

CAMPANHAS PROMOVIDAS PELA CAMPO ABERTO
OU NAS QUAIS A ASSOCIAÇÃO COLABORA 

Algumas destas campanhas são promovidas pela Campo Aberto. Noutras, a Campo Aberto secunda outras organizações, ou colabora com elas, com vista aos objetivos pretendidos em comum.
Como Roma e Pavia não se fizeram num dia, cada interessado pode começar por uma ação simples de uma só campanha e ir vendo o que poderá interessar-lhe e ser possível fazer mais tarde noutras.

A – ESPAÇOS VERDES EM PERIGO

* Em que consiste?

Esta campanha, de forte e intensa participação pública e voluntária, foi lançada pela Campo Aberto em 2006 e, em 2008, tinha conseguido, de entre 113 propostas, selecionar 50 espaços verdes, públicos ou privados, nos 9 concelhos que então formavam a Área Metropolitana do Porto (atualmente são 17), como ameaçados e de preservação mais urgente.

Com vista à publicação em livro dos resultados obtidos, estamos a convidar os cidadãos a visitarem alguns desses locais e verificarem eventuais mudanças entretanto neles ocorridas. Participe também!

Entretanto, seria oportuno fazer reviver a fase então prevista da campanha que apenas ficou esboçada: mobilizar os cidadãos, os habitantes da freguesia e do concelho em que cada espaço está inserido, para intervir a favor da sua preservação e eventualmente restauro e melhoria, quando ainda possíveis.

Veja aqui:
Participe na atualização dos resultados da campanha
Revisitando alguns dos espaços verdes a preservar

* O que posso fazer?

Propor-nos visitar um ou vários espaços verdes selecionados na campanha realizada pela Campo Aberto em 2006-2008 («50 espaços verdes em perigo e a preservar»), na Área Metropolitana do Porto, no seu concelho ou noutro concelho. Nessa visita, recolher informações que permitam comparar o estado atual desse espaço com a descrição dele feita na campanha em 2006-2008. Contacte-nos para lhe fornecermos indicações mais precisas sobre o que se pretende, em email intitulado «50 espaços», para: contacto@campoaberto.pt

B – IRRIGUE – Dar de beber às árvores

* Em que consiste?

Partindo de uma campanha em tempo seco, passou a ser uma campanha permanente em favor da viabilização e proteção da árvore, nas cidades sobretudo, também com a sua faceta de inverno (identificar caldeiras vazias e árvores de crescimento distorcido). Contrariar o abate evitável e a poda drástica podem entrar neste âmbito. No tempo seco cada pessoa interessada é convidada a providenciar água às árvores jovens, recentemente plantadas, que localize nas proximidades do seu local de residência ou trabalho.

Saiba mais sobre a campanha Irrigue-dar de beber às árvores.

* O que posso fazer?

Na faceta de inverno dessa campanha, localize no seu concelho caldeiras onde já existiram árvores e que agora se encontram vazias ou empedradas ou com árvores de crescimento distorcido e inviável, e informe do facto os serviços de arborização do seu município, sugerindo a replantação da caldeira. Se puder e quiser, envie-nos uma cópia ou informação resumida da sua diligência: contacto@campoaberto.pt.

Para a faceta de verão, veja no endereço indicado no final do parágrafo anterior.

Árvores autóctones no Gerês. A árvore, sobretudo quando autóctone, foi e é ainda uma das principais preocupações da Campo Aberto

Árvores autóctones no Gerês. A árvore, sobretudo quando autóctone, foi e é ainda uma das principais preocupações da Campo Aberto

C – APADRINHAR/AMADRINHAR UMA ÁRVORE AUTÓCTONE

* Em que consiste?

«Bosque Autónomo» foi uma campanha que durante alguns anos a Campo Aberto ativou e que passava por donativos (uma árvore, €5,00 euros; os donativos efetivamente recebidos oscilaram entre €5,00 e €1000,00 por pessoa) a que correspondia a emissão de um certificado de apadrinhamento de uma árvore (ou várias). Tendo restado um excedente uma vez apadrinhadas todas as árvores, procurámos um terreno público (que estamos em vias de encontrar, apenas aguardamos confirmação) perto do Porto para relançar esta campanha, que incluirá agora também visitas ao local para trabalho voluntário ou outras atividades.

* O que posso fazer?

Uma vez relançada a campanha da Campo Aberto que se intitulou «Bosque Autónomo», o que aguardamos seja para breve, contacte-nos e colabore na promoção de apadrinhamentos ou amadrinhamentos (donativos para uma determinada árvore e local e/ou voluntariado em ações de plantio ou outras relacionadas) de árvores autóctones a plantar.

D – TRANSGÉNICOS FORA

* Em que consiste?

Proteção dos consumidores e do ambiente face aos potenciais perigos dos alimentos geneticamente modificados.

Saiba mais sobre a campanha Transgénicos Fora.

* O que posso fazer?

Quando fizer compras em supermercados, preencha a folha de sugestões (se estiver disponível) e declare que quer poder optar por alimentos provenientes de animais alimentados com rações livres de transgénicos (em especial laticínios e ovos, o que pode ser subscrito mesmo por muitos dos vegetarianos). Se puder, informe a Plataforma Transgénicos Fora (de que a Campo Aberto faz parte) da sua diligência: plataforma@stopogm.net

E – SEMENTES LIVRES

* Em que consiste?

Campanha a favor da liberdade de os agricultores semearam e trocarem as sementes por eles próprios produzidas, que lhes é coartada por determinados dispositivos legais e pela pressão das grandes empresas sementeiras, com destaque para as que produzem sementes transgénicas. A favor da biodiversidade agrícola e das variedades tradicionais, com os olhos postos num futuro de uma agricultura realmente sustentável e benéfica para o ambiente e para a saúde humana – coisas que estão ausentes de grande parte da atual agricultura convencional hiper-industrializada.

Saiba mais sobre a Campanha Sementes Livres.

* O que posso fazer?

Para começo, cultivar alguma coisa, nem que seja um vaso na janela, começar a aprender a usar sementes e a lidar com sementes e a guardar sementes e voltar a semeá-las. Quando oportuno, pode também apoiar alguma ou algumas das ações da Campanha pelas Sementes Livres (ver atrás).

F- AUTARQUIAS LIVRES DE (GLIFOSATO E DE OUTROS) HERBICIDAS

* Em que consiste?

O uso de herbicidas em espaços públicos pelas autarquias, e em especial do glifosato (herbicida fortemente relacionado com a produção de transgénicos), como método de erradicação de ervas da berma dos caminhos e em outros locais, é uma agressão à qualidade do ambiente, em especial das águas e dos solos. Persuadir as autarquias a aderirem ao manifesto «Autarquias Livres de Herbicidas» é o objetivo. Ajude esta campanha, intervindo junto do seu município e freguesia e de outros municípios e freguesias.

Saiba mais como libertar as autarquias de glifosato e de outros herbicidas.

Veja quais foram as primeiras autarquias a aderir à campanha.

* O que posso fazer?

Contactar a sua junta de freguesia e município (e qualquer outro município com que tenha algum tipo de laço ou proximidade), por email, carta ou telefone (ou por todos esses meios) pedindo à autarquia em causa que adira ao Manifesto Autarquias Livres de Herbicidas (ver atrás). Além disso, procure marcar uma reunião com responsáveis ambientais desse município para lhes fazer pessoalmente esse pedido. Se puder, informe-nos da sua diligência.

 

 

Imprimir esta página Imprimir esta página

Deixar comentário