• Ago : 11 : 2014 - Apelo ao boicote de alimentos com milho transgénico
  • Nov : 23 : 2011 - Petição pela salvaguarda das Sete Fontes
  • Jul : 6 : 2011 - Perigo para Paisagem Protegida Valongo
  • Jun : 17 : 2010 - Corte de Árvores na Circunvalação – resposta da C.M. Porto
  • Jun : 15 : 2010 - Corte de Árvores na Circunvalação

Gerês 2

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

ANTEVISÃO DE VISITA AO GERÊS EM 20 DE SETEMBRO DE 2014
COM ACOMPANHAMENTO E ORIENTAÇÃO DE MIGUEL DANTAS DA GAMA

SERRA DA PENEDA PELA PORTA DO MEZIO

Nesta visita à Peneda-Gerês, a atenção dos participantes será dirigida para os vários pontos de interesse do seu multifacetado património, o qual se vai revelando ao longo de todo o percurso proposto. Património natural, em especial, mas também histórico e rural. Os valores apreciáveis a partir desta entrada do Parque Nacional são múltiplos e diversificados pelo que, no final da jornada, o regresso para outras abordagens será uma vontade que não deixará de se manifestar e que esta viagem pretende potenciar.

O programa compreende três etapas que se vão suceder ao longo do dia:

1ª – Visita ao Centro de Recepção e Informação do Mezio, da ARDAL – Associação de Desenvolvimento Regional do Alto Lima, a funcionar na Porta do Mezio com a temática da Conservação da Natureza e com o centro interpretativo da Área Arqueológica Gião-Guidão. Esta primeira parte do programa ajudará os participantes a interpretar com maior proveito os elementos patrimoniais com que se vão confrontar de seguida.

Desde logo no espaço envolvente deste Centro, uma vez que ainda subsistem infraestruturas que atestam a presença (no passado) dos Serviços Florestais, bem como a Anta do Mezio, importante exemplo da inúmera arte megalítica que ocorre na região.

2ª – Percurso pedestre pela Serra da Peneda, ao longo de um estradão florestal a partir do Mezio no qual se manifestará o grande contraste entre o coberto vegetal promovido pelo Homem e a vegetação espontânea que na Natureza foi evoluindo. Serão percorridas arborizações silvícolas e áreas sujeitas ao pastoreio, após o que se abordará um corredor ripícola natural, num ecossistema de montanha.

3ª – Visita à aldeia do Soajo. Foi sede de concelho entre o início do séc. XVI e meados do séc. XIX e voltou a ganhar o estatuto de vila já depois do ano 2000.

Merecem destaque o Pelourinho do séc. XVII, no largo do Eiró, classificado como Monumento Nacional e o emblemático conjunto de espigueiros, assente numa mole (também) granítica, traduzindo-se num testemunho da arquitectura rural portuguesa de grande importância, e beleza, por isso mesmo reconhecido com o estatuto de Imóvel de Interesse Público. O celeiro mais antigo entre os mais de duas dezenas existentes, data de 1782.

VISITA – PASSEIO À PENEDA-GERÊS

Sábado 20 de setembro

«Os territórios que constituem o Parque Nacional da Peneda-Gerês encontram-se, pelo seu valor natural, pela singularidade e diversidade dos seus ambientes, pelo vigor das formas de relevo e pelo caráter das suas paisagens, entre aqueles que sempre ocuparam um lugar de destaque no imaginário dos portugueses.»

Assim se refere ao PNPG  João Pradinho Honrado, biólogo e Professor da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto, no  seu prefácio ao livro Árvores do Parque Nacional da Peneda-Gerês, cujo Autor é o orientador da nossa visita, Miguel Dantas da Gama, sem dúvida um dos melhores conhecedores do Parque. E prossegue nesse prefácio: «Espaço de peculiaridades botânicas e zoológicas, de carvalhais e destacados afloramentos graníticos, o «Gerês» tornou-se ao longo do tempo local de peregrinação de todos aqueles que, atraídos pelo caráter único deste espaço natural, para aí convergiam em busca de afastamento e de experiências marcantes… […] O Parque Nacional encontra-se entre os territórios do nosso país onde mais observações biológicas, ecológicas e paleoecológicas foram feitas ao longo dos tempos.»

COM QUEM? 

migueldantasgama

 

 

 

 

 

 


 

Miguel Dantas da Gama é licenciado em engenharia eletrotécnica pela Universidade do Porto (FEUP). É um dos fundadores do FAPAS – Fundo para a Proteção dos Animais Selvagens, de que é dirigente. Em 2000, fundou e dirigiu a revista Tribuna da Natureza – a vida selvagem nas quatro estações, editada pelo FAPAS. Envolvido no movimento ecologista desde 1985, tem-se concentrado no Parque Nacional da Peneda-Gerês (PNPG), o espaço natural que o apaixona e para cujos problemas tem alertado em centenas de intervenções públicas nos meios de comunicação social e revistas da especialidade tanto em Portugal como em Espanha. Publicou, além de outros trabalhos sobre o Parque, dois grandes livros profusamente ilustrados, Árvores do Parque Nacional da Peneda-Gerês e Uma longa caminhada com as águias-reais da Peneda-Gerês.

Aos participantes nesta visita, que — nessa qualidade — terão direito a adquirir, com redução sobre o preço corrente de venda ao público, um ou ambos esses livros através da Campo Aberto, serão ulteriormente dadas informações precisas para o efeito.

Arvores - Gerês

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

CRONOGRAMA / PROGRAMA
7:50 – Agrupamento frente ao Café Velasquez, na Praça Velasquez (Praça Francisco Sá Carneiro), no Porto, já de café e pequeno almoço tomado
8:00 – Partida para o Mezio
10:30 – Chegada ao Mezio e visita à respectiva Porta do PNPG/núcleo interpretativo.
11:30 – Passeio a pé pela área envolvente até ponte sobre ribeiro de montanha, passando por zona florestada (carvalhal e vidoal) (percurso sem dificuldade especial), cerca de meia dúzia de quilómetros, no total.
13:00 – Almoço (tipo farnel ou piquenique) durante o percurso.
15:30 – Visita à aldeia do Soajo (a 10 minutos do Mezio, de autocarro). Núcleo de Espigueiros, Pelourinho. Disponibilidade de serviço de café.
18:00 – Regresso ao Porto

ANTES DE SE INSCREVER
Convém, no seu próprio interesse, tomar conhecimento das nossas condições gerais de participação.

DOIS PRAZOS DE INSCRIÇÃO / PARTICIPAÇÃO NAS DESPESAS
Até 20 de agosto (prorrogado de 15 a 20 de agosto): participação nas despesas – sócios € 23,00; não sócios €30,00.
Crianças e jovens até 16 anos: como os sócios, ou seja, €23,00.

Importante: nas inscrições feitas até 20 de agosto, em desistências comunicadas até 25 de agosto será devolvida integralmente a participação nas despesas enviada, pressupondo-se que se justifica por motivo de força maior. Agradecemos a compreensão.

De 21 de agosto a 10 de setembro: participação nas despesas – sócios €30,00, não sócios €35,00.
Crianças e jovens até 16 anos: como os sócios, ou seja, €30,00.

A Campo Aberto incentiva a presença de crianças e jovens nas suas atividades de ar livre. Porém, o adulto acompanhante é responsável por considerar compatível a presença da criança ou do adolescente, tendo em conta a idade e respetivo desenvolvimento, a extensão das caminhadas previstas e o seu grau de dificuldade.

PARA SE INSCREVER
A inscrição é feita preenchendo e enviando o formulário próprio.

Por motivos técnicos, e pedindo desculpa do pequeno incómodo suplementar, o formulário tem que ser preenchido na íntegra mesmo por parte dos sócios ou de não sócios que participam frequentemente nas visitas da Campo Aberto.

Em caso de dúvida ou dificuldade no preenchimento ou envio
Tentaremos ajudar. Comunique as suas dúvidas ou dificuldades para atividadesca@gmail.com ou contacte tm 918527653

PARTICIPAÇÃO NAS DESPESAS DA ATIVIDADE
A inscrição só é válida se, no próprio dia da inscrição, for acompanhada de comprovativo do envio da participação nas despesas de organização. Veja como fazer o envio do montante da participação nas despesas e do comprovativo .

Nessas instruções, pedimos especial cuidado no que se refere a facilitar a identificação de transferências, depósitos ou outras modalidades de envio. Sempre que possa, prefira fazê-lo em linha (online) em modalidade que permita um descritivo, devendo este seguir o modelo indicado na ligação acima.

Em caso de dificuldade, contactar: atividadesca@gmail.com  ou, se necessário, tm 918527653

 

Imprimir esta página Imprimir esta página

Deixar comentário