• Ago : 11 : 2014 - Apelo ao boicote de alimentos com milho transgénico
  • Nov : 23 : 2011 - Petição pela salvaguarda das Sete Fontes
  • Jul : 6 : 2011 - Perigo para Paisagem Protegida Valongo
  • Jun : 17 : 2010 - Corte de Árvores na Circunvalação – resposta da C.M. Porto
  • Jun : 15 : 2010 - Corte de Árvores na Circunvalação

Abastecimento de água – serviço público ou indústria lucrativa?

O e-sítio da Campo Aberto inaugura uma nova rubrica: A Água Pertence à Terra. Nela irão sendo inseridas informações e documentos sobre a sua gestão a nível local, regional, nacional, europeu e mundial.

Começamos com uma breve notícia sobre o número que a revista Ar Livre, editada pela Campo Aberto, dedicou há alguns anos à Nova Cultura da Água, e que se mantém inteiramente atual.

Proximamente, poderá ler aqui o texto da iniciativa de um tratado para a proteção universal da água aprovado em 2001 na Cimeira Água para o Povo e para a Natureza.1366747_80490147

Os documentos que forem sendo inseridos não representam uma posição oficial da Campo Aberto mas elementos de trabalho e de debate. Porém, a associação identifica-se amplamente com Os Dez Mandamentos da Água, redigidos no Porto em 2000 por Javier Martinez Gil e Regina Guimarães e constantes do referido número de Ar Livre, bem como com o princípio de que a água doce pertence à Terra e a todas as espécies que a habitam, formulado no Tratado já aludido. A questão do lucro neste abordada é controversa, sobretudo porque é muito difícil definir uma fronteira clara entre lucro lícito e lucro ilícito. Se tomarmos os termos «lucro» e «lucrativo» desse texto como referindo-se a «lucro ilícito», não haveria dificuldade em partilhar igualmente os restantes aspetos do mesmo.

AR LIVRE N.º 15 – UMA NOVA CULTURA DA ÁGUA

O n.º 15 de Ar Livre, datado de 2004, foi especialmente dedicado ao tema da água. No editorial, lia-se, ao abrir: «Tanto como de ar livre, necessitamos de água livre. Ou seja, livre de contaminantes e de outras poluições. E livre porque acessível a todos em quantidades suficientes, mas não indiscriminadas, antes frugais. Só assim a água poderá continuar a ser um recurso disponível para as gerações presentes e futuras».

No centro desse número, os movimentos em Espanha de luta por uma nova cultura da água, com diversos documentos e entrevistas, com destaque para um texto intitulado Ética hidrológica ou barbárie? de Francisco Javier Martínez Gil, que aborda a questão das barragens, transvases, planos hidrológicos, a propaganda oficial e as suas falsidades.

Destaque também para outro conjunto de elementos que referem as perturbações causadas e a resistência despertada em vários países pelas tentativas de controlo da água pelas grandes multinacionais, com exemplos concretos em França, Bolívia e Colômbia, e ainda uma entrevista com Maude Barlow e Tony Clarke, autores do livro que se tornou uma referência nesta questão, Blue Gold (Ouro Azul).

Este n.º de Ar Livre pode ainda ser comprado na sede da Campo Aberto por €2,50, ou por correspondência por €3,50 (despesas de expedição incluídas). Pedidos para contacto@campoaberto.pt.

Imprimir esta página Imprimir esta página

Categorias: Água

Deixar comentário