• Ago : 11 : 2014 - Apelo ao boicote de alimentos com milho transgénico
  • Nov : 23 : 2011 - Petição pela salvaguarda das Sete Fontes
  • Jul : 6 : 2011 - Perigo para Paisagem Protegida Valongo
  • Jun : 17 : 2010 - Corte de Árvores na Circunvalação – resposta da C.M. Porto
  • Jun : 15 : 2010 - Corte de Árvores na Circunvalação

No próximo dia 29 de Janeiro de 2011 a Campo Aberto realiza um passei Visita à Casa de Teixeira de Pascoaes e zona rural de Fridão que se prevê que seja submersa com a construção da barragem para aí projectada
Inscrições até 19 de Janeiro, preço: €16,00 para sócios, €18,00 para não sócios.
De notar que a inscrição só é válida mediante o respectivo pagamento.
Clique para aceder ao formulário de inscrição

INFORMAÇÕES COMPLETAS

  1. PROGRAMA E HORÁRIO
  2. CASA DE PASCOAES
  3. FRIDÃO: BARRAGEM E ZONA RURAL
  4. INSCRIÇÕES: COMO FAZER

1. Programa e Horário
9:15 – Concentração dos participantes na Praça Velasquez (hoje, Francisco Sá Carneiro), junto ao Café Velasquez
9:30 – Embarque num pequeno autocarro fretado pela Campo Aberto. Partida para Amarante.
11:00 – Chegada à Casa de Pascoaes (São João de Gatão) e visita orientada por António José Queirós (ver na secção 3 nota sobre o orientador; ver em apêndice nota sobre Teixeira de Pascoaes)
13:00 – Partida para Fridão. Almoço no local das Águas Bravas («farnel» a cargo de cada participante, a partilhar com quem queira)
14:00 – Encontro com a Associação Cívica Pró-Tâmega. Visita à zona rural ameaçada pela prevista Barragem de Fridão. Deslocações em autocarro; pequenos percursos a pé.
17:30 – Regresso ao Porto

A Campo Aberto agradece a colaboração de D. Maria Amélia Teixeira de Vasconcellos e do Dr. António José Queirós (visita à Casa de Pascoaes), e da Associação Cívica Pró-Tâmega (visita à zona rural de Fridão).

2. Casa de Pascoaes

A visita à Casa de Pascoaes ficamos a devê-la à amável autorização de D. Maria Amélia Teixeira de Vasconcellos, sobrinha do Poeta Teixeira de Pascoaes. Sobre este, ver: TEIXEIRA DE PASCOAES POETA CÓSMICO.

Nesta visita contamos com a colaboração do Dr. António José Queirós, grande conhecedor da cultura amarantina. Nasceu em Vila Meã, concelho de Amarante, em 1954. Professor, investigador do CEPESE (Centro de Estudos da População, Economia e Sociedade – Porto) e auditor de Defesa Nacional, é doutorado em História pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto. Publicou trabalhos de investigação histórica em revistas científicas de Portugal e Espanha. É autor de vários livros, incluindo Amadeo de Souza-Cardoso – Esboço de uma biografia, Amarante, 1988, e de diversas outras publicações. Foi fundador e director das revistas literárias Cadernos do Tâmega (Amarante, 1989-1995), Anto (Amarante, 1997-2000) e Saudade (Amarante, 2001-2010). Fez parte do Conselho de Redacção da revista Nova Renascença (Porto). De Dezembro de 1999 a Dezembro de 2003 foi director do Jornal de Vila Meã. É autor de dois livros de poesia: Memória do Silêncio (3.ª edição, Fafe, 2007) e Os Meninos e Outros Poemas (2.ª edição, Fafe, 2008). Tem colaboração em diversas antologias e obras colectivas e em revistas literárias de Portugal, Espanha, França, Itália e Brasil. Alguns dos seus poemas estão traduzidos em espanhol, italiano e francês. É membro da Associação Portuguesa de Escritores e da Associação dos Jornalistas e Homens de Letras do Porto.

Casa de Pascoaes
A Casa de Pascoaes foi a casa onde o poeta português Teixeira de Pascoaes viveu. Localiza-se na freguesia de Gatão, pertencente ao concelho de Amarante.
Quinta do Séc. XVII / XVIII / XIX / XX. Quinta com núcleo construído sensivelmente ao centro, composto por solar e dependências agrícolas. O solar de planta em U, integra capela no topo do braço Sul, formando terreiro fechado no topo Este por muro com portal precedido por jardim formal murado, ladeado a Norte pela adega, com acesso por portão voltado a uma antiga casa de caseiro. Junto à fachada lateral Norte do solar desenvolvem-se dependências agrícolas e de serviço, ligadas à adega, formando pátio interior, e a Oeste e Sul jardim formal, pomar e terrenos agrícolas com vinha.

3. Fridão: Barragem e Zona Rural

Se a barragem de Fridão se concretizar, esta visita poderá revelar-se uma das raras oportunidades para os participantes formarem a sua própria ideia sobre o que ela vai destruir, e se se justifica essa destruição. A resposta da Campo Aberto, bem conhecida, é um NÃO rotundo – mas nenhum dos participantes é obrigado a concordar.
Ninguém melhor que a Associação Cívica Pró-Tâmega para nos mostrar esta interessante e ameaçada zona rural. Na sequência do Movimento Cívico para o Desenvolvimento do Tâmega, ela assume, por motivos de amor à Terra e também por razões de ordem ambiental, social e económica, e até de simples segurança, o combate contra a barragem. Quem quiser pode contribuir para esse combate, inclusive por meio de pequenos (ou não pequenos) donativos.
Sobre o Plano Nacional de Barragens visto pela e na Campo Aberto.
No n.º 18 da revista Ar Livre, editado recentemente pela Campo Aberto, várias páginas são dedicadas ao Plano Nacional de Barragens, incluindo as do Tâmega.

Freguesia de Fridão

A Freguesia de Fridão dista cerca de 8 km da sede do concelho de Amarante, aproximadamente 60 da sede do distrito, o Porto, e situa-se nas abas da Serra do Marão, mais especificamente na Serra da Meia Via, entre os caudais convergentes dos Rios Tâmega e Ôlo.

Para além da singular beleza paisagística da Freguesia, localizada no interflúvio Tâmega/Ôlo, e da variedade biológica de diferentes ecossistemas, Fridão tem ainda obras que aqui se ergueram, como a Casa das Chousas, a Casa de S. Faustino (onde funciona uma estância de turismo rural) e ainda outras de referência arquitectónica como a Casa da Ponte, a Casa da Costa e a Casa da Zindinha da Parachã. Igualmente dignas de referência são as típicas casas tradicionais em xisto castanho da Meia Via, cobertas a telha portuguesa de meio cano. Fridão possui também uma Central Hidroeléctrica do Rio Ôlo, sita no lugar de Candal, Freguesia de Fridão, sonhada em 1912 pelo então Presidente da Comissão Executiva Municipal Republicana, Dr. António do Lago Cerqueira, e que veio a fazer de Amarante uma das primeiras localidades iluminadas por energia eléctrica em 1917.

In Página Oficial da Junta de Freguesia de Fridão – Amarante

A polémica da barragem

O relatório de análise ao estudo de impacto ambiental da EDP, elaborado pela empresa «ION – Business, consulting, and environment», faz uma avaliação negativa das consequências da construção da barragem para a qualidade da água e para o turismo. Segundo o mesmo estudo o troço do rio na zona fica «em risco de não atingir os objectivos ambientais definidos pelas normas».

«Existem omissões e incorrecções no estudo de impacto ao aproveitamento hidroeléctrico, intuindo-se que o cenário mais provável é que sejam graves os impactos». O relatório defende que «o rio Tâmega, bem como os seus afluentes, estão classificados como massas de água em risco». Assim sendo , o Estado deveria reabilitar o rio para que atinja, de novo, um estado ecológico.

A ION diz que «a construção de Fridão degradará a qualidade biológica da água resultante de um processo designado por eutrofização, que se deve à acumulação excessiva de nutrientes e ao consequente crescimento de algas e microrganismos».

Na versão da EDP

Segundo a EDP, o estudo ambiental «concluiu que a qualidade da água é boa e pode até melhorar dado que vão ser construídas várias estações de tratamento».
A EDP sublinha que vão ser construídas quatro barragens a montante de Celorico, e que a barragem do Fridão «é crítica para garantir que Celorico e Mondim tenham, também, acesso a um espelho de água que pode ter aproveitamentos turísticos e lúdicos».

Redacção / CP, in IOL, TVI24 – 16 de Junho de 2010

4. Inscrições: como fazer
a) Considera-se inscrição o envio dos dados solicitados na alínea b), com pagamento simultâneo de acordo com a alínea c); as inscrições deverão ser feitas o mais tardar até 19 de Janeiro de 2011;
b) Dados a enviar: nome completo de todas as pessoas a inscrever (por exigência do seguro que cobre cada participante – e cujo custo está incluído no pagamento da inscrição), telefones e email para contacto;
c) Só existe inscrição quando os dados da alínea b) forem comunicados juntamente com um comprovativo ou dados do pagamento. Se uma pessoa pagar por várias, a informação dos nomes das pessoas abrangidas por esse pagamento deverá ser enviada juntamente com os dados da alínea b). Preço: €16,00 para sócios, €18,00 para não sócios. Para o pagamento, é indispensável seguir todas as instruções, mais adiante: COMO PAGAR A SUA INSCRIÇÃO.
d) Anulação: se em 20 de Janeiro não houver número suficiente de inscritos para viabilizar esta visita: 1- a visita será anulada e todas as importâncias pagas serão devolvidas nos 10 dias úteis imediatos; ou 2 – a visita será transformada numa visita por boleias partilhadas (se existirem interessados); nesse caso o custo será de €5,00 por pessoa (sócios e não sócios), sendo devolvidas todas as importâncias pagas acima desse valor. Cada inscrito interessado deverá por isso informar, ao mesmo tempo que os restantes dados da inscrição, se aceita esta modalidade e se o faz como condutor do seu próprio carro, e nesse caso de quantos lugares dispõe além do seu, ou se o faz como passageiro, o que implica dividir as despesas de deslocação com o proprietário do carro, sem qualquer interferência ou responsabilidade da associação organizadora.
e) Anulação devida a mau tempo: só se verificará em caso de alerta da Protecção Civil ou situação equiparável. Os participantes deverão precaver-se em caso de tempo instável. Tendo em vista eventuais pequenos percursos a pé, é conveniente optar por roupa e calçado confortável.

Como pagar a sua inscrição
INDISPENSÁVEL: a identificação de pagamentos levanta por vezes problemas difíceis de resolver. Pedimos por isso a sua colaboração atenta. Informe-nos simultaneamente do pagamento feito, conforme indicado acima na secção Inscrições: como fazer (através do formulário de inscrição).

Nas transferências em linha ou homebanking, solicitar ao banco que seja enviado um comprovativo para contacto@campoaberto.pt. Nos depósitos bancários ou nas transferências multibanco, enviar por correio em papel (Campo Aberto – Apartado 5052 – 4018-001 Porto; a evitar, dadas eventuais demoras; usar apenas caso se inscreva nos primeiros dias de abertura do prazo) ou para o mesmo email a identificação da conta emissora e respectivo banco, e a data e hora da operação, ou o comprovativo ou cópia deste.

Formas de pagamento, a optar:

– transferência simples, no Multibanco, para o NIB 0035 073 0000 3575 6103 54
– home banking, transferência em linha, para o mesmo NIB 0035 073 0000 3575 6103 54

Em caso de dúvida pode contactar-nos por email para contacto@campoaberto.pt ou contactar para 93 652 27 49 Anabela Gonçalves,  Esmeralda Coelho 96 452 02 05.

Imprimir esta página Imprimir esta página

Categorias: Eventos & Visitas

Um comentário até agora.

  1. Melissa Shinn diz:

    Vou eu e mais uma pessoa no sábado a partir da uma da tarde.

Deixar comentário