• Ago : 11 : 2014 - Apelo ao boicote de alimentos com milho transgénico
  • Nov : 23 : 2011 - Petição pela salvaguarda das Sete Fontes
  • Jul : 6 : 2011 - Perigo para Paisagem Protegida Valongo
  • Jun : 17 : 2010 - Corte de Árvores na Circunvalação – resposta da C.M. Porto
  • Jun : 15 : 2010 - Corte de Árvores na Circunvalação

Ciclo de debates “Qualidade de vida e Ambiente”

POLUIÇÃO AQUÁTICA – 15 de Julho de 2009 (Quarta-feira), 21h30

 

ORADOR: Paulo Monteiro (Professor da FEUP, Doutor e Eng.ª Civil) – ver apresentação

LOCAL: Sede da Campo Aberto, Rua de Santa Catarina, 730- 2.º Dto (perto do cruzamento com a rua Gonçalo Cristóvão)

O acentuado crescimento do edificado urbano conduziu a uma significativa alteração do uso do solo, traduzida por uma diminuição das áreas de coberto vegetal e um aumento das áreas urbanizadas, introduzindo profundas alterações nos regimes hidrológicos existentes na rede hidrográfica localizada na área metropolitana do Porto.

Estas modificações nem sempre foram acompanhadas por medidas concertadas de planificação dos sistemas fluviais e de drenagem das águas pluviais e residuais. Deste facto têm resultado alterações muito significativas nos regimes hidrológicos das ribeiras e linhas de água, cujas bacias naturais de drenagem sofreram uma alteração substancial das suas características fisiográficas por imposições de natureza urbanística.

Esta questão é particularmente grave na área metropolitana do Porto, não só porque se encontra submetida a uma intensa pressão urbanística mas, também, porque nestes locais as exigências de qualidade ambiental são mais evidentes, monitorizadas e, sobretudo, percepcionadas pelas populações.

Após a recente realização dos avultados investimentos em infra-estruturas de saneamento básico, que permitiram a drenagem e o tratamento adequado das águas residuais produzidas, constatou-se que a esperada melhoria na qualidade das águas, tanto superficiais como subterrâneas, não atingiu os níveis desejados, uma vez que, entre outras razões, continua a constatar-se a utilização abusiva da rede hidrográfica como meio receptor preferencial para descarga de esgotos urbanos.

Conclui-se, assim, que a melhoria da qualidade ambiental em meio urbano passa, sobretudo, por medidas e acções que contribuam para uma efectiva requalificação ambiental da rede hidrográfica.

 

(fonte das fotos: http://picasaweb.google.com/associacaocampoaberto/20090214RibeirasDoPorto#)

Programa completo e especialistas convidados:

15 de Julho – Poluição aquática – Paulo Monteiro

22 de Julho – Poluição dos solos – Eduarda Ferreira

29 de Julho – Qualidade do ar no interior das casas- Ricardo Sá

30 de Setembro – Poluição sonora – Rui Calejo

Outubro (data a anunciar)– Poluição atmosférica – Conceição Alvim

Objectivo: Perceber os níveis de poluição com que nos deparamos no nosso dia-a-dia e o modo como podem afectar a nossa qualidade de vida.

Região analisada: Área Metropolitana do Porto

Imprimir esta página Imprimir esta página

Categorias: Notícias

Deixar comentário