• Abr : 24 : 2019 - Poluição Luminosa
  • Ago : 11 : 2014 - Apelo ao boicote de alimentos com milho transgénico
  • Nov : 23 : 2011 - Petição pela salvaguarda das Sete Fontes
  • Jul : 6 : 2011 - Perigo para Paisagem Protegida Valongo
  • Jun : 17 : 2010 - Corte de Árvores na Circunvalação – resposta da C.M. Porto
Na passada Quinta-feira, 16 de Abril, pelas 21h30m, realizou-se na freguesia de Nevolgilde (Centro Paroquial S. Miguel de Nevolgilde), Porto, uma sessão de informação sobre a nova linha de Metro que ligará Matosinhos à Estação de S.Bento.
Estiveram presentes os três elementos da Comissão de Acompanhamento indicados pela Câmara Municipal do Porto: Dr. Rui Moreira (Presidente da Associação Comercial do Porto), Dr. Lino Ferreira (Vereador do Urbanismo da CMP) e o Arqº. José Carapeto (Director Municipal do Urbanismo da CMP). Como uma espécie de moderador, presente também, o Presidente da Junta de Freguesia de Nevogilde, Dr. João Rozeira. Na assistência, cerca de 200 pessoas, residentes e não residentes, tiveram ocasião de ser informadas sobre o traçado da linha e suas implicações e apresentar os seus pontos de vista.
A grande questão é a travessia do Metro à superfície ou em túnel.
A Comissão de Acompanhamento (constituída no seu todo pelos elementos referidos e mais três designados pela Metro do Porto) tem como missão avaliar o impacto da proposta, daí o interesse na auscultação da opinião da população, sobretudo das freguesias mais afectadas com a obra. Esta sessão seguiu-se a outras duas já realizadas nas freguesias de Lordelo do Ouro e Foz do Douro.
O traçado em discussão não incluíu o percurso no concelho de Matosinhos, porque não faz parte da CMP.
O percurso foi apresentado com algumas situações virtuais acrescentadas ao projecto pela Comissão de Acompanhamento da CMP para melhor se visualizar o que está em causa.
As situações menos pacíficas, por questões de mobilidade ou urbanísticas, são, sem dúvida, a passagem pela futura Avenida Nun’Álvares, Praça do Império (cujo monumento terá de ser mudado), Rua Diogo Botelho e Fluvial. A partir da Urbanização das Condominhas até S. Bento a circulação é feita em túnel.
Foi apontada a Rua Bartolomeu Velho como alternativa à Rua Diogo Botelho, mas tal não está já em causa nesta discussão.
De referir que a Comissão achou por bem pedir a colaboração da Arqª. Paisagista, Marisa Lavrador, coordenadora do projecto do Parque da Pasteleira no que a esta zona diz respeito.
Imprimir esta página Imprimir esta página

Categorias: Energia e transportes

Deixar comentário