• Ago : 11 : 2014 - Apelo ao boicote de alimentos com milho transgénico
  • Nov : 23 : 2011 - Petição pela salvaguarda das Sete Fontes
  • Jul : 6 : 2011 - Perigo para Paisagem Protegida Valongo
  • Jun : 17 : 2010 - Corte de Árvores na Circunvalação – resposta da C.M. Porto
  • Jun : 15 : 2010 - Corte de Árvores na Circunvalação

Veja o site da Campo Aberto:
http://www.campoaberto.pt/

Comente, participe. Divulgue!

==========================
Caro Leitor do Boletim Diário PNED:

Se ainda não o é, e se concorda, ainda que apenas em parte, com o que é e faz a Campo Aberto, e se julga útil apoiá-la, faça-se sócio!

Em alternativa assine a revista Ar Livre (que os sócios também recebem).

Peça informações:
contacto@campoaberto.pt

==========================

BOLETIM PORTO E NOROESTE EM DEBATE
resumo das notícias de ambiente e urbanismo em linha

Sexta-feira, 18 de Julho de 2008

==========================

Para os textos integrais das notícias consultar as ligações indicadas.

==========================
1. Tampas recicladas dão cadeiras de rodas

A AMARSUL procedeu ontem à entrega de vário material ortopédico, entre cadeiras de rodas e outros materiais, no valor de 59 mil euros, de que beneficiaram 25 IPSS e 30 cidadãos carenciados da Península de Setúbal.

O valor do material oferecido foi, como afirmou ao JN João Pedro Rodrigues, presidente da AMARSUL – a empresa concessionária da exploração e gestão do Sistema Multimunicipal de Valorização e Tratamento de Resíduos Sólidos da Margem Sul do Tejo – “suportado integralmente pelas receitas do Projecto T, que visa a recolha e reciclagem de tampas de plástico”.

Este responsável afirmou ser “extremamente positivo” o balanço que a empresa faz do Projecto T, pois, adiantou, “é benéfico associar uma causa ambiental a uma causa social”, contribuindo para “difundir hábitos de reciclagem junto da população”. Ou seja, “é preciso que as pessoas saibam que com o pequeno gesto de guardar uma tampa e entregá-la à AMARSUL estão a contribuir para a melhoria da qualidade de vida de muitos cidadãos”.

Tetraplégico há nove anos, Murílio Carvalhal reside em Setúbal e movimenta-se com recurso a uma normal cadeira de rodas. Ontem, esperava ansiosamente pela cadeira de rodas eléctrica que lhe foi atribuída. “Vai dar-me mais independência”, afirmou ao JN o jovem, frisando que sozinho nunca teria tido possibilidade de adquirir uma cadeira semelhante, orçada em cerca de oito mil euros.

“E mesmo assim, não vem com toda a tecnologia que pode ter, senão custaria cerca de 12 mil euros”, revelou, explicando que agora poderá adquirir o material em falta para poder aproveitar a cadeira em todas as suas potencialidades, o que lhe dará uma maior independência. “Esta ajuda inicial com a oferta da cadeira já é excelente”, afirmou.

A verdade é que a cidade de Setúbal “vai de mal a pior para quem anda em cadeiras de rodas”, na opinião de Murílio Carvalhal, que adiantou que “as ruas, os acessos a qualquer café ou loja – sem falar noutras instituições – não estão preparadas para as cadeiras de rodas. Torna-se difícil alguém conseguir-se movimentar sem ajuda, para não dizer que é praticamente impossível”. O cenário, aliás, não se aplica só a Setúbal, mas a muitas cidades do país.

Enquanto a AMARSUL procedia à distribuição do material, João Pedro Rodrigues revelou que a campanha de recolha de tampas vai sofrer alterações no próximo ano. “Se as pessoas entregavam as tampas, o desafio é que passem, agora, a entregar as tampas agarradas às garrafas, o que vai permitir recolher mais plástico para reciclar e reunir uma maior verba”, explicou. A instituição beneficiada será a Laço e as verbas recolhidas vão permitir “fechar a rede nacional de diagnóstico do cancro da mama”.

No total, e desde que se iniciou o Projecto T, há cerca de três anos e meio, a AMARSUL já ofereceu cerca de 120 mil euros em material hospitalar, sendo que a ideia foi seguida por outros sistemas multimunicipais por todo o país. Este facto fez com que se desse uma diminuição da quantidade de tampas entregues à empresa. De início as tampas chegavam de todo o país, mas com o desenvolvimento de projectos semelhantes noutras zonas do país, a diminuição das zonas que contribuíam foi notória – o que também justifica o lançamento do novo projecto tampa mais garrafa.

Assim, segundo a AMRASUL, o Projecto T vai manter-se, embora com algumas diferenças, passando a ter uma componente mais regional e alterando o tipo de beneficiários.

http://jn.sapo.pt/PaginaInicial/Sociedade/Interior.aspx?content_id=969169

==========================
2. Hard Club vai gerir Ferreira Borges

O Hard Club vai criar um espaço multifuncional de cultura e de lazer, voltado em especial para a música, no Mercado Ferreira Borges (Porto). A sociedade ficará com a exploração do imóvel classificado durante 17 anos.

A Câmara portuense entregará a gestão do mercado à única empresa que se mostrou interessada em concessioná-lo. A decisão será tomada terça-feira na reunião do Executivo. É o regresso da sala de concertos que fechou em 2006 em Gaia. Mas abraçará outras expressões culturais, como o cinema (nomeadamente a animação japonesa), e novas iniciativas para crianças, famílias e idosos. Os turistas terão uma sala de recepção. Também haverá espaço para muitos dos eventos que hoje já se realizam. O mercado abrirá, todos os dias, às nove horas da manhã.

http://jn.sapo.pt/paginainicial/pais/concelho.aspx?Distrito=Porto&Concelho=Porto&Option=Interior&content_id=969133

==========================
3. Aldeias de Bragança só têm autocarro uma vez por semana

Em Agosto, cerca de 20 aldeias de Bragança vão passar a dispor de autocarro para a cidade apenas uma vez por semana. As populações discordam da decisão, mas o presidente da Câmara quer os motoristas com férias gozadas em Setembro.

As alterações de horário afectam três linhas rurais, que vêem reduzida a frequência do transporte. As linhas são Bragança-Portelo, Bragança -Terroso e Bragança-Gondesende, parte das localidades servidas estão incluídas no perímetro do Parque Natural de Montesinho.

A Câmara de Bragança justifica a decisão pela necessidade de gerir os meios disponíveis, nomeadamente os recursos humanos, uma vez que parte dos motoristas gozam férias durante este mês, para que possam estar todos ao activo no arranque do ano lectivo em Setembro.

http://jn.sapo.pt/paginainicial/pais/concelho.aspx?Distrito=Bragan%E7a&Concelho=Bragan%E7a&Option=Interior&content_id=969161

==========================
4. Ferry-boat regressa hoje com novos preços

O ferry-boat “Cale de Aveiro”, está de volta, a partir de hoje, às ligações entre o Forte da Barra (Ílhavo)” e S. Jacinto (Aveiro), depois de ter estado parado durante quatro meses (mais dois do que o inicialmente previsto) para reparação

Segundo a Empresa Municipal de Mobilidade (MoveAveiro), o regresso do “Cale de Aveiro” às águas da ria está marcado para esta manhã, com uma viagem entre S. Jacinto (partida às 8.25 horas) e o Forte da Barra (chegada às 8.45 horas).

http://jn.sapo.pt/paginainicial/pais/concelho.aspx?Distrito=Aveiro&Concelho=Aveiro&Option=Interior&content_id=969145

==========================
5. Cidadão Repórter
Espinho: transeuntes sem direitos!

O litoral espinhense anda todo em reboliço derivado às obras de construção do túnel ferroviário, que terminaram recentemente. Falta agora urbanizar e arborizar todo o vasto perímetro à superfície que está agora vedado.

Entretanto, uma obra complexa como a que se desenvolveu não desculpa o virar costas a problemas estruturais nas restantes ruas e avenidas, destacando-se a falta de passadeiras para garantir aos transeuntes alguma segurança.

Saliente-se que nesta quadra de veraneio, Espinho duplica de população, fenómeno que acontece em toda o litoral. O trânsito continua caótico nessa faixa e o policiamento de presença também não é visto por lá.

Os vendedores-ambulantes enxameiam a avenida marginal. Na Avenida 8, onde agora, temporariamente, circulam automóveis, o que se torna num novo perigo para os transeuntes, já que junto ao Hotel Mar Azul, com esplanadas de restauração e uma viela para circular, ou passam peões ou carros. Em simultâneo é que não há hipóteses e ninguém constata a anomalia.

Por sua vez, comer numa esplanada junto à viela onde transitam e levantam poeira automóveis, merece reparo junto da ASAE. E a culpa vai direitinha para quem autorizou a circulação, num espaço que antes era pedonal!

http://jn.sapo.pt/CidadaoReporter/Interior.aspx?content_id=968991

==========================
6. Equipamento construído pela Lipor na antiga lixeira de Laúndos
Ultraleves com pista na Póvoa

É inaugurada amanhã uma pista de ultraleves em S. Miguel de Laúndos, Póvoa de Varzim. A construção da pista de ultraleves fez parte de um acordo com a Lipor e visa o aproveitamento da zona onde esteve situado o aterro sanitário municipal.
A Câmara da Póvoa de Varzim vai inaugurar no sábado uma pista de ultraleves em S. Miguel de Laúndos, no antigo aterro sanitário municipal.
A cerimónia, que será presidida por José Macedo Vieira, contará com diversas actividades lúdicas, esperando-se a aterragem do primeiro ultra-leve às 11h30.

A construção da pista de ultraleves fez parte de um acordo com a Lipor – Serviço Intermunicipalizado de Gestão de Resíduos do Grande Porto. O espaço da antiga lixeira de Laúndos, propriedade da autarquia, é hoje um parque verde, com diversos percursos pedonais, pequenos jardins e um Centro de Informação Ambiental, da responsabilidade da Lipor.

http://www.oprimeirodejaneiro.pt/?op=artigo&sec=eccbc87e4b5ce2fe28308fd9f2a7baf3&subsec=&id=188ec5c17841d3307bc48ae2573e5f4f

==========================
7. Fotolegenda

O Papa disse ontem que os recursos naturais do planeta estão a ser delapidados devido ao “consumo insaciável” e exortou a uma maior defesa do ambiente. Num discurso proferido em Sydney perante 150 mil jovens católicos do mundo inteiro, por ocasião do Dia Mundial da Juventude, o Pontífice evocou a “erosão, a desflorestação e a delapidação dos recursos minerais e marinhos para alimentar um espírito de consumo insaciável”. Anteriormente, na sua primeira intervenção pública da visita de dez dias à Austrália, Bento XVI saudou o Governo de Camberra pelo seu “corajoso pedido de desculpas” aos aborígenes pelas injustiças e crueldades do passado.

http://www.oprimeirodejaneiro.pt/?op=artigo&sec=b6d767d2f8ed5d21a44b0e5886680cb9&subsec=&id=cf946353c6edcac74abcff005b87d3de

==========================

Para se desligar ou religar veja informações no rodapé da mensagem.

O arquivo desta lista desde o seu início é acessível através de
http://groups.yahoo.com/group/pned/

Se quiser consultar os boletins atrasados veja
http://campoaberto.pt/boletimPNED/

==========================
INFORMAÇÃO SOBRE O BOLETIM INFOPNED:

Acima apresentam-se sumários ou resumos de notícias de interesse
urbanístico ou ambiental publicadas na edição electrónica do Jornal de
Notícias e d’O Primeiro de Janeiro (e ocasionalmente de outros jornais
ou fontes de informação).

Esta lista foi criada e é animada pela associação Campo Aberto, e está
aberta a todos os interessados sócios ou não sócios. O seu âmbito
específico são as questões urbanísticas e ambientais do Noroeste,
basicamente entre o Vouga e o Minho.

Para mais informações e adesão à associação Campo Aberto:

Campo Aberto – associação de defesa do ambiente
Apartado 5052
4018-001 Porto
telefax 22 975 9592
contacto@campoaberto.pt
www.campoaberto.pt

Selecção hoje feita por Cristiane Carvalho

======================================

Imprimir esta página Imprimir esta página

Categorias: Boletim

Deixar comentário