• Ago : 11 : 2014 - Apelo ao boicote de alimentos com milho transgénico
  • Nov : 23 : 2011 - Petição pela salvaguarda das Sete Fontes
  • Jul : 6 : 2011 - Perigo para Paisagem Protegida Valongo
  • Jun : 17 : 2010 - Corte de Árvores na Circunvalação – resposta da C.M. Porto
  • Jun : 15 : 2010 - Corte de Árvores na Circunvalação

A Barrinha de Esmoriz / Lagoa de Paramos (BELP) pertence à Rede Natura 2000 – conjunto de sítios apontados pela União Europeia como de grande valor natural que merecem ser conservados -, bem como, à Reserva Ecológica Nacional (REN). Apresenta uma enorme biodiversidade ao nível da flora (80 espécies identificadas) e da avifauna (mais de 270 espécies, de diversos estatutos, recenseadas).

Nem sempre as águas da BELP foram como actualmente as conhecemos. Tomar banho, nadar, andar de barco, eram actividades que qualquer veraneante podia praticar.

Sabia que na BELP foram já identificadas cerca de 270 espécies diferentes de aves ? E que algumas delas contribuíram decisivamente para que a área fosse classificada como IBA ( Important Bird Area) pela Bird Life International, isto é, uma área extremamente relevante situada numa das principais rotas migratórias anuais de aves? Uma das espécies mais representativas ao nível das aves é a Águia-sapeira, espécie extremamente ameaçada e vulnerável.


A vegetação característica do cordão dunar e a envolvência dos caniçais conferem-lhe uma agradável paisagem natural. Uma das espécies mais características ao nível da flora, e que constitui um endemismo, é a Jasione lusitanica.


Hoje, a BELP, apesar dos graves atentados que lhe têm sido infligidos, como por exemplo, o despejo de detritos industriais e domésticos nos cursos de água que nela desaguam (Ribeira de Rio Maior, em Paramos, Vala de Maceda, em Esmoriz), a pressão urbanística e imobiliária, a destruição do cordão dunar devido ao seu uso por viaturas todo-o-terreno e pelo pisoteio humano e, mais recentemente, a construção de um campo de golfe (ainda utilizado), assim como, o prolongamento da pista do aeródromo de Paramos, ambos de legalidade duvidosa, apresenta ainda um património biológico que urge preservar.

“Barrinha de Esmoriz/Lagoa de Paramos : que Futuro?” é o tema de uma conferência seguida de debate que terá lugar no próximo dia 18 de Maio, 6ª feira, pelas 21h15 na Junta de Freguesia de Espinho.
Representantes da Quercus, Campo Aberto e SPEA farão curtas intervenções sobre a
Rede Natura 2000, a diversidade ornitológica da Barrinha e a gestão e o ordenamento do
território.


Entretanto, na Galeria da Junta de Espinho decorre uma exposição intitulada “Barrinha de Esmoriz/Lagoa de Paramos (BELP) – Memórias Vivas”. Da responsabilidade do Movimento Cívico Pró Barrinha, a exposição “Memória Viva”pretende mostrar às gerações mais recentes a BELP numa época não muito distante, mas o suficiente para ser desconhecida para muitos. Está patente entre 12 e 20 de Maio, de 2ª a 6ª, entre as 9h às 18h, ao Sábado, das 14h às 17h e ao Domingo, das 930h às 1230 h e 1430 h Às 1730 h.


Imprimir esta página Imprimir esta página

Deixar comentário