• Abr : 24 : 2019 - Poluição Luminosa
  • Ago : 11 : 2014 - Apelo ao boicote de alimentos com milho transgénico
  • Nov : 23 : 2011 - Petição pela salvaguarda das Sete Fontes
  • Jul : 6 : 2011 - Perigo para Paisagem Protegida Valongo
  • Jun : 17 : 2010 - Corte de Árvores na Circunvalação – resposta da C.M. Porto

A associação “Campo Aberto” realizou, dia 24 de Julho, mais um passeio/visita de estudo desta vez focando a região geográfica conhecida como serra do Montemuro.

No seguimento do passeio de reconhecimento geral da Serra de Montemuro realizado em 2004 pela Campo Aberto, em que se percorreu a Serra quase de lés a lés em autocarro, e a pedido de alguns dos participantes, foi então efectuada nova visita à Serra, aprofundando o conhecimento de determinados pontos de maior interesse paisagístico, enquanto se saboreava, como pano de fundo, o seu património natural, cultural e gastronómico.

A Serra de Montemuro, de constituição essencialmente granítica, tem uma extensão de 40 km e o seu ponto mais elevado situa-se a 1382 m(Talegre). Dali se usufrui uma vasta paisagem de grande beleza, avistando-se as Serras de S. Macário, Caramulo, Estrela, as cristas de Leomil, da Sra. da Lapa e do Pisco.

Esta visita foi novamente guiada por Américo Oliveira, sócio e colaborador da”Campo Aberto” desde a primeira hora e um profundo conhecedor da região.

Para além dos aspectos lúdico-culturais que normalmente caracterizam estes passeios, os participantes foram confrontados com várias realidades, bastante tristes, do pseudo desenvolvimento que grassa pelo nosso país e que não descarta mesmo as áreas do interior tão remoto e natural até há poucos anos. É a construção desenfreada de casas nos espaços montanhosos, sem nenhum critério de ordenamento do território e muito menos estético, é a completa descaracterização dos cumes até então pertença da fauna e do nosso olhar, pelo pulular dos parques eólicos, é o desmonte completo das encostas pela exploração desenfreada de pedra para já não falar do flagelo dos incêndios.

O confronto dos cidadãos com estas realidades pode contribuir para criar em cada um de nós uma revolta interior que, bem gerida, pode ajudar a formar movimentos de opinião entusiasmados e actuantes.

O itinerário previsto foi cumprido, sendo de realçar as visitas à Ermida do Paiva, magnífico exemplo do românico tardio, a visita às aldeias tradicionais de Gosende e Vale de Papas onde os participantes puderam ainda encontrar interessantes aspectos de construções tradicionais de granito cobertas com colmo. O contacto com as gentes locais, efectuado nestas aldeias, foi também um aspecto enriquecedor deste passeio. A arqueologia da região não foi esquecida e teve o seu ponto alto com a visita ao sítio Arqueológico de Feirão.

As visitas ao centro histórico de Castro Daire e à igreja românica deTarouquela foram também do agrado dos cerca de trinta participantes neste passeio.

Descrição geral do percurso:

  • Porto
  • S. Pedro do Sul
  • Visita à Ermida do Paiva – o templo das siglas(monumento da 2.ª metade do século XII)
  • Castro Daire (visita ao centro histórico e igreja)
  • Almoço em restaurante típico ou piquenique (num parque arborizado)
  • Centro de Artes Tradicionais do Mezio (aldeia típica do concelho de Castro Daire)
  • Aldeias de Gozende-Feirão
  • Visita ao sítio arqueológico
  • Miradouro da Capela de S. Cristovão
  • Vale de Papas (Aldeia serrana)
  • Cinfães
  • Tarouquela (visita à Igreja Românica)
  • Castelo de Paiva
  • Entre-os-Rios
  • Porto

(Veja também, o primeiro passeio organizado por nós à Serra de Montemuro)

Imprimir esta página Imprimir esta página

Deixar comentário