- Campo Aberto - http://www.campoaberto.pt -

Boletim PNED de 10 de Abril de 2005

[PNED] Boletim de 10/IV/2005

[Esta lista tem actualmente 306 participantes inscritos.]

==========================
BOLETIM PORTO E NOROESTE EM DEBATE
resumo das notícias de ambiente e urbanismo em linha

Domingo, 10 de Abril de 2005

==========================
Para os textos integrais das notícias consulte as ligações indicadas.
==========================
1. PORTO
Extensão do túnel considerada inviável
imbróglio Estudo preliminar aponta diversas consequências negativas Câmara
quer que IPPAR colabore “activamente” na busca de uma solução

A empresa municipal de Gestão de Obras Públicas (GOP) da Câmara do Porto
considera que o projecto de prolongamento do túnel de Ceuta até à Rua de
Adolfo Casais Monteiro é inviável. A análise preliminar da proposta,
apresentada ontem, avança com uma série de implicações negativas do
projecto, incluindo o arrastar das obras por mais 15 meses (no mínimo) e um
incremento de custos entre os 3,5 e os 4 milhões de euros.

A autarquia rejeita, assim, a proposta que mereceria luz verde do IPPAR
(Instituto Português do Património Arquitectónico). Continua a preferir a
solução de colocar a saída no início da Rua de D. Manuel II, a 25 metros do
Museu de Soares dos Reis. Uma solução que, por sua vez, a ministra da
Cultura, Isabel Pires de Lima, já rejeitou de forma definitiva.


+++++++
A Empresa de Gestão de Obras Públicas (GOP) da Câmara do Porto excluiu a
possibilidade do prolongamento do túnel de Ceuta até à Rua de Adolfo Casais
Monteiro, após detectar uma série de “constrangimentos” na análise técnica
preliminar a esta proposta do Instituto Português do Património
Arquitectónico (IPPAR).

+++++++

Técnicos da GOP demonstraram que saída em Casais Monteiro não é viável
Túnel de Ceuta sem saída

Técnicos da empresa municipal de Gestão de Obras Públicas explicaram ontem
que uma saída do Túnel de Ceuta junto à Rua Adolfo Casais Monteiro impede a
fluidez do trânsito. A ir para a frente, o projecto obriga a gastar mais 3,5
a 4 milhões de euros e 15 meses de obras
O impasse está para ficar em torno da construção do Túnel de Ceuta. Um dia
depois da ministra da Cultura garantir que não será permitido o
prolongamento do túnel até à frente do Museu Soares dos Reis, a empresa
municipal de Gestão de Obras Públicas (GOP) demonstrou ontem que também não
é exequível o prolongamento até à Rua Adolfo Casais Monteiro, uma sugestão
do Instituto Português do Património Arqueológico (Ippar). “Não é possível
continuarmos a falar em soluções irrealistas, precisamos que os técnicos do
Ippar se envolvam numa posição coerente”, insistiram os técnicos da GOP,
recusando também a alternativa do Ippar com a boca do túnel a sair na
lateral Norte do Hospital de Santo António.

+++++++
No Público: (sem acesso)

Câmara do Porto exclui saída do túnel após o museu
Andréia Azevedo Soares
Impasse mantém obras paradas: por razões técnicas e financeiras, estudo
rejeita extensão do canal até à Rua de Adolfo Casais Monteiro

ARGUMENTOS CONTRA A SOLUÇÃO APOIADA PELO IPPAR

==========================

2. MATOSINHOS e PORTO

Carris do eléctrico na frente de mar ligam a lado nenhum
Obra Retirada dos trilhos do viaduto do Parque da Cidade deixa amputada a
rede na marginal matosinhense STCP afirma que a expansão do eléctrico na
zona depende do metro na Boavista
A retirada dos trilhos do eléctrico no viaduto do Parque da Cidade, no
Porto, deixa a rede de Matosinhos amputada. Os carris, colocados ao longo da
frente marítima renovada, a pensar numa futura linha de união entre as
marginais dos dois concelhos, ligarão… a lado nenhum. Começam e acabam em
frente aos areais matosinhenses.

==========================

3. PORTO
Parque reabre após chuva de fiascos:castelo do queijo Condutores podem
voltar a usar um espaço que foi fustigado por várias inundações
Muita água metida depois, o parque de estacionamento subterrâneo do Castelo
do Queijo, no Porto, voltou a abrir as cancelas. Pela segunda vez, depois do
último fiasco (Outubro do ano passado), ditado pelas inundações resultantes
de um temporal.
Submetido a uma nova intervenção para a correcção das anomalias, o
equipamento da frente marítima está, desde o início deste mês, a receber
carros. Mas poucos. Ontem, a meio de uma tarde solarenga e convidativa a
passeios na marginal, o parque registava pouca procura. Pelas 16 horas,
estavam estacionadas 27 viaturas, sendo que, à superfície, o corredor Bus da
rotunda tinha sido a opção de diversos automobilistas, uns para paragens
temporárias, outros por tempo indeterminado. Estavam , portanto, por ocupar
muitos dos 294 lugares de estacionamento do espaço. O que poderá ser
explicado pelo facto de tratar-se de uma abertura recente e com pouca
divulgação mediática.

==========================

4. PORTO
Metro pode inviabilizar heliporto no “S. João”
visita Traçado pode interferir com a zona reservada aos helicópetros
Francisco Assis afirma que ainda há tempo para enterrar a Linha Amarela

==========================
5.PORTO

Grupo Pestana quer pousada no Palácio do Freixo votada antes do fim de Abril

O Grupo Pestana quer que o executivo da Câmara do Porto vote a instalação de
uma Pousada de Portugal no Palácio do Freixo e na antiga Fábrica de Moagens
Harmonia antes do “final do mês de Abril”, garantiu ao COMÉRCIO fonte da
empresa. O documento que vai procurar obter os votos favoráveis da oposição,
deverá ser muito parecido com aquele que já foi apreciado (e chumbado) pela
vereação a 1 de Fevereiro último, podendo, contundo, “incorporar alterações,
sobretudo, no que diz respeito ao futuro do Museu da Ciência e Indústria”,
explicou ao COMÉRCIO fonte do grupo empresarial.

==========================

6. GAIA
Parque Biológico recebe anualmente 30 por cento dos animais recolhidos
Centro de raiz é necessário

Novas instalações são visivelmente necessárias para o centro de recuperação
de animais selvagens no Parque Biológico de Gaia. Com um papel cada vez mais
importante na preservação e recuperação de espécies, a clínica recebeu cerca
de 900 animais só durante o ano passado.

==========================

7. MAIA

Tradições agrícolas do concelho da Maia não são esquecidas
Centro de Estudos da Ruralidade abriu

O Centro de Estudos da Ruralidade, instalado na Quinta da Caverneira, em
Águas Santas, abriu ontem as suas portas. Um espaço para as questões
agrícolas, no qual funcionarão também valências ligadas ao lazer e cultura.
Bragança Fernandes aproveitou para responder ao PS.
Uma galeria de exposições que dará apoio ao Museu de História e Etnologia da
Terra da Maia, um pólo da biblioteca municipal e um auditório integram o
Centro de Estudos da Ruralidade, local de investigação inaugurado ontem na
Quinta da Caverneira, em Águas Santas. Um espaço direccionado para as
diversas perspectivas da ruralidade, como a sociológica, histórica,
económica e antropológica, que nasce depois da recuperação de um edifício de
arquitectura peculiar onde ficará instalado, a chamada «casa de brasileiro”,
característica da Terra da Maia, que foi residência de Joaquim Rodrigues dos
Santos Júnior, catedrático da Universidade do Porto e grande impulsionador
de estudos de arqueologia, etnografia e etnologia.


++++++
Quinta da Caverneira “representa mais um investimento na cultura”


==========================

8. FAMALICÂO

Ministério da Cultura aprova projecto inovador para a Câmara de Famalicão
Viagens pelo património

Incentivar a educação patrimonial dos alunos e incentivar o seu interesse
pelas estruturas museológicas é o grande objectivo do projecto «Viagens pelo
Património Cultural», promovido pela autarquia de Famalicão e que foi
recentemente alvo de apoios por parte do Ministério da Cultura.

O programa «Viagens pelo Património Cultural» que o pelouro da Cultura da
Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão está a promover junto das
crianças do 1º Ciclo do Ensino Básico, desde o ano lectivo 2003/2004, vai
conhecer um forte impulso com o seu alargamento a todos os níveis de ensino,
aos idosos e às pessoas com necessidades especiais, como cegos e
surdos-mudos. Para além da ampliação do público-alvo, o programa será
fortemente reforçado em termos de recursos, juntando-se às maletas
pedagógicas, peças de teatro sobre os espaços museológicos famalicenses,
criação de sítios interactivos na Internet, promoção de workshops e a
realização de documentários, entre outros.

==========================
9. Alto Minho
Nove pontes aguardam obras há quatro anos
Segurança Do total, cinco travessias nem sequer têm o projecto de
beneficiação concluído Caminha, Ponte de Lima e Viana do Castelo contam-se
entre os municípios mais afectados

==========================

10
A figura

==========================
E AINDA

No Público: (sem acesso)

Área marinha de Moledo poderá ser alvo de protecção
Ana Peixoto Fernandes
Proposta está a ser elaborada pelo biólogo marinho Eduardo Catita e visa
preservar a envolvente à ínsua de Caminha

“Não tenho culpa que a Câmara do Porto tenho escolhido mal a
localização da Casa da Música”
O arquitecto responsável pelo edifício-sede do BPN diz que a contestação ao
projecto não lhe roubou uma única hora de sono. Até porque, nota, a solução
está próxima daquilo que Koolhaas imaginou para a envolvente da Casa da
Música. Mesmo assim, e apesar de considerar que as vistas de mar não passam
de um mito, admite alterar o desenho, caso a Adicais receba o terreno
destinado ao Conservatório. O que não o impede de avisar que as obras
arrancam já, se a Câmara do Porto não acelerar as negociações.)

Lista dos 25 mais ameaçados

Um quarto dos primatas corre risco de extinção
Ana Machado
Cerca de 25 por cento das 625 espécies e subespécies de macacos, gorilas,
lémures, entre outros, podem desaparecer, avisa relatório internacional

==========================
==========================
INFORMAÇÃO SOBRE O BOLETIM INFOPNED:

Acima apresentam-se sumários ou resumos de notícias de interesse
urbanístico ou ambiental publicadas na edição electrónica do Jornal
de Notícias, de O Primeiro de Janeiro, de O Comércio do Porto e do
Público Local Porto e Minho (em um ou vários dos citados, não
necessariamente em todos).

Esta lista foi criada e é animada pela associação Campo Aberto, e
está aberta a todos os interessados sócios ou não sócios. O seu
âmbito específico são as questões urbanísticas e ambientais do
Noroeste, basicamente entre o Vouga e o Minho.

O arquivo desta lista desde o seu início é acessível através de
http://groups.yahoo.com/group/pned/

Para se desligar ou religar veja informações no rodapé da mensagem.

Para mais informações e adesão à Associação Campo Aberto:
campo_aberto@oninet.pt
telefax 229759592
Apartado 5052, 4018-001 Porto

Selecção hoje feita por Manuela D.L.Ramos

=============== PNED: Porto e Noroeste em Debate ===============

Para difundir mensagens escreva para: pned@yahoogrupos.com.br

Neste grupo não são permitidas mensagens com anexos.

Para assinar a lista envie mensagem sem assunto para: pned-subscribe@yahoogrupos.com.br e com o corpo da mensagem vazio.

Para cancelar a assinatura envie mensagem em que o único texto é “unsubscribe PNED” (sem assunto/subject) para: pned-unsubscribe@yahoogrupos.com.br

Para contactar directamente os coordenadores da lista envie mensagem a: pned-owner@yahoogrupos.com.br

Se quiser informar-se das várias possibilidades para a leitura das suas mensagens ou da forma de alterar os seus dados pessoais, pode consultar:

http://br.groups.yahoo.com/group/pned/

=============== PNED: Porto e Noroeste em Debate ===============
Links do Yahoo! Grupos

<*> Para visitar o site do seu grupo na web, acesse:
http://br.groups.yahoo.com/group/pned/

<*> Para sair deste grupo, envie um e-mail para:
pned-unsubscribe@yahoogrupos.com.br

<*> O uso que você faz do Yahoo! Grupos está sujeito aos:
http://br.yahoo.com/info/utos.html