• Abr : 24 : 2019 - Poluição Luminosa
  • Ago : 11 : 2014 - Apelo ao boicote de alimentos com milho transgénico
  • Nov : 23 : 2011 - Petição pela salvaguarda das Sete Fontes
  • Jul : 6 : 2011 - Perigo para Paisagem Protegida Valongo
  • Jun : 17 : 2010 - Corte de Árvores na Circunvalação – resposta da C.M. Porto

(Para qualquer problema com esta lista, ver informacoes no final do texto e
instrucoes no rodape da mensagem)

7 de Julho de 2003

JN

1. Porto: Criticas mais demolidoras para a lentidao da Justica

Clientes divididos quanto a decisao judicial de demolicao do
Shopping Cidade do Porto Reparos contundentes, de Correia Fernandes e de Rui Sa,
a morosidade dos tribunais

Hugo Silva

A execucao efectiva da demolicao do Shopping Cidade do Porto foi determinada
pelo Tribunal Administrativo. Conforme noticiamos ontem, um dos principais
argumentos utilizados pela Camara para nao efectuar a operacao sao os seus
elevados custos: no minimo, 125 milhoes de euros. Rui Rio, presidente da
autarquia, disse que vai ser interposto recurso. Jose Pulido Valente, o
arquitecto que deu inicio ao proces-so judicial, mantem-se “a espera para ver
se a senten-ca faz cumprir a lei, como deve”.
“Nunca pensei que neste pais se pudesse invocar falta de meios economicos para
desrespeitar ou nao cumprir a lei. Se fosse pos-sivel, todos nos, uns mais que
os outros, invocariamos falta de liquidez para nao cumprir todas as nossas
obrigacoes quanto a pagamentos”, argumenta Pulido Valente, considerando a
posicao da autarquia “pouco inteligente, pouco habil e incorrecta”.
Ate porque, lembrou o arquitecto, a Camara nao tem de pagar indemnizacoes.
“Se o promotor vigarizou os que compraram fraccoes, isso nao e
responsabilidade da autarquia”.

Jose Pulido Valente, o “irreverente”

Critico Arquitecto e uma voz contundente em relacao ao urbanismo na Cidade
Invicta

2. Vila do Conde: Capela do Socorro celebra os 400 anos

As gentes, o rio e o mar numa mostra de rua em que se percebe a evolucao da
cidade desde
o seculo XVI Ceu Salazar Em Vila do Conde, esta patente uma mostra fotografica
de rua intitulada “Capela do Socorro 400 Anos: as Gentes, o rio e o mar”. A
exposicao, situada na margem direita do Ave (Cais das Lavandeiras), faz uma
retrospectiva do monumento e evidencia a evolucao da cidade, desde os finais do
seculo XVI ate aos dias de hoje.

3. Porto: Isolamento na “Fronteira”

Criancas do Lagarteiro convidadas a filmar espacos e percursos do bairro
Realizadores
constatam falta
de investimento nos mais novos numa zona periferica da cidade Daniela Sousa

Geograficamente na fronteira, entre o Porto e Gondomar, os meninos do Bairro do
Lagarteiro matam o tempo sozinhos, a brincar na rua, desconhecendo o conforto
que nunca lhes foi proporcionado. Percorrem diariamente caminhos sinuosos por
entre blocos de cimento armado, montes de sucata, lixo e seringas usadas,
procurando descobrir beleza onde ninguem vislumbrou.

3. Porto: O Mercado Ferreira Borges

por jorge vilas jornalista Foi Mercado das Frutas e estava podre ha 20 anos
quando o
recuperaram Testemunho da arquitectura do ferro, que marcou de forma
imorredoura o Porto
Oitocentista com obras de
fomento que rasgaram uma boa parte da sua fisionomia actual, o Mercado de
Ferreira Borges enfileira, hoje em dia, ao lado das pontes de Maria Pia e de
LuisI, como exemplar notavel desse “horrivel e funcional” seculo XIX.
AMAVE quer sistematizar informacao geografica guimaraes A.C. A candidatura
da Associacao de Municipios do Vale do Ave ao programa de cobertura
cartografica a escala 1:10.000 para as zonas nao urbanas e de 1:2.000 para as
areas urbanas esta de novo em andamento, depois de ter sido suspensa, em
Janeiro de 2003, pelo entao ministro das Cidades, Isaltino de Morais.

4. Aveiro: Camara pensa futuro do sal
Autarquia esta em negociacoes exploratorias com uma grande superficie Degradacao
continua do salgado aveirense e cada vez mais preocupante Jesus Zing

A Camara de Aveiro esta em negociacoes com uma grande superficie para uma
tentativa de
comercializacao do sal aveirense, uma parceria considerada vital para salvar o
salgado aveirense.

5. Moncao: Moinhos da Corga recuperam turismo

Na primeira fase, serao arranjados dois. As obras vao custar, no total, cerca de
240 mil euros
Carla Vieira

Os moinhos da Corga, conjunto de cinco existentes em Sa, em Moncao, que
se encontram em avancado estado de degradacao, vao ser recuperados. “Trata-se
de um projecto muito ambicioso, que representa uma mais-valia para a freguesia”,
salientou Nuno Pinto, secretario da Junta de Freguesia. A intervencao, cuja
candidatura foi aprovada no ambito do programa Leader + do Vale do Minho,
representa um investimento de cerca de 240 mil euros. Os dois moinhos de agua a
recuperar nesta fase inicial mantem a matriz original e incluem reduzidas
unidades de alojamento.

6. (Fora do Noroeste) Lisboa

Camara procura local para mercado biologico

Ha dois anos a procura de novas instalacoes, a BIOCOOP, cooperativa de consumo
biologico, ve agora renovada a
esperanca de criar um mercado biologico na capital, depois da Camara de Lisboa
ter manifes- tado o seu apoio ao projecto. A funcionar ha dois anos e meio num
espaco provisorio em Figo Maduro, a cooperativa apresentou um projecto a
autarquia para instalar na cidade um mercado biologico, que seria tambem um
espaco para actividades ludicas, hortas pedagogicas, restaurante e centrode
documentacao. A Camara manifestou o seu apoio ao projecto, destacando o seu
interesse para a cidade, como uma valencia que reune “a venda e producao de
produtos biologicos, a sensibilizacao ambiental e a vertente pedagogica”,
defende Teresa Craveiro, directora municipal de planeamento estrategico.

Publico Minho

1. Braga: ProjectoBragaTempo Lanca Debate Sobre Futuro da Fabrica Confianca
Por ABEL COENTRAO

O ProjectoBragaTempo vai retomar na proxima quinta-feira a iniciativa
“Conversas Desbragadas” com um tema que este grupo de jovens universitarios e
recem-licenciados tentou nas ultimas semanas colocar na agenda local, atraves
de artigos na imprensa: a preservacao da centenaria fabrica da Saboaria
Confianca e o seu reaproveitamento como polo cultural, especialmente dedicado
as actividades da comunidade academica e que serviria tambem como elo de
ligacao da Universidade do Minho (UM) ao resto da cidade.

2. Ofir: Bombeiros Preocupados com Seguranca nas Torres de Ofir
Por FRANCISCO FONSECA

“Se acontecer um incendio ou qualquer outra situacao anormal nos ultimos
andares e praticamente impossivel de resolver”. Esta e a forma como Joaquim
Soares, Comandante dos Bombeiros Voluntarios de Fao, descreve a situacao de
seguranca das tres torres de Ofir onde, na madrugada de sabado um pequeno
incendio chegou para sobressaltar moradores e bombeiros.

INFORMACAO SOBRE O BOLETIM INFOPNED:

Acima apresentou-se o sumario e/ou resumos de noticias de interesse
urbanistico/ambiental
publicadas na edicao electronica do JN e do Publico Local Porto e Minho, em 7 de
Julho de
2003. A seleccao e da associacao Campo Aberto.

Para os textos integrais consultar:

http://jn.sapo.pt/eddia/eddia2.asp

http://jornal.publico.pt/publico/2003/07/07/indice.html

ou as respectivas edicoes em papel.

PNED = Porto e Noroeste em Debate

Imprimir esta página Imprimir esta página

Categorias: Boletim

Deixar comentário