• Abr : 24 : 2019 - Poluição Luminosa
  • Ago : 11 : 2014 - Apelo ao boicote de alimentos com milho transgénico
  • Nov : 23 : 2011 - Petição pela salvaguarda das Sete Fontes
  • Jul : 6 : 2011 - Perigo para Paisagem Protegida Valongo
  • Jun : 17 : 2010 - Corte de Árvores na Circunvalação – resposta da C.M. Porto

[PNED] 28 Fev/ Quem trava a ordenação urbana?
Sexta-feira, 28 de Fevereiro de 2003

(Para qualquer problema com esta lista, seguir por favor as instruções do
rodapé desta mensagem.)

Sumário: Matosinhos e o seu mar no âmbito das actividades do Centro de
Educação Ambiental de Matosinhos; demolições no Bairro S. João de Deus;
monopolização do espaço metropolitano pelo automóvel; a casa à moda do Porto
e o seu valor ignorado; o acesso ao espaço e os obstáculos postos aos
deficientes; regras de edificação mais rigorosas num município (fora do
nosso âmbito geográfico) pretendidas pelo executivo mas que os partidos
maioritários conseguem em parte travar; municípios do Vale do Lima; e um
mundo rural em extinção…

Destaque: para a notícia sobre Torres Vedras – nem sempre são os autarcas
quem trava a ordenação urbana…

Seguem-se os resumos de notícias de interesse urbanístico/ambiental
publicadas na edição electrónica do JN em 28 de Fevereiro de 2003. A
selecção é da associação Campo Aberto. Para os textos integrais consultar as
referidas páginas ou a respectiva edição em papel.

PNED = Porto e Noroeste em Debate

Notícias fora deste âmbito geográfico podem a título excepcional ser
incluídas por apresentarem interesse evidente para questões relativas ao
Porto e Noroeste.

28 de Fevereiro de 2003

JN

Apoio camarário como locomotiva

O Centro de Educação Ambiental de Matosinhos (CEAM) é gerido e dinamizado
pela Quercus ­ Associação Nacional de Conservação da Natureza. Está
instalado num espaço cedido pela Câmara, no edifício do mercado, desde 1997,
onde arrancou com apoio do Programa Operacional do Ambiente. De então por
diante, é da autarquia que o CEAM recebe o soro vital: 50 mil euros anuais
(dez mil contos).

Apreciar e defender mar de Matosinhos

Preservação da zona costeira e poluição marítima vão motivar ciclo de
conferências e exposições
Alice rios

A “Preservação da zona costeira e a poluição marítima” foi eleita como tema
central do Plano de Actividades do Centro de Educação Ambiental de
Matosinhos (CEAM), que, ontem, foi apresentado nas instalações da
instituição, no edifício do mercado municipal.

De acordo com Pedro Santos, coordenador do CEAM, a adopção deste tema tem em
vista o desenvolvimento de um trabalho que decorrerá entre Março e Junho e
que se baseará na organização de um ciclo de conferências, na realização de
exposições e de actividades didácticas, além da publicação de materiais
pedagógicos.

Arrancou demolição no S. João de Deus

Bloco 1 foi o primeiro a ir abaixo. Máquinas voltam dentro de dias
Virgínia Alves

“Olha o meu quarto, olha o da minha filha”. Alguns dos ex-moradores do Bloco
1 do Bairro de S. João de Deus assistiram, ontem, à demolição das suas
casas, processo que dá seguimento à primeira fase do Plano de Reconversão.

Automóvel monopoliza o espaço metropolitano

Autocarros perderam a corrida dos transportes em apenas 10 anos. Estudo
revela que a influência do combio é praticamente nula
jorge vilas

Em 10 anos, aqueles que decorreram entre os Censos de 1991 e 2001, cresceu,
quase de forma dramática, a utilização do automóvel como modo de transporte
preferencial dos moradores da Área Metropolitana do Porto (AMP).

A “tira” à moda do Porto
Uma casa que é cidade no melhor sentido do conceito

A estrutura urbana da cidade do Porto, sobretudo na sua zona central,
assenta numa malha de ruas sem ordem aparente e numa massa construída cujo
desenho se baseia, por sua vez, numa estrutura de lotes de frente muito
estreita e de grande profundidade. Uma planta da cidade que reproduza esse
loteamento apresenta as ruas ladeadas por fatias de terreno com cinco ou
seis metros de largura e com várias dezenas de metros de profundidade
prolongando-se, muitas vezes, até profundidades muito para além da centena
de metros.

Sentir na pele a deficiência

Labirinto de sensações, na Alfândega
inês schreck

Abrir uma porta, entrar e sentir o diferente. Viajar por um labirinto de
sensações e emoções desconhecidas. E eliminar barreiras, conhecendo melhor
as dificuldades que enfrentam diariamente os cidadãos com deficiência.
Envolvido num ambiente místico e único,o labirinto “Enfrentar Barreiras”
abre, hoje, as portas a “toda a gente”, na Alfândega do Porto. “É mesmo para
toda a gente, não esquecendo os cidadãos com deficiência”, explicou, ao JN,
Luís Mesquita, director do Departamento Municipal de Desenvolvimento Social
da Câmara do Porto. Aliás, mostrar que a diversidade enriquece é um dos
objectivos do projecto.

VISEU : Barreiras travam deficientes Cidade está invadida de obstáculos
que dificultam marcha dos cegos RUI BONDOSO

“Tapetes nos passeios, à entrada das lojas, contam-se às dezenas na cidade,
e são autênticas ratoeiras para os cegos”, a denúncia é de José António
Esteves Correia, invisual, que, na última reunião da Assembleia Municipal,
pediu mais fiscalização à Câmara deViseu.

torres vedras :

Regras de edificação ficam mais rigorosas

Executivo camarário queria ir mais longe, mas as bancadas da cor da maioria
(PS) e do PSD defenderam interesses dos construtores paulo pinto O
Executivo camarário de Torres Vedras levou à Assembleia Municipal um
arrojado regulamento de urbanização e edificação, que acabou por ser
alterado. Curioso é que as principais reticências face ao rigor da proposta
acabaram por partir da própria bancada da maioria (PS) e também do PSD,
sendo defendida na íntegra apenas pela CDU. O PSD acabou por se abster –
apesar de ter visto aprovadas as alterações que propôs – tal como o
representante do PP.

v. do castelo : Reitor da UM lança repto a autarcas PEDRO VILA-CHÃ

O reitor da Universidade do Minho (UM), Guimarães Rodrigues entende que os
autarcas dos municípios do vale do Lima devem tomar conhecimento do
protocolo de desenvolvimento regional firmado a 24 de Janeiro entre aquela
universidade, a Associação Industrial do Minho e as câmaras de Barcelos,
Braga, Famalicão e Guimarães.

GUIMARÃES : Tradição está moribunda na Feira dos 27 de S. Torcato
Concurso de bois em extinção mistura sagrado e profano JOAQUIM FORTE

A tradição já não é o que era na Feira Franca dos 27 de S.Torcato e parece
estar a caminhar a passos largos para um destino infeliz. O concurso de gado
mais não é que resquício de um mundo rural claramente em vias de extinção.

=============== PNED: Porto e Noroeste em Debate ===============

Para difundir mensagens escreva para: pned@egroups.com

Para assinar a lista envie mensagem sem assunto para: pned-subscribe@yahoogroups.com e com o corpo da mensagem vazio.

Para cancelar a assinatura envie mensagem em que o único texto é “unsubscribe PNED” (sem assunto/subject) para: pned-unsubscribe@egroups.com

Para contactar directamente os coordenadores da lista envie mensagem a: pned-owner@egroups.com

Se quiser informar-se das várias possibilidades para a leitura das suas mensagens ou da forma de alterar os seus dados pessoais, pode consultar:

http://www.egroups.com/group/pned

Neste grupo não são permitidas mensagens com anexos.

=============== PNED: Porto e Noroeste em Debate ===============

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em: http://br.yahoo.com/info/utos.html

Imprimir esta página Imprimir esta página

Categorias: Boletim

Deixar comentário